Daniel Bressan assume gerência de Vendas da AVIVA

Com mais de 20 anos de experiência no segmento de hotelaria, Daniel Bressan acaba de assumir a gerência de Experiência, Vendas e Operadoras Nacional e Internacional e OTAs da AVIVA, detentora da Costa do Sauípe e Rio Quente. O executivo respondia como gerente de Experiência Receitas e Distribuição.

As áreas de Vendas para Agências e MICE, assim como a área de Receitas e Distribuição, passam a se reportar interinamente a Heber Garrido, diretor de Experiência Marketing e Vendas da AVIVA, que é responsável pelas estratégias comerciais e marketing nos segmentos de entretenimento e hospitalidade.

Graduado em Administração Hoteleira pela UNIBERO – Universidade Ibero Americana, Bressan está na AVIVA desde maio de 2018, mas antes passou por empresas como SuperClubes, Signature Brasil e Costa do Sauípe.

Anúncios

FTI Consulting investe em serviços de riscos e cibersegurança no Brasil

Com foco no crescente mercado de crimes cibernéticos, atividades de corrupção, lavagem de dinheiro, litígios empresariais e gestão de riscos, a norte-americana FTI Consulting anunciou nesta quinta-feira, 21, que sua filial brasileira passa a ofertar todo seu portfólio de serviços forenses e capacidade de processar e analisar grandes volumes de dados, atendendo localmente clientes em todos os setores de mercado com serviços em Forense e e-Discovery e iniciativas preventivas e reativas de segurança cibernética.

A iniciativa prevê um serviço sofisticado de gestão de riscos e de recrutamento de pessoal altamente especializado, com uma equipe formada por executivos internacionais como Anthony Ferrante, ex-integrante do governo americano, com serviços prestados ao FBI e à Casa Branca; David Turner, que lidera a prática de Data & Analytics e é especialista na aquisição e análise de dados complexos; e Cynthia Catlett, liderança da FTI Brasil e consultora investigativa em projetos preventivos e reativos envolvendo denúncias de fraude, corrupção e lavagem de dinheiro.

“Trata-se de um grande investimento na oferta de serviços sofisticados de gestão de riscos, com o engajamento de profissionais altamente especializados, de experiência e tracking record globais”, enfatiza Cynthia Catlett.

A FTI Consulting é uma empresa global de consultoria de negócios, com faturamento superior a US$ 2,03 bilhões em 2018, dedicada a operações de gestão, mitigação de riscos e de resolução de disputas jurídicas, operacionais, políticas, regulatórias, transacionais e de reputação. Conta com mais de 4.600 profissionais em 28 países.

Portfólio de tecnologia

A soluções de tecnologia forense que a empresa passa a oferecer no Brasil são focadas em e-discovery, através de um software próprio, Ringtail eDiscovery, que prevê uma abordagem visual exclusiva para as diversas fases da descoberta eletrônica – desde avaliações e investigações iniciais de casos até a revisão de documentos e preparação de audiências e julgamentos – que permitem que os escritórios de advocacia e seus clientes dominem os detalhes de qualquer questão legal.

Também tem uma parceria com a Relativity, solução usada por organizações em todo o mundo para analisar dados relacionados a litígios, investigações, solicitações governamentais, que reúne todo o processo de e-discovery em uma única solução na nuvem, on premisses ou em ambos.

Em Data & Analytics realiza análise em profundidade de grandes volumes de dados financeiros, operacionais e transacionas em âmbito global.

Na área de cibersegurança, as soluções da FTI Consulting possibilitam a identificação rápida e precisa de ameaças, além de respostas assertivas e interdisciplinares às crises, para recuperação sustentável das operações e reputação após um incidente.

Paraná quer conceder incentivo fiscal a carros elétricos

O governador do Paraná, Ratinho Júnior, disse em evento na cidade de Barigui que o Estado será o primeiro do Brasil a conceder incentivo fiscal para estimular a produção e o uso de carros elétricos. Ele assinou proposta de Lei para zerar a alíquota de IPVA – para veículos normais ela é de 3,5%.

Segundo ele, será apresentada ainda uma proposta de convênio ao Conselho Nacional de Política Fazendária (Confaz) para que o Estado possa isentar o ICMS para a aquisição desses veículos. A medida é um incentivo ao uso de energia limpa para o transporte. “A ideia é diminuir cada vez mais o preço dos veículos elétricos e torná-los mais acessíveis à população”, disse o governador.

Infratech vai mudar o mercado de infraestrutura nos próximos dez anos

O mercado de infraestrutura vai mudar dramaticamente na avaliação de Boe Pahari, sócio gerente e chefe global de infraestrutura na AMC Capital. A empresa tem investimentos em vários empreendimentos, incluindo o London Luton Airport e centrais de geração de energia nos Estados Unidos, Canadá e México. As mudanças, segundo o especialista, são fruto de tecnologias emergentes aplicadas a infraestrutura, ou Infratech. A avaliação de Pahari está no relatório Future of Infrastructure, patrocinado pela Global Infrastructure Investors Association (GIIA) e recém-publicado.

Pahari cita o caso dos aeroportos, onde a tendência de uso de Infratech acontece desde o controle eletrônico de passaporte, com sistemas de reconhecimento facial, e avançam pelo despacho inteligente de bagagem, entre outros. Os drones, por sua vez, têm sido utilizados no monitoramento de operações offshore na área de óleo e gás, inclusive em resgates. A adoção da nuvem e de recursos da internet, por outro lado, pode ampliar a oferta de serviços online no setor, caso do atendimento automático aos clientes de concessionárias de energia elétrica.

“O uso, captação e interpretação de dados, da conectividade por meio da Internet das Coisas e da inteligência artificial e automação em termos de robótica, todas são áreas que eu vejo que podem nos afetar”, resume Pahari. “Nós vamos ver uma mudança ampla na forma que operamos nos próximos dez anos”, completa. A íntegra do relatório pode ser acessada (em inglês) aqui http://giia.net/future-of-infrastructure-special-report-in-the-times/

POPSPACES é primeira proptech selecionada pela Oxigênio Aceleradora

Dentre quase mil empresas inscritas, a POPSPACES, marketplace que conecta marcas e pessoas a espaços criativos, foi uma das três selecionadas para participar do 7º ciclo de aceleração, da Oxigênio Aceleradora da Porto Seguro. Além de aporte financeiro, o programa oferece sessões de mentoria, palestras e workshops com executivos do Grupo Porto Seguro e outros profissionais renomados do mercado.

Na fase seguinte da aceleração, a startup deve ir à sede da Plug and Play Tech Center, uma das maiores aceleradoras do Vale do Silícios, nos Estados Unidos. “Ficamos orgulhosos de ser a primeira startup do ramo imobiliário a fazer parte do programa. Nossa participação é muito estratégica para nossa visão e objetivo. Acreditamos que o pilar de seguros é fundamental para escalabilidade da plataforma a nível nacional”, destaca Yuri Saiovici, CEO da POPSPACES.

“Queremos aproveitar todo o conhecimento e a experiência da Oxigênio e da Porto Seguro para ajudar a construir esse novo mercado no Brasil. Mundialmente, a Pop-Up Economy movimenta bilhões e ocupa um lugar de destaque”, complementa Yuri.

Fundada em 2018, a POPSPACES nasceu com o propósito de fomentar a economia compartilhada e tornar o varejo mais acessível. Por meio de aluguéis de curta duração, quem estiver interessado em fazer um lançamento de produto ou serviço, testar o e-commerce no mercado offline ou lançar uma nova ideia, pode encontrar espaços para lojas. experiências e eventos, entre outras opções.

Zara online estreia no Brasil com entrega rápida e catálogo extenso

Entrou no ar na quarta-feira (20) a loja digital da Zara no Brasil. Entre os atrativos para os clientes, a plataforma já chega com prazos de entrega diferenciados, opção de retirada em loja e gratuidade no frete em compras a partir de R$ 199. Clientes do Brasil inteiro já podem fazer compras diretamente pelo site ou pelos aplicativos no iOS e Android.

A página inicial do e-commerce permite escolher a navegação por categoria: Última semana (os lançamentos mais recentes); Mulher; TRF (linha jovem da marca); Homem; Infantil ou Mini. Também há abas para o programa Join Life, de coleta de roupas para reciclagem, e para os catálogos de coleções, em “Stories”.

Não foram divulgadas datas de estreia de outros produtos, como os perfumes da marca ou os itens da Zara Home.

Clientes da Grande São Paulo têm a opção de receber o produto no mesmo dia da compra para pedidos realizados até as 15h de segunda a sexta-feira. Neste caso, o valor do frete é padronizado em R$ 20 e a entrega é realizada até as 22h.

Pedidos de menos de R$ 199 também têm frete padrão, de R$ 14. Na Grande São Paulo, Grande Rio de Janeiro, Belo Horizonte e Curitiba, essa entrega é feita até as 22h do dia seguinte para os pedidos realizados até as 15h, de segunda a sexta-feira.

A opção por retirada nas lojas da rede é gratuita, mas nem todas as 57 lojas da rede estão habilitadas para retirada de pedidos a princípio.

Mudanças no mercado

Para marcas nacionais ou mais estabelecidas no país, a novidade representa acirramento de concorrência. Até então, a Zara competia apenas nos 17 estados em que tem lojas. Agora, chega mais perto do alcance de marcas como Riachuelo, Marisa, Renner e Hering, brasileiras que têm lojas online, e a holandesa C&A, que tem no Brasil um mercado importante.

A Inditex, dona da marca, divulgou em seu balanço mais recente um aumento de 27% nas vendas online, para 3,2 bilhões de euros. Nos mercados em que oferece as duas opções (lojas físicas e online), 14% das compras já são feitas pela internet. Também há 106 mercados em que a empresa opera apenas e-commerce.

Preço e agilidade ainda são problemas

Em quase todos os países em que tem presença, a Zara tende a ser uma varejista de massa. No Brasil, todavia, a realidade ainda é outra: a marca ainda é muito cara por aqui, principalmente por conta de uma tarifa de importação de 35%, de acordo com um relatório publicado no início do ano pelo Bradesco BBI. Vale lembrar que a Zara brasileira é a mais cara do mundo, de acordo com o mais recente Zara Index.

Também entra na conta o fato de a produção da empresa localmente corresponder a menos de 10% do volume de vendas, o que cria maiores dificuldades. “A Zara e outras varejistas de moda enfrentam outros desafios além das tarifas de importação”, diz o relatório. “Por exemplo, a infraestrutura fraca em portos e atrasos nas checagens significam que é difícil operar o modelo fast fashion, que requer que as empresas sejam ágeis”, complementa.

Considerando estes fatores, por mais que a presença da Zara seja ampliada, é pouco provável, de acordo com os analistas, que os preços e a rapidez da chegada das coleções nas lojas (essencial no mercado de moda) sejam tão competitivos por aqui quanto no resto do mundo, a não ser que a empresa inaugure outras fábricas no país.

Produtos da chilena Not Company chegam ao Brasil

A Not Company, empresa chilena de alimentos, especializada em produtos para consumidores com restrição alimentar, anuncia sua chegada ao Brasil. As novidades serão comercializadas a partir de abril na rede Pão de Açúcar. A principio será oferecido a NotMayo, uma maionese sem ovo. O leite NotMilk, que não tem origem animal, e sorvetes da marca devem fazer parte da parceria com o GPA . A Not Company também conta com o NotMeat – carne de origem vegetal.