Aplicações no Tesouro Direto em junho atingem recorde para o mês

A venda de títulos públicos a pessoas físicas pela internet atingiu recorde em junho. Segundo números divulgados hoje (21) pelo Tesouro Nacional, as vendas somaram R$ 1,452 bilhão no mês passado, o maior montante registrado para meses de junho desde a criação do programa, em 2002.

O recorde mensal absoluto foi registrado em março deste ano, quando as vendas totalizaram R$ 2,648 bilhões. Em junho, os títulos mais procurados pelos investidores foram os vinculados à taxa Selic (juros básicos da economia), que concentraram 44,3% das vendas.

Os papéis corrigidos pela inflação oficial pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) representaram 37,4% do total. Os títulos prefixados, com juros definidos no momento da emissão, corresponderam a 18,3%.

Os investimentos de menor valor continuaram a liderar a preferência dos aplicadores no Tesouro Direto em junho. As vendas abaixo de R$ 5 mil concentraram 77,8% do volume aplicado no mês. O número de investidores ativos (que efetivamente possuem aplicações) subiu 14.655, alcançando 507.654, alta de 65,5% nos últimos 12 meses.

Com o resultado de junho, o estoque de títulos públicos aplicados no Tesouro Direto subiu 2,3% em relação a maio, alcançando R$ 46,7 bilhões. A variação do estoque representa a diferença entre as vendas e os resgates, mais o reconhecimento dos juros que incidem sobre os títulos.

Em junho, os resgates somaram R$ 707,2 milhões, relativos a recompras (quando o Tesouro recompra títulos em circulação). No mês passado, não houve vencimentos de títulos (quando o prazo do papel acaba e o Tesouro paga os investidores).

Aplicação

O Tesouro Direto foi criado em janeiro de 2002 para popularizar esse tipo de aplicação e permitir que pessoas físicas pudessm adquirir títulos públicos diretamente do Tesouro, via internet, sem intermediação de agentes financeiros. O aplicador só tem de pagar uma taxa à corretora responsável pela custódia dos títulos. Mais informações podem ser obtidas no site do Tesouro Direto.

A venda de títulos é uma das formas que o governo tem de captar recursos para pagar dívidas e honrar compromissos. Em troca, o Tesouro Nacional se compromete a devolver o valor com um adicional que pode variar de acordo com a Selic, índices de inflação, câmbio ou uma taxa definida antecipadamente no caso dos papéis prefixados.

IPO do Carrefour demonstra força do Brasil, diz Abilio

A oferta inicial de ações (IPO, na sigla em inglês) do Carrefour Brasil, que movimentou mais de R$ 5 bilhões, representando a maior abertura de capital na bolsa brasileira desde 2013, demonstra a força do Brasil e que o País irá andar para frente, a despeito das incertezas do atual ambiente, disse o empresário e acionista do Carrefour Brasil, Abilio Diniz.

Abilio disse que gosta muito de dirigir empresas de capital aberto, dada a maior transparências dessas companhias e fiscalização feita pelo mercado. O empresário lembrou ainda o IPO que realizou há mais de 20 anos, do GPA, quando era um dos principais acionistas. “Companhia aberta é companhia transparente, sem segredos”, disse em discurso em cerimônia da estreia do Carrefour Brasil na B3.

Segundo ele, o grupo francês passa agora por um momento transformacional, impulsionado também pela chegada do novo presidente global, Alexandre Bompard. “E eu acredito que não faremos mais do mesmo, porque não dá para fazer mais do mesmo e esperar resultados diferentes”, salientou.

Abilio disse que sempre admirou o Carrefour e que está satisfeito de ter feito parte desse processo do IPO. “Fazer o IPO não foi fácil e colocamos toda a nossa força”, disse. Além disso, como acionista do grupo, disse querer ajudar para a grandeza da companhia. Além de acionista, Abilio também é membro do conselho de administração do grupo.

Para Abilio, o empresariado brasileiro precisa tomar a dianteira para a retomada do crescimento do Brasil e assumir a sua responsabilidade. O empresário disse que houve questionamentos sobre o momento que o Carrefour escolheu para abrir capital, em meio a um cenário de crise, mas que a decisão foi seguir em frente. “Chegamos aqui. Não foi fácil, mas realizamos”, disse.

Abílio afirmou ainda que o brasileiro precisa acreditar mais no Brasil. “Esse IPO demonstra isso. Se gente de fora acredita no Brasil, porque nós brasileiros ainda temos dúvida”, questionou.

Ele disse também que o empresário brasileiro precisa puxar a fila dos investimentos, visto que o Brasil precisa melhorar a sua produtividade. “E melhorar a produtividade precisa de investimentos, capacitação e gestão”, afirmou. “Essa é nossa tarefa: gerar riqueza, gerar emprego e tornar este País cada vez maior. Precisamos acreditar no Brasil”, disse. Segundo ele, já há sinais de retomada e é preciso que os empresários ajudem nisso.

Burger King provoca concorrente em campanha de novos sanduíches

Para apresentar o lançamento de dois novos sanduíches, o Costela Furiosa e o BK Costela Barbecue Bacon, o Burger King lançou uma campanha provocando um concorrente famoso por seus pratos de costela.

A campanha, desenvolvida pela DAVID, acontece na praça de alimentação de um shopping, onde o Burger King posiciona estrategicamente alguns pagers na espera de um restaurante bastante conhecido por servir costelas. Mas esses pagers não só piscam como também falam e começam a interagir com os consumidores – convidando os mesmos a conhecerem os dois novos sanduíches da rede, com reações hilárias.

“Fazer um BK Costela já era um pedido antigo dos nossos consumidores – e agora eles não precisam mais de grandes esperas para comer um hambúrguer com carne 100% suína e suculenta, grelhada no fogo como churrasco. E é brincando com esta questão que lançamos a nossa nova campanha, para contar isso de forma ousada e inovadora”, comenta Ariel Grunkraut, diretor de marketing do Burger King no Brasil.

“O pager sempre foi sinônimo de espera. Mas no BK ele virou brother. E o melhor: um brother que te convida a experimentar um dos sanduiches mais saborosos da rede,” diz Rafael Donato, VP de criação da DAVID.

Os novos sanduíches feitos com hambúrgueres de carne 100% suína já podem ser encontrados em todas as lojas da rede. São duas versões: o BK Costela Furioso, com onion rings e molho furioso, e o BK Costela Barbecue Bacon, que leva fatias de bacon e molho barbecue. O preço sugerido é de R$ 29,90, o combo.

Vendas dos celulares S8 e S8+ estão melhores que aquelas da geração anterior

As vendas do S8 e do S8+, smartphones top de linha da Samsung, estão sendo até agora o dobro do que foram aquelas do S7 e do S7 edge, seus antecessores, no ano passado no Brasil, no México e na Argentina, informa a Samsung. Se analisada a América Latina inteira, o crescimento é de 50%, firma a fabricante sul-coreana.

Na comparação entre as duas gerações, um dos destaques é o aumento da proporção da tela sobre o corpo dos novos aparelhos. No S7 edge, a tela representava 76% da frente do smartphone, enquanto no S8+ é 84%. Outra melhoria é que a câmera frontal passou de 5 MP para 8 MP.

Vivo liga rede LTE em 295 cidades em junho

A Vivo ligou a rede LTE em mais 74 cidades do interior de São Paulo, totalizando assim 470 localidades cobertas no Estado. A companhia adicionou ao todo 295 municípios à cobertura com a infraestrutura somente em junho no País. Em comunicado nesta quinta-feira, 20, a operadora não detalhou com que frequência(s) efetuou o ligamento, mas destacou que agora conta com 4G em 1.500 cidades brasileiras. A empresa ressaltou também que o investimento faz parte da estratégia da empresa de focar em dados.

Os novos municípios paulistas contemplados são: Aparecida D´Oeste, Américo de Campos, Anhumas, Avanhandava, Alfredo Marcondes, Alvaro de Carvalho, Agudos, Braúna, Brejo Alegre, Bocaina, Buri, Catigua, Coroados, Candido Rodrigues, Charqueada, Divinolândia, Dobrada, Dumont, Dourado, Elisário, Embaúba, Euclides da Cunha Paulista, Echaporã, Floreal, Guaraci, Gabriel Monteiro, Glicério, Getulina, Itapura, Indiana, Igarapava, Itaberá, Lourdes, Macedônia, Marapoama, Meridiano, Mira Estrela, Maracaí, Monte Castelo, Motuca, Neves Paulista, Nova Luzitânia, Nova Aliança, Nova Independência, Onda Verde, Osvaldo Cruz, Potirendaba, Palmeira D´Oeste, Ponte Gestal, Palestina, Pacaembu, Piacatu, Pedregulho, Presidente Alves, Rubineia, Rinópolis, Rosana, Ribeirão Grande, Sebastianópolis do Sul, Severina, Santa Clara D´Oeste, Sandovalina, Santo Anastácio, Santa Mercedes, Sagres, Santa Lúcia, Santa Branca, Silveiras, Tarabaí, Tapiraí, Uru, Viradouro e Zacarias.

Mercado Eletrônico pode transformar em produtos dois apps criados pelo seu RH

O Mercado Eletrônico criou recentemente duas soluções simples para a área de recursos humanos da própria empresa, os aplicativos responsivos Gente & Gestão (avaliação de funcionários) e Bluecard (reconhecimento de funcionário). Embora tenham sido criados para uso interno, a companhia, que vende serviços para áreas de compras das empresas, não descarta disponibilizar as duas soluções como produtos.

“Já recebemos uma pessoa de outra firma interessada em conhecer mais sobre as duas tecnologias. E estou pensando em abrir a porta da empresa para mostrar a tecnologia para pessoas de RH”, revela Adriana Oliveira, gerente de RH no Mercado Eletrônico. “Eu criei o aplicativo com apoio da equipe de tecnologia com uma ‘carinha’ mais fácil para mim. A plataforma é totalmente customizável, uma pessoa consegue inverter todas as funções e campos”.

Preparado com base na tecnologia App Builder da fornecedora brasileira, o app Gente Gestão funciona como forma para automatizar o processo de avaliação do funcionário. Antes, o processo era feito por adição de dados em células de Excel. Agora, o funcionário preenche seus dados básicos via site interno – em dispositivo mobile ou desktop – com seu login e senha. O RH completa com as informações da análise.

Em contrapartida, o trabalhador consegue traçar objetivos e metas para receber aumento de salário ou uma eventual promoção. Em um caso recente, a executiva revelou que graças ao app conseguiu perceber a possibilidade de promover uma funcionária para uma função de designer pleno que estava em aberto. Com a meta alcançada, a profissional poderá assumir o posto após o término de sua graduação.

Por sua vez, o Bluecard permite que usuários deem incentivos para seus colegas por ações ou projetos que contribuem com a empresa, algo que melhorou o relacionamento entre os setores da companhia. A executiva afirma que os dois apps serão unificados em breve.

Vale lembrar que o Mercado Eletrônico possui atualmente mais de 1 milhão de fornecedores, 8 mil compradores e transaciona R$ 80 bilhões em negócios.

Audiência do Now cresce 200% em dois anos, mas mobile ainda é minoria

O Now, serviço de vídeo sob demanda da Net, registrou 900 milhões de streamings nos últimos 12 meses. Esse volume representa um crescimento de 200% nos últimos dois anos, informa o diretor de produtos de vídeo da Claro Brasil, Alessandro Maluf. “Este mês, com as férias e o frio, vamos bater novo recorde”, prevê o executivo, explicando que nessas condições o público costuma ficar mais em casa vendo TV por assinatura.

O Now pode ser acessado através de smartphones e tablets, em um aplicativo para Android e iOS, assim como via site web, em computadores. Estes canais ainda representam uma participação pequena da audiência do serviço. Os dispositivos móveis, junto com os computadores, formam o que a empresa chama de “Now Online”, ou seja, são todos os acessos feitos pela Internet, aqueles que não dependem do decodificador. Smartphones, tablets e computadores respondem hoje por apenas 10% do volume de streamings do Now. A esmagadora maioria, ou 90%, acontece na própria TV do assinante.

Ainda segundo Maluf, 80% do conteúdo consumido no Now é gratuito. São filmes, séries ou programas de TV que fazem parte dos canais da Net. O restante são conteúdos para serem alugados e vistos dentro de 48 horas, como filmes recém-saídos de cartaz no cinema. Ao todo, o Now tem um catálogo de 35 mil conteúdos.

Apesar do crescimento da audiência do serviço de vídeo sob demanda, o executivo discorda da previsão de que a TV por assinatura vai acabar: “Está na moda dizer que a TV por assinatura vai acabar. É verdade que tem muitos serviços de streaming crescendo no Brasil, mas é conteúdo complementar, não substituto”.

Sobre a proposta do governo de regulamentação do mercado de vídeo sob demanda, com o estabelecimento de cotas para produções nacionais e independentes e cobrança do Condecine, Maluf comenta: “Se houver regulamentação que valha para todos, não apenas para TV por assinatura, mas para as OTTs também.”

Download

Está nos planos da Net oferecer em breve a funcionalidade de download de conteúdos do Now para os assinantes assistirem offline em dispositivos móveis. Mas nem todos os conteúdos estarão disponíveis para download em um primeiro momento, por causa de restrições contratuais por parte dos seus produtores. A funcionalidade está sendo chamada de “download to go”.