Embratel anuncia plataforma de Gestão de Arrecadação

A Embratel lança o serviço Gestão de Arrecadação Embratel, plataforma para gerenciamento completo de arrecadações financeiras de concessionárias de serviços públicos, como energia elétrica e água, além de órgãos do Governo, para cobrança IPVA e IPTU, por exemplo. O novo produto, que amplia o portfólio de Soluções Digitais da Embratel, permite às instituições a visualização detalhada de todo o processo que envolve o pagamento de uma fatura, desde o momento em que o consumidor final efetua a transação bancária até o instante em que o valor é repassado do banco à empresa que emitiu a cobrança.

“A Embratel está ampliando seu portfólio com soluções voltadas para a gestão integrada de negócios. Com a nova solução da Embratel, os clientes podem ter visibilidade e controle de todos os documentos que trafegam na cadeia de pagamento, incluindo débitos bancários, transferências ou contas com código de barras”, afirma Mário Rachid, Diretor Executivo de Soluções Digitais da Embratel”. O executivo acrescenta que, com isso, o produto permite aumento da produtividade dos setores de tesouraria ou cobrança dos clientes.

A nova oferta da Embratel está totalmente integrada à rede bancária e a sistemas de cobrança. Após cadastrar os dados dos seus convênios bancários na plataforma, os clientes passam a ter acesso a informações importantes, como valores e prazos estabelecidos para o pagamento das faturas.

O serviço Gestão de Arrecadação Embratel permite também verificar de forma automática divergências em dados e valores cobrados e recebidos, além de outras falhas que possam ocorrer durante o processamento de pagamento. Também é possível saber quem são os consumidores devedores, permitindo uma avaliação mais rápida sobre as ações necessárias para resolver a situação. A nova oferta garante ainda a verificação automática dos valores arrecadados com o extrato bancário.

A solução foi criada para atender a demanda por ferramentas para medição e monitoramento de desempenho das arrecadações, mitigando problemas como o repasse incorreto de valores ou de pagamentos recebidos na data incorreta. A nova oferta elimina também o problema da morosidade de atualização dos sistemas contábeis.

Anúncios

Acionista da Br Supply e da Korpex adquire operação da Staples Brasil

O controlador da Br Supply e da Korpex adquire as operações da Staples Brasil. Com a aquisição, o grupo fortalece sua atuação junto ao mercado e assume a liderança nacional em distribuição de suprimentos corporativos. Conjuntamente consideradas, Br Supply, Korpex e Staples Brasil passam a contar com um portfólio de 12 mil itens disponíveis e uma carteira de clientes de todos os tamanhos e segmentos, gerando, em média, 40 mil pedidos por mês, demandando cerca de 2 milhões de itens mensais. “Cada canal tem seu diferencial e força de vendas, por isso, as três operações seguem atuando de forma independente. A sinergia a ser alcançada vai fortalecer as três marcas e aumentar a eficiência operacional, além de garantir uma estrutura de atendimento de vanguarda.”, explica Cesar Folle, Acionista Controlador e CEO.

Vale ressaltar que a aquisição da Staples Brasil está de acordo com um dos pilares do plano estratégico “Staples 20/20”, anunciado em maio de 2016, pela Staples Inc., que decidiu concentrar seus esforços na América do Norte. Desde então, a matriz norte-americana vinha buscando – com planejamento e sucesso – alternativas para suas operações internacionais. Após concluir a venda da participação majoritária das atividades europeias e da venda total da Staples Austrália-Nova Zelândia, em 16 de maio de 2017, a Staples Inc. informou que começava a buscar por novos investidores para as demais operações internacionais (América do Sul e Ásia). Poucos meses depois, em setembro do mesmo ano, a Sycamore Partnerts concluiu a aquisição total da própria Staples Inc.

A Staples Brasil segue ainda mais otimista e antevê a chegada de novos investimentos. “Nos últimos meses, estudamos tranquilamente diferentes ofertas e possibilidades. Entrar para uma holding focada em suprimentos para o mercado corporativo nos fortalece ainda mais. O horizonte é promissor e estamos prontos para consolidar uma fase de sucesso e iniciar um novo e feliz capítulo da nossa hA?¸?U?À?????????istória no país”, comemora João Paulo Delbucio Amadio, Country Manager da Staples Brasil.

Líder nacional

Por meio de uma atuação concatenada, Br Supply, Korpex e Staples Brasil estarão focadas no desenvolvimento comercial consultivo, com o objetivo de agregar valor e construir relações de longo prazo, próximas e aderentes às necessidades do cliente. Juntas, as três marcas atendem empresas de todos os portes, destacando-se: Ambev, Amil, BRF, Br Malls, Coca-Cola, DPSP, Fast Shop, G4S, HP, ISS, Itaú BBA, Klabin, Kroton, Pão de Açúcar, Pernambucanas, Raia Drogasil, Sicredi, Simpress, Sodexo, TIM, Vale, VIVO e Votorantin, entre outras.

As empresas do grupo

Br Supply – A Br Supply foi fundada em 2007 para atender o mercado corporativo de suprimentos. Desde então, vem transformando o modelo de gestão de Suprimentos Indiretos do Brasil e crescendo, ano após ano, na faixa dos 30%. Com atuação nacional, mix com 10 mil itens, fornece um portal de compras online integrado ao ERP dos clientes. O modelo de negócio da Br Supply é inovador e aderente à complexidade operacional das grandes companhias.

Korpex – A Korpex foi adquirida do Grupo Rio Branco Papéis em novembro de 2017. É uma marca reconhecida no fornecimento de materiais de escritório e suprimentos de informática. Distribuidora oficial Chamex para o Sudeste, com mais de 20 anos de história, está consolidada no mercado de médias e grandes empresas. Com logística rápida e eficiente, possui um mix de marcas reconhecidas no mercado.

Staples – Fundada em 1986, nos Estados Unidos, a Staples chegou ao Brasil, em 2005, trazendo um modelo de negócio capaz de se adequar às demandas de empresas de diferentes portes para garantir. Por meio de sua moderna plataforma de e-commerce, atende a base da pirâmide do consumo corporativo com programas de relacionamento customizados por tamanho de empresa, por meio dos quais pequenas, médias até grandes corporações possuem um atendimento online parametrizado.

Laboratório EUROIMMUN investe R$ 12 milhões em unidade no Brasil

O Laboratório EUROIMMUN, líder mundial em diagnóstico autoimune e pioneira no Brasil a fornecer exames de Zika, Dengue e Chikungunya, abrirá sua unidade fabril na cidade de São Caetano do Sul, em São Paulo, em março. Para a instalação foi investido um total de R$ 12 milhões em infraestrutura de ponta.

Entre os convidados para a inauguração estão os maiores laboratórios do país, autoridades políticas e militares, além da alta gestão global EUROIMMUN e PerkinElmer. Com a instalação da nova unidade a empresa pretende replicar a mesma estrutura da matriz alemã que hoje atende mundialmente a confecção e distribuição dos kits para diagnóstico médico laboratorial e conta com uma estrutura de ponta, equipamentos e tecnologia de última geração.

“O compromisso da EUROIMMUN com diagnósticos em alto nível, inovação e pioneirismo em tecnologia é reafirmado com a introdução da unidade fabril no país”, diz Gustavo Janaudis, CEO da EUROIMMUN Brasil.

Entre as inovações, o Brasil passará a fabricar os “BIOCHIPs”, uma tecnologia avançada para testes de diagnóstico que permite a miniaturização extrema para a combinação de mais de 30 tecidos diferentes, substratos celulares e antígenos purificados, uma técnica ágil que evita o desperdício do material e garante maior rapidez na realização dos exames.

Assumindo o processo nacional como um todo, a empresa pretende otimizar a gestão de estoque que garante o abastecimento ininterrupto, aumenta sua demanda e sua capacidade produtiva para suportar as necessidades do mercado. O local contará com Laboratório de Referência, Instituto de Imunologia Experimental e Centro de Treinamento LATAM.

Em relação às patentes registradas pela marca houve um crescimento expressivo comparado aos anos anteriores. A EUROIMMUN AG (Alemanha) submeteu mais 31 pedidos de patentes em 2017. As aplicações dessas patentes referem-se a desenvolvimentos de equipamentos e processos, bem como novos antígenos para o diagnóstico de doenças autoimunes.

A EUROIMMUN Brasil teve uma grande quantidade de registros deferidos em 2017, entre eles: HPV, Treponema pallidum no líquor (neurosífilis), Intolerância alimentar, Miastenia gravis, Leishmaniose, Tau-fosforilada para o diagnóstico da Doença de Alzheimer, hormônio anti-mulleriano para fertilidade feminina, entre outros.

Para 2018 a empresa pretende registar junto à ANVISA diagnóstico para Brucelose, Hantavírus, Schistosoma mansoni por ELISA e outros que estão em planejamento. Além do diagnóstico humano, a empresa está iniciando no mercado veterinário com kits diagnósticos para brucelose, leishmaniose, toxoplasmose e doença autoimunes.

Seal Telecom inaugura unidade de negócios comandada por Fátima Silano

São Paulo – Depois de identificar a necessidade de uma solução integrada de sistemas de gerenciamento que atendesse diversos portes de projetos de integração e infraestrutura, a Seal Telecom – integradora de soluções customizáveis, que agrega tecnologias inovadoras para o desenvolvimento de projetos eficientes e viáveis economicamente – anuncia a Building Information, uma nova divisão da empresa que oferecerá soluções de engenharia com utilização de tecnologias abertas voltadas para o segmento de automação predial e segurança utilizando a concepção da Internet das Coisas.

“Identificamos um déficit no mercado brasileiro em relação a utilização de tecnologias mais modernas como o IoT, na implantação e gestão de soluções de automação predial aplicados em edifícios comerciais triple A, educação, shoppings, museus e hospitais, além de edifícios residenciais de alto padrão. Assim, nosso objetivo é oferecer aos clientes mais facilidade na operação, manutenção e gestão inteligente desses empreendimentos, a fim de auxiliar a otimização de custos e contribuir para o desenvolvimento de organizações mais sustentáveis”, ressalta Fátima Silano, diretora da Building Information.

As soluções oferecidas pela nova área são automação predial, sistema de detecção e alarme de incêndio (SDAI), circuito fechado de televisão (CFTV), controle de acesso, áudio e vídeo, e sistemas de operação e manutenções preventivas e preditivas inteligentes. Por meio delas, será possível garantir aos usuários flexibilidade e qualidade não apenas na implementação das soluções, como também nos serviços de operação, de modo que o empreendimento possa ser administrado remotamente por gerenciadores e especialistas, permitindo assim mais agilidade e tomada de decisões mais assertivas.

“Acreditamos que 2018 será um ótimo ano para consolidar ainda mais a integração da engenharia de aplicação e o mercado de TI. Já percebemos que os novos empreendimentos, cada vez mais, buscam oferecer uma gestão inteligente, com base em mais eficiência energética e modernização de seus serviços. Nós chegamos para disponibilizar soluções customizadas, de acordo com a necessidade de cada cliente, oferecendo o melhor custo benefício e aumentando assim a vida útil dos sistemas implementados”, revela a executiva.

A Building Information é uma nova divisão da Seal Telecom, que chega para intensificar as soluções oferecidas pela companhia e promover as melhores experiências e resultados aos seus clientes. A nova área conta com uma equipe altamente especializada e capacitada para atender e desenvolver projetos, comandada pela Fátima Silano, executiva com mais de 30 anos de experiência nesse mercado.

Schneider Electric investe em realidade aumentada no Brasil

A Schneider Electric acaba de lançar no Brasil seu novo software de realidade aumentada: o EcoStruxure Augmented Operator Advisor. A solução permite uma fusão do ambiente físico com objetos virtuais em painéis e sistemas de automação, dando a operadores e técnicos acesso imediato às informações relevantes no ambiente predial e industrial.

Alguns dos principais benefícios de se utilizar a tecnologia de realidade aumentada de última geração incluem:

Tempo de parada reduzido: os operadores podem abrir virtualmente as portas de painéis elétricos e de automação.
Manutenção mais rápida: é possível encontrar informações de modo mais rápido, com acesso imediato aos manuais do usuário, às instruções, aos diagramas, etc.
Redução de erro humano: em caso de falha, é possível localizar o equipamento certo e guiar os operadores, passo a passo, para concluir os procedimentos de manutenção.

O EcoStruxure Augmented Operator Advisor pode ser utilizado em diversas aplicações:

Diante do maquinário: o software oferece acesso imediato às informações relevantes no campo.
Diante de um painel elétrico: permite “abrir” portas de gabinetes elétricos virtualmente.
Dentro e fora de um edifício ou complexo industrial: oferece visões simultâneas de realidade e dados para dispositivos móveis.

Sua interface dá acesso às informações de dados de Controladores Programáveis, documentos, rótulos/labels, variáveis de processo, banco de dados SQL, diagramas elétricos abertos, páginas web, instruções, notas e vídeos.

A arquitetura aberta plug and play funciona em tablets (iOS, Android e Windows) e fornece acesso a controladores e dispositivos IoT inteligentes (Schneider Electric e de concorrentes) por meio do sistema.

Ao viabilizar a disponibilidade imediata de informações importantes no campo, o EcoStruxureTM Augmented Operator Advisor aumenta a eficiência e reduz o tempo e custo das operações e de manutenção.

Anatel diz não à prorrogação para operação de satélite da Eutelsat

O Conselho Diretor da Anatel negou na quinta-feira, 22, pedido de prorrogação do prazo de entrada em operação de satélite da Eutelsat referente ao direito de exploração de satélite na posição orbital 69,45°W.

A Eutelsat argumentou que o motivo do atraso foi a grave situação econômica do país, se tratar de situação de força maior ou caso fortuito e defendeu a teoria da imprevisão e alegou a possibilidade de desequilíbrio econômico financeiro do contrato. A empresa solicitou o adiamento da entrada em orbita do satélite para 23 de novembro de 2020.

O Conselho decidiu negar o pedido de prorrogação da Eutelsat e determinou à Superintendência de Na ocasião, o Conselho ainda aprovou, por unanimidade, a realização de consulta pública de 45 dias sobre reavaliação do modelo de gestão do espectroe Recursos à Prestação que realize chamamento público para novos interessados. Informações se encontram no processo 53508.006639/2016-20.

Na ocasião, o Conselho ainda aprovou, por unanimidade, a realização de consulta pública de 45 dias sobre reavaliação do modelo de gestão do espectro. Essa mudança tem impacto direto na faixa dos 700 MHz, destinada à banda larga. O tema foi item da Agenda Regulatória.

A reavaliação tem o objetivo de promover a modernização dos processos, tornando sua gestão mais eficiente, promovendo maior acesso e massificação dos serviços.

A reestruturação vai promover a simplificação do processo de regulamentação técnica; pautar a atuação internacional, elaborar um marco regulatório para sistema do serviço móvel, celebrar acordos bilaterais ou multilaterais com países vizinhos para evitar interferências e terceirizar progressivamente a coordenação do espectro. A proposta é colocar dois limites: um até 1 GHz e outro entre 1 e 3 GHz.

A proposta do conselheiro relator, Otávio Rodrigues, prevê o uso do espectro de forma ampla e democrática, reserva para uso não exclusivo faixas em certas regiões para prover serviços de comunicação social e comunitário com fins culturais, científicos ou educativos, sem fins de lucro; mecanismo regulatório para mudança de caráter de uso em casos de ineficiência; formas inovadoras de se autorizar o uso do espectro a um número limitado de usuários obedecendo a regras de compartilhamento e controle da ocupação por operadoras comerciais de faixas que dispensam autorização de uso por meio de agregação a portadoras situadas em outras faixas.

Parks entra no mercado M2M e Internet das Coisas

A gaúcha Parks lança um Mini Card Modem Wireless para aplicações Machine to Machine (M2M) desenvolvido com tecnologia nacional, integrado a um módulo 3G ou 4G da Sierra Wireless. O equipamento é indicado para qualquer empresa que necessite de comunicação máquina a máquina, bem como aplicações de Internet das Coisas, em ambientes não cobertos por rede WiFi.

Mesmo em redes Wi-Fi, o Mini Card Modem Wireless Parks provê sinal quando a rede principal cai. Mas o principal benefício está na tecnologia nacional utilizada no produto.

O gerente da unidade de EMS – Manufatura Eletrônica e IoT da Parks, Gino Damiani, explica que, tradicionalmente, usuários do Brasil importam o produto.

No caso do Mini Card Modem Wireless Parks, o produto é 100% industrializado no Brasil, sendo os módulos 3G/4G da Sierra fabricados em MG e o produto final industrializado na Parks em sua fábrica localizada em Cachoeirinha-RS.

Com possibilidade de integração com modem Sierra 4G, mas dependendo da infraestrutura para esta faixa de tecnologia, o Mini Card Modem Wireless Parks também pode vir em opções com ou sem GPS/GLONASS.

A Parks tem meta de de vender 10 mil peças do produto no primeiro ano de comercialização.