Delivery de comida saudável faz sucesso em Curitiba

Curitiba – Manter uma alimentação saudável não é uma tarefa das mais fáceis, ainda mais quando estamos na correria do dia a dia, por isso, para facilitar a vida de quem quer ter mais saúde, sem abrir mão do sabor e da qualidade é que o Verd & Co., restaurante curitibano especializado em comida saudável e criativa, iniciou no ano passado os serviços de delivery: o Deliverd.

O objetivo do serviço é oferecer aos clientes ainda mais comodidade e praticidade. “Na correria do dia a dia acabamos optando pela opção mais fácil na hora de se alimentar, mas nem sempre essa opção é a melhor ou a mais saudável. Foi pensando em tudo isso que surgiu o Deliverd, para oferecer comida saborosa e de qualidade onde o nosso cliente estiver”, explica Deyse Oppitz, sócia do estabelecimento.

As entregas do Verd & Co. funcionam de segunda a sábado, das 11h30 às 15h e das 18h30 às 22h30. O cliente pode pedir qualquer uma das opções saudáveis por meio do delivery: saladas, sucos prensados a frio, sanduíches, sobremesas, pizzas e, também, o prato do dia.

O Deliverd atende os bairros Água Verde, Alto da Glória, Alto da Rua XV, Batel, Bigorrilho, Campina do Siqueira, Centro, Centro Cívico, Mercês, Mossunguê, Rebouças, Seminário, Vila Izabel, São Francisco, Santa Quitéria e Portão. Os valores de entrega variam entre R$7 e R$13. Além da opção exclusiva, o Verd & Co. também disponibiliza seu cardápio no aplicativo Ifood.

Exportações de móveis caem em abril

Após sequência de crescimento, o setor de exportações de móveis nacional teve queda de 9,2% em abril, com US$ 51,6 milhões contra os US$ 56,9 milhões alcançados em março deste ano.

Segundo dados do IEMI, desenvolvidos com base nas informações do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior – MDIC, os países destinos são Estados Unidos, com 23,8%, Reino Unido, 11,7%, Argentina, 9,7%, Uruguai, Chile, 7,1%, e Uruguai, 6,5%.

No Rio Grande do Sul a redução foi ainda mais expressiva, cerca de 20,1%. Dos US$ 16,7 milhões atingidos anteriormente, passou para US$ 13,3 milhões em abril.

O Estado ocupa o segundo lugar no ranking nacional dos que mais exportam, com 25,9%. Santa Catarina lidera com 34,8%, em terceiro está o Paraná, 16,3%, seguido por São Paulo, 14,5%, e Minas Gerais, 4%.

Os resultados do quadrimestre são um pouco melhores do que os alcançados no ano passado. De janeiro a abril de 2017, as exportações obtiveram US$ 192,6 milhões, alta de 7,1%. A expectativa é de que – no decorrer do ano – hajam melhoras, tanto nos números mensais quanto no acumulado.

Google seleciona quatro startups brasileiras para programa de aceleração no Vale do Silício

São Paulo – O Google anunciou hoje as startups selecionadas para a quarta edição do Launchpad Accelerator, programa para impulsionar projetos para que se tornem uma referência de qualidade e sejam relevantes em escala global. O programa de seis meses tem início em julho de 2017, em um intensivo de duas semanas no novo espaço do Google para startups em São Francisco junto à empreendedores da América Latina, Ásia, África e Europa.

Startups brasileiras:

Arquivei: Arquivei fornece plataforma de armazenamento, organização e consulta de informações de notas fiscais.

Contabilizei: Contabilizei é uma plataforma de contabilidade para micro e pequenas empresários dos setores de serviços e comércio, que oferece um serviço ágil, eficiente e inovador que reduz a burocracia e aumenta o controle para PMEs.

Contratado.ME: A plataforma que coloca os candidatos no centro da sua procura de emprego.

Guiche Virtual: Guiche Virtual é a plataforma independente líder na venda de passagens de ônibus online.

O programa inclui mentoria intensiva de engenheiros e gerentes de produto do Google, e outros mentores das principais empresas de tecnologia e venture capital do Vale do Silício. Os participantes recebem 50 mil dólares de apoio sem contrapartida do Google, 100 mil dólares de créditos para a compra de produtos Google e acesso contínuo aos experts e recursos do Google durante os 6 meses de programa.

No total, quanto já foi investido em startups brasileiras pelo Launchpad Accelerator?

Com as quatro primeiras classes, o impacto do programa no Brasil chega à 24 startups. Isso representa um investimento total de mais de um milhão e duzentos mil dólares (1,2 mi) em capital semente. Além disso, as startups selecionadas receberam o equivalente a dois milhões e quatrocentos mil de dólares em créditos para gastar com produtos de Cloud do Google.

As três primeiras turmas do programa contaram com: AgroSmart, AppProva, BankFacil, Cuponeria, Delivery Direto, Dog Hero, Edools,Elo7, Emprego Ligado, GetNinjas, Hand Talk, Love Mondays, Mobills, Meus Pedidos, Portal Telemedicina, ProDeaf, Qranio, QuintoAndar, SuperPlayer e UpBeat Games.

A lista completa das startups selecionadas está neste blog post:
https://developers.googleblog.com/2017/05/announcing-fourth-class-of-launchpad.html

SulAmérica unifica canais de atendimento e inicia projeto de transformação digital

A Salesforce anuncia que a seguradora SulAmérica adotou sua plataforma para uma estratégia de transformação digital. O objetivo é promover uma relação ainda mais próxima com seus 7 milhões de clientes e também com os mais de 30 mil corretores parceiros da seguradora em todo o país.

A iniciativa, em fase de implementação, tem transformado a experiência do cliente e dos parceiros a partir da integração dos canais de atendimento (ominichannel).

As soluções adotadas pela SulAmérica foram: Service Cloud, para gerir de forma integrada as solicitações dos clientes por diversos canais de atendimento; Sales Cloud, para gerenciar os relacionamentos comerciais com clientes corporativos; Force.com, plataforma de desenvolvimento da Salesforce que transforma ideias de negócios em aplicativos inteligentes, utilizada pela seguradora para gerenciar processos críticos por meio de fluxos de trabalhos de forma ágil; e Community Cloud, para criar portais para os fornecedores e prestadores de serviço.

Com a adoção, a inovação contínua da plataforma da Salesforce se soma à busca da SulAmérica em superar as expectativas dos clientes, o que leva a prover um serviço melhor mesmo diante de um grande volume de chamados. Em 2016, a SulAmérica recebeu 7,9 milhões de ligações telefônicas no SAC e teve 1,5 milhão de interações via chat. A SulAmérica começou a utilizar Salesforce em 2015 e foi expandindo o uso dos recursos da plataforma. Atualmente, já integra o canal Live Agent (Chat) ao app móvel SulAmérica Saúde.

Setor farmacêutico está atrasado na transformação digital, aponta estudo

Metade das indústrias pode ser inteligente até o final de 2022. No entanto, pouco mais de um terço (37%) das empresas de ciências da vida e farmacêuticas estão alavancando a tecnologia digital em busca de um modelo de negócio disruptivo, conclui estudo feito pela Capgemin.

Segundo o estudo a pedra estrutural da “Revolução Digital Industrial”, conduzido pelo Instituto de Transformação Digital da Capgemini, uma fábrica inteligente faz uso de tecnologias digitais, como IoT (Internet das Coisas), big data analytics (análise inteligente de dados), inteligência artificial e robótica avançada, para aumentar produtividade, eficiência e flexibilidade.

Os recursos da fábrica inteligente incluem robôs colaborativos, trabalhadores que usam componentes de realidade aumentada e máquinas que enviam alertas quando precisam de manutenção.

A pesquisa, que foi realizada de fevereiro a março de 2017, entrevistou mil executivos que ocupam o cargo de diretoria para cima em empresas de manufatura com uma receita de mais de US$ 1 bilhão ao ano. A pesquisa foi conduzida em seis setores: manufatura industrial, automotivo e transporte, energia e utilities, aeroespacial e defesa, ciências da vida e produtos farmacêuticos e bens de consumo. Diretores da Alemanha, China, Estados Unidos, França, Índia, Itália, Reino Unido e Suécia responderam entrevistas qualitativas e quantitativas.

Hometeka e Pinterest fazem parceria

A Hometeka, marketplace especializado em objetos de decoração e design, e o Pinterest, catálogo mundial de ideias, unem suas expertises e trazem parceria inédita ao Brasil, que tem o objetivo de transformar Pins em realidade.

Os apaixonados por decoração, design e arquitetura, por meio do link: http://www.hometeka.com.br/loja/pinterest/, inicialmente devem fazer login. Em seguida, de acordo com as suas pastas e Pins, a Hometeka sugere produtos que combinam com você e que podem ser comprados no site da marca.

O Pinterest é uma ferramenta para o design e para a vida. Sua missão é ajudar as pessoas a descobrirem e fazerem o que gostam. Com mais de 100 bilhões de ideias salvas por mais de 150 milhões de pessoas em todo o mundo, o Pinterest está alimentando o mecanismo de descoberta visual que ajuda as pessoas a encontrarem inspiração para o dia a dia e para momentos marcantes da vida, como a decoração da casa.

Conforme Leandro Araújo, Sócio-fundador da Hometeka, a ideia é usar a tecnologia para transformar desejos e ideias em vida real. “Na Hometeka gostamos de estimular o novo, muito mais que vender peças de decoração e design, queremos antecipar tendências e trazer novidades para os nossos clientes”, explica Araújo.

“Com essa parceria, a Hometeka está inovando em como as pessoas descobrem novas ideias de decoração e as tornam realidade. O Pinterest representa cerca de 60% do tráfego social para a Hometeka, o que mostra bastante afinidade com o nosso público, além de decoração ser uma das principais categorias do Pinterest com 11 bilhões de Pins salvos em todo o mundo”, comenta Mariana Sensini, diretora de Parcerias do Pinterest Brasil.

Aumento da exportação impulsiona contratação na Scania

São Paulo – Desde 2014, quando avistou o desaquecimento no mercado brasileiro, a Scania se voltou às exportações. “Como temos um produto global e fábricas padronizadas em todo o mundo foi possível direcionar nosso volume para atender a demanda de outros países”, conta Marcelo Gallão, vice-presidente de Logística da Scania Latin America. “O aumento de pedidos na Europa também colaborou para que trouxéssemos novos clientes externos para a produção de São Bernardo do Campo e agora, esse cenário permitiu a contratação de colaboradores, aproximadamente 500”, diz o executivo.

Historicamente, o mercado interno representava 70% da produção na planta do ABC, 30% eram destinados para exportação, “Essa proporção foi invertida. Mas os níveis não correspondem aos mesmos, quando por exemplo, em 2013, o Brasil bateu recorde de emplacamentos no País”, afirma Marcelo. Apesar de os volumes não serem equivalentes, foi graças a flexibilidade do seu sistema de produção que a fabricante sueca atravessou a crise e hoje atende cerca de 30 países na América Latina, Oriente Médio, África e Ásia.

“Esse direcionamento externo também nos coloca desafios. Pela primeira vez, por exemplo, vamos exportar cabinas para a nossa fábrica na Holanda, onde o caminhão será montado”, conta o vice-presidente de Logística da Scania Latin America. Além de todo o cuidado com a qualidade do produto, a maior preocupação é a garantia do tempo para entrega do veículo para o cliente final. “Temos uma Organização preparada, bem estruturada e desenvolvida para atender às exportações, mas esse é o tipo de atividade que tem uma interdependência muito grande com infraestrutura e processos externos, o que exige que o Brasil também esteja atendo e garanta a previsibilidade e a celeridade de seus trâmites”, ressalta Marcelo.

Segundo o executivo da Scania, as contratações serão, na sua maior parte, para o trabalho na fábrica e estão ligadas diretamente ao volume nos mercados externos. “Esperamos ter os novos colaboradores até o final de maio e para atender a demanda vamos também aumentar os turnos de produção”, diz.

Investimento – Para manter a fábrica de São Bernardo do Campo (SP) um espelho da linha de produção da Scania na Suécia (sede do Grupo) e replicar o padrão global é preciso garantir investimento constante na atualização do parque industrial do ABC paulista. “Recentemente anunciamos o aporte de R$ 2,6 bilhões na operação brasileira até 2020. Isso faz com que subsidiária tenha uma linha global de produtos para exportar a todos os mercados onde a Scania está presente no mundo – inclusive os mais exigentes. Nos últimos anos fomos, por exemplo, acionados para exportar a países como Rússia, Irã, Malásia e Índia – antes atendidos por linhas da matriz, que agora estão sobrecarregadas”, conta Marcelo Gallão.