Colheita do trigo começa no Paraná e chuva pode atrapalhar, diz Deral

A colheita da safra de trigo começou oficialmente no Paraná e já pode ser prejudicada pelas chuvas, que voltaram a ocorrer nesta semana após dois meses de uma estiagem comprometedora para o potencial produtivo das lavouras do Estado, principal produtor nacional.

“Se as chuvas forem esparsas e na semana que vem o clima estiver seco, tudo bem. Mas, se ficar nublado, a planta não vai secar, o que atrapalharia a colheita”, explicou o agrônomo Carlos Hugo Godinho, do Departamento de Economia Rural (Deral), vinculado à Secretaria de Agricultura do Estado.

Emprega São Paulo/Mais Emprego oferece 4.793 vagas no Estado

São Paulo – O programa Emprega São Paulo/Mais Emprego, agência de empregos pública e gratuita gerenciada pela Secretaria do Emprego e Relações do Trabalho (SERT), em parceria com o Ministério do Trabalho e Emprego (MTE), oferece nesta semana 4.793 oportunidades em todo o Estado de São Paulo.

Entre as mais ofertadas estão às oportunidades para atendente de lanchonete, operador de telemarketing receptivo, auxiliar de limpeza, operador de linha de produção e vendedor.

Aprendiz Paulista

Programa coordenado pela SERT, para promover a vivência e inserir os alunos dos cursos técnicos do Centro Paula Souza (ETECs) no mercado de trabalho, divulga nessa semana 41 vagas.

Como se cadastrar

Para ter acesso às vagas e aos programas de qualificação da SERT, basta acessar o site http://www.empregasaopaulo.sp.gov.br, criar login, senha e informar os dados solicitados. Outra opção é comparecer a um Posto de Atendimento ao Trabalhador (PAT) com RG, CPF, PIS e Carteira de Trabalho.

Câmara aprova projeto que libera usuário de contratação de provedor de Internet

A Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania aprovou na quarta-feira,16,, em caráter conclusivo, proposta que coloca na lei a proibição de cobrança, pela empresa de acesso à internet, de serviço de provedor. Esse serviço, segundo o texto, deverá ser oferecido gratuitamente pela empresa que prestar o serviço de conexão à internet em banda larga.

Desde 2013, a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) já determinou o fim da cobrança obrigatória de provedor em serviços de internet rápida ADSL, já que o serviço é prestado pela operadora de telefonia. No caso das conexões via cabo, já não existia exigência.

A medida está prevista no Projeto de Lei 3076/04, do deputado Lobbe Neto (PSDB-SP), que coloca a determinação em lei, não em norma da Anatel. A proposta busca legalizar decisões judiciais que já derrubaram a obrigatoriedade do pagamento de provedor da internet. A proposta também autoriza concessionárias do Serviço Telefônico Fixo Comutado a prestar serviços de valor adicionado tais como o provimento de acesso à rede mundial de computadores.

Já aprovado na Comissão de Ciência e Tecnologia, Comunicação e Informática, o projeto recebeu parecer do deputado Covatti Filho (PP-RS), pela constitucionalidade, juridicidade e técnica legislativa, com emenda de redação. Agora, segue para o Senado.

O projeto tramitou apensado ao Projeto de Lei 6382/09, do Senado, que reduz o valor das tarifas telefônicas nos municípios que não possuem provedores locais de acesso à internet. O texto principal recebeu parecer pela constitucionalidade, juridicidade e técnica legislativa na CCJ, mas já havia sido rejeitado na comissão de mérito – a Comissão de Ciência e Tecnologia, assim como outros projetos apensados ( PLs 4422/08, 5387/13, e 198/03). Com informações da Agência Câmara.

Consultoria prevê aumento de 18% nas contratações para o Natal

São Paulo – Os levantamentos recentes sinalizam uma melhora no quadro empregatício. Na Luandre, maior consultoria de RH do país, também há otimismo. As vagas de temporários para o final de ano já são maiores que no mesmo período do ano passado. “O mercado se mantém em aquecimento e a nossa expectativa é crescer 18% em relação a 2016 em número de vagas temporárias para o final de ano”, afirma Fernando Medina, diretor de operações da Luandre.

As primeiras contratações de temporários para a indústria, começaram na segunda quinzena de junho, quando foram disponibilizadas vagas para demanda de final de ano. Espera-se um aumento de até 18% de vagas temporárias para Natal — tanto para indústria quanto para varejo — em relação ao ano passado. Atualmente, ao todo, a Luandre tem 500 vagas temporárias para a indústria e logística.

O levantamento do Cadastro Geral de Empregado e Desempregados (Caged), divulgado em julho, identificou que foram criadas mais de 67 mil vagas formais de trabalho, ou seja, o primeiro resultado positivo referente à criação de empregos no Brasil desde 2014 – 7.523.289 contratações nos primeiros seis meses de 2017 contra 7.455.931 demissões.

O Índice Antecedente de Emprego (IAEmp) da Fundação Getúlio Vargas, outro indicador importante de criação de empregos no Brasil, apresentou um patamar positivo demostrando otimismo ao mesmo tempo que o Índice Coincidente de Desemprego (ICD) apresentou forte retração nos últimos meses, indicando alguma percepção de melhora na margem no mercado de trabalho. De acordo com Fernando de Holanda Barbosa Filho, Economista da FGV/IBRE a expectativa de melhora nos próximos meses deve continuar enquanto o Bacen estiver reduzindo a taxa de juros, o que deve estimular a economia ao longo do ano. No entanto, a melhoria da situação atual no mercado de trabalho ainda devem ser lenta.

Lenta, porém gradual e em linha ascendente diz Fernando Medina, diretor de Operações da Luandre. “Historicamente as contratações começam em agosto e em setembro. Em 2017, porém, notamos um mercado bem mais confiante sim. A indústria começou a contratação mais cedo, em junho”, conta o executivo.

Mineração brasileira tem novas regras e tributação sobe

A reforma do código da mineração, proposta e divulgada pelo Governo Federal na terça-feira, 25 de julho, vai deixar mais cara a atividade extração mineral no Brasil. Além de alterar uma série de regras, as mudanças mexem também na base de cálculo e nas alíquotas da cobrança de royalties, repasse destinado ao governo pelo direito de exploração de minas. De acordo com especialistas da Chiavini & Santos – Consultoria em Mineração, de Itapeva (SP), as mineradoras vão precisar se preparar para o aumento de tributos.

Uma das principais mudanças anunciadas que vai mexer diretamente no bolso do minerador é a alteração no tributo de Compensação Financeira pela Exploração Mineral (CFEM), valor pago por todas as empresas que atuam no setor. As regras do imposto passam a valer em novembro deste ano. A engenheira de minas e consultora da C&S, Olga Regina Araújo Soares, explica que o aumento das alíquotas pode afetar principalmente as empresas que exploram minerais com menor valor agregado. “Avaliando pelo ponto de vista dos empresários, as medidas pretendem reduzir a burocracia, ao mesmo tempo em que aumentam significativamente os valores das alíquotas cobradas”, diz.

Para Olga, as novas medidas podem dificultar a vida dos pequenos empreendedores. “Será ainda mais difícil que uma empresa de menor porte consiga competir com as grandes empresas de mineração. Os processos serão agilizados e as áreas em disponibilidade serão leiloadas em lotes”, explica.

Com as novas regras, o Governo Federal vai aumentar a arrecadação cobrando a CFEM sobre a receita bruta das mineradoras, e não pelo faturamento líquido, como é procedido atualmente. “Hoje os mineradores pagam o tributo descontando parte dos custos de produção. A partir do momento que esse imposto passa a ser baseado na receita bruta, o valor que vai para os cofres públicos aumenta”, alerta Olga.

Produtos comercializados para indústrias, como o calcário, filito, entre outros, podem ficar mais caros com as novas determinações. Os produtos utilizados na construção civil não devem sofrer aumento. Segundo o Ministério de Minas e Energia, que editou a medida provisória, nada muda em relação à divisão dos recursos recolhidos das mineradoras aos entes federativos. A União continua a receber 12% do valor, os estados 23% e os municípios 65% do total recolhido. Ainda de acordo com informações do Ministério, a nova forma de cobrança trará mais segurança jurídica à cobrança, e evitará gastos com ações judiciais.

Leis alteradas

Medida Provisória n° 789, de 25 de julho de 2017 – altera alíquotas e formas de cobrança da Compensação Financeira pela Exploração de Recursos Minerais – CFEM. (Diário Oficial da União, Atos do Poder Executivo, Seção 1, página 1)

Medida Provisória n° 790, de 25 de julho de 2017 – dispõe sobre regime especial para exploração e aproveitamento das substâncias minerais que especifica e dá outras providências alterando o Código de Mineração e a Lei n° 6.567 de 24 de setembro de 1978.

(Diário Oficial da União, Atos do Poder Executivo, Seção 1, página 3)

Medida Provisória n° 791, de 25 de julho de 2017 – cria a Agência Nacional de Mineração e extingue o Departamento Nacional de Produção Mineral. (Diário Oficial da União, Atos do Poder Executivo, Seção 1, página 4)

Portaria n° 70.590, de 25 de julho de 2017 – altera a Consolidação Normativa do Departamento Nacional de Produção Mineral, Portaria n° 155 de 12 de maio de 2016, e dá outras providências. (Diário Oficial da União, Ministério de Minas e Energia, Seção 1, página 149)

Professor da FGV analisa papel da inteligência artificial no mercado de trabalho

Para o coordenador acadêmico do MBA em Marketing Digital e do Post-MBA em Digital Business da FGV, André Miceli, a aniquilação da humanidade pelos robôs (chatbots) pode não acontecer, mas a sociedade deve ficar atenta. O problema está em como lidar com IA diante da miniaturização dos robôs e ampliação da capacidade de aprendizado nos últimos anos.

“Nesse processo, os bots deixaram de ser usados apenas para atividades físicas e passaram para as intelectuais”, diz o professor. “Esse movimento trará grande impacto para as economias e deverá impulsionar a automação. Muitos profissionais serão substituídos por máquinas, em um processo de automação que está a poucos passos de ganhar uma escala que vai mexer com todos nós”, afirma o especialista.

Segundo André Miceli, a medicina pode ser uma das beneficiadas. “Muito provavelmente será possível checar uma radiografia ou exame de sangue logo após a coleta, e relacionar todos os testes com desdobramentos de doenças, até mesmo prevendo o que vai acontecer com o paciente no futuro”, acredita.

O professor da FGV, porém, salienta que o processo de transformação acelerada da automação também vai mudar a estrutura organizacional das empresas e desconstruir a relação milenar que temos com o trabalho.

Miceli cita o exemplo dos critérios usados pelos agentes “tomadores de decisões”. “Que tipo de decisão que a máquina vai tomar? Ela pode criar formas excludentes de tratamento, como a diminuição de mulheres em cargos específicos ou elaborar relatórios com discursos hegemônicos sobre determinado tema”, expõe Andre Miceli.

Por fim, o especialista afirma que será necessário pensarmos em alternativas econômicas, pelo simples fato de que não haverá emprego para todos nesse novo cenário que se aproxima.

Pernambuco foca no turismo de saúde

Pernambuco se prepara para viver um novo momento unindo dois segmentos fortes na economia local: a saúde e o turismo. A capital pernambucana é considerada o segundo maior polo médico do País, atrás apenas de São Paulo. A partir de uma iniciativa privada com o apoio público e de diversas instituições será lançado o “Pernambuco Healthcare”, o primeiro Cluster de Turismo de Saúde do Brasil. O lançamento acontece na próxima quinta-feira (17), às 17h, no Lounge da HospitalMED, no Centro de Convenções de Pernambuco.

A iniciativa é uma realização da Alianza Global Health Care com o Sindicato dos Hospitais de Pernambuco e o apoio da feira HospitalMED, da Federação Brasileira de Hospitais, do Recife Convention & Visitors Bureau, da ABAV-PE, da ABIH-PE, da Prefeitura do Recife e do Governo de Pernambuco. A plataforma será toda online disponível na versão português e inglês. A ideia é prospectar o turista de saúde, especialmente o internacional.

Na plataforma, o paciente poderá realizar buscas por pacote de procedimento como também poderá contratar serviços de transporte e lazer. O primeiro a integrar a iniciativa é o Real Hospital Português, considerado o maior complexo do Norte e Nordeste, que já dispõe de um Núcleo de Pacientes Internacionais e recentemente foi acreditado pela JCI.

De acordo com a CEO e fundadora da Alianza, Danielle Nogueira, o foco será na venda de pacotes para cirurgia plástica (o Brasil é o segundo país com mais intervenções no mundo) e tratamentos odontológicos (outra especialidade que o mundo já reconheceu a capacidade dos brasileiros). “A qualidade do corpo médico, os hospitais com padrão internacional e os preços competitivos são diferenciais para o sucesso do cluster”, acredita Danielle.

Danielle, que tem acompanhado as mais recentes pesquisas do setor, lembra que a expectativa é de que o turismo de saúde movimente mais de 439 bilhões de dólares no mundo com um crescimento esperado de até 25% ao ano nos próximos dez anos. Além disso, o Brasil tem, em média, um custo 40% inferior ao praticado em cirurgias plásticas no exterior.

Segundo a presidente do Recife Convention Bureau, Marta Freitas, a localização geográfica estratégica também deve estimular o turismo de saúde em Pernambuco. “O Recife tem uma privilegiada malha aérea com voos internacionais diretos para os Estados Unidos além de conectividade com várias outras cidades internacionais na Europa, África e América Latina. Além disso, temos como valor agregado o litoral de belas praias, a cultura e a gastronomia”, afirma.