Abertas inscrições para o Prêmio Rural Sustentável

Brasília – Estão abertas e vão até o dia 15 de outubro as inscrições gratuitas ao Prêmio Rural Sustentável – Sustentabilidade para o Desenvolvimento Rural. A premiação total atingirá R$ 450 mil, dividida entre as categorias previstas. A iniciativa é voltada aos beneficiários do Projeto Rural Sustentável com a finalidade de reconhecer e disseminar os exemplos de boas práticas e tecnologias aplicadas à agricultura de baixo carbono em Unidades Demonstrativas e Multiplicadoras cadastradas no Projeto com vista a promover o desenvolvimento e a redução da pobreza no meio rural.

Podem concorrer produtores, técnicos e instituições (ATERs) devidamente cadastrados no projeto que tenham Unidades Demonstrativas (UDs) e/ou Unidades Multiplicadoras (UMs) aprovadas. Na categoria de produtores e técnicos serão contempladas práticas, inovações tecnológicas ou gerenciais ou ações de regularização ambiental da propriedade com vistas à conservação dos recursos naturais, sejam florestais, hídricos, pedológicos, paisagísticos.

Os técnicos podem ainda concorrer nas categorias conservação, geração de trabalho e renda, experimentação, inclusão de gênero, além de envolvimento familiar e gênero. As ATERs (entidades) concorrerão nas subcategorias vinculação e continuação de políticas públicas e incentivo às práticas cooperativistas.

O objetivo do Projeto Rural Sustentável é melhorar a gestão da terra e das florestas por agricultores nos biomas Amazônia e Mata Atlântica, visando a conservação da biodiversidade e proteção do clima.

A divulgação dos resultados do Prêmio Rural Sustentável – Sustentabilidade para o Desenvolvimento Rural será publicado na página da internet: http://www.ruralsustentavel.org.br , no dia 30 de novembro de 2018.

Os prêmios recebidos deverão ser investidos em bens ou ações ligadas direta ou indiretamente na geração de renda e sustentabilidade no meio rural, considerando as peculiaridades locais. Deverá ser apresentado junto à inscrição do prêmio, a Proposta de Aplicação dos Recursos, que deverá conter o detalhamento de como o benefício será investido. A premiação será dada com recursos do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID).

O Prêmio é fruto de cooperação técnica, que tem como o executor e gestor financeiro o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID). A Cooperação Técnica é financiada pelo Fundo Internacional para o Clima (International Climate Fund – ICF) do Ministério da Agricultura do Governo Britânico (DEFRA) tendo como parceiro o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa).

O IABS (Instituto Brasileiro de Desenvolvimento e Sustentabilidade) é a instituição que realiza os serviços de execução e operacionalização de atividades administrativas e logísticas do projeto.

Anúncios

CPqD realiza em outubro encontro de ecossistema de IoT

Promover a evolução do ecossistema de Internet das Coisas no Brasil, conectando os vários atores desse universo, e apresentar visões de futuro sobre os avanços tecnológicos nessa área. Esses são os principais objetivos do dojot IoT day, evento que terá sua segunda edição no dia 3 de outubro, nas instalações do CPqD, em Campinas.

“Vamos trazer especialistas de vários setores para debater assuntos importantes relacionados a IoT, como é o caso da Lei Geral de Proteção de Dados e a tecnologia Blockchain”, destaca Maurício Casotti, responsável de marketing da plataforma aberta dojot – que foi desenvolvida pelo CPqD com a finalidade de acelerar a criação de aplicações de Internet das Coisas no país. “Teremos também a apresentação de vários cases de IoT no Brasil, em áreas distintas”, acrescenta.

A cerimônia de abertura do evento, marcada para as 9 horas, contará com a presença de Maximiliano Martinhão, secretário de Desenvolvimento Tecnológico e Inovação do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC). Em seguida, Ramon Alberto dos Santos, do escritório Pereira Neto/Macedo Advogados, fará uma palestra sobre o tema Lei Geral de Proteção de Dados – Qual o impacto no Brasil.

Às 9h45, terá início o primeiro painel, que debaterá o potencial de IoT e Blockchain. O segundo painel do evento está programado para as 12h30 e abordará o assunto Desafios para alavancar negócios em IoT. À tarde, será realizado o terceiro painel do dojot IoT day, com o tema Desafios e oportunidades com software open source e inovação aberta.

A programação inclui ainda várias palestras com apresentações de exemplos reais de IoT no país. Werter Padilha, da empresa Taggen, falará de casos nas áreas de saúde, cidades e indústria. Rubens Maeda, gerente do Pólis CPqD, apresentará aplicações IoT concebidas para esse parque tecnológico com o uso da plataforma dojot. A TIM Brasil também falará sobre as suas experiências e cases de IoT. E o secretário municipal André Von Zuben, do Desenvolvimento Econômico, Social e de Turismo, apresentará a iniciativa Campinas Cidade Inteligente – que transforma Campinas em um laboratório vivo para a avaliação e testes de novas tecnologias IoT.

Brasil e Chile assinam acordo para comércio de orgânicos

Os ministros da Agricultura, Pecuária e Abastecimento do Brasil, Blairo Maggi, e do Chile, Antonio Walker Prieto, assinaram memorando de entendimento com o objetivo de promover ações para facilitar o comércio de produtos orgânicos entre os dois países. Ambos participaram da reunião do Conselho Agropecuário do Sul (CAS), em Buenos Aires, na Argentina.

O texto assinado prevê colaboração mútua na fiscalização e controle dos produtos e políticas voltadas para o desenvolvimento da produção orgânica, além da melhoria das bases de dados e de normas e regulamentos que regem a atividade.

É o primeiro reconhecimento mútuo de semelhanças nos normativas de produção orgânica negociado entre países da América do Sul, demonstrando compromisso com o desenvolvimento de economias sustentáveis, de acordo com o secretário de Relações Intermacionais do Agronegócio do ministério, Odilson Ribeiro e Silva. “Atualmente, apenas grandes produtores orgânicos alcançam mercados no exterior, pelo alto custo envolvido na certificação internacional. Com o sistema de reconhecimento mútuo, ambas legislações [aceitam] a certificação de sistemas participativos de garantia, estimulando a inclusão de pequenos e médios produtores no mercado de exportação”, disse o secretário.

A reunião do CAs acabou dia 21, com a presença também dos demais ministros integrantes do conselho, da Argentina, Bolívia, Paraguai e Uruguai. No encontro deve ser discutido levantamento solicitado pelo ministro Maggi da lista de produtos químicos (moléculas autorizadas em cada país e condições de uso), com o objetivo de harmonizar a regulamentação desse tema em toda a região.

CEOs brasileiros indicam séries de TV com bons ensinamentos para líderes

São Paulo – Um bom líder é capaz de identificar ensinamentos e aplicá-los no dia-a-dia de suas empresas. Pensando nisso, alguns CEOs brasileiros listaram suas séries de TV e filmes favoritos que inspiraram suas carreiras e modelo de gestão de pessoas.

Fabrício Martins, CEO e fundador da Indigosoft

Billions (Showtime) – “Essa é uma série estratégica, baseada em comportamento humano, psicologia, que mostra a influência do coaching e o foco nos resultados. Ela é interessante porque é inserida na realidade do mercado financeiro e, assim, mostra como todos esses itens podem ser aplicados no dia-a-dia dos nossos trabalhos. É a série que eu mais gosto e indico fortemente”.

The Blacklist (NBC) – “Essa é para mim uma série que mistura comportamento humano, tecnologias e muito raciocínio estratégico que podem ser aplicados aos negócios”.

Breaking Bad (AMC) – “Um pouco mais antiga, essa série me marcou muito porque ela explora profundamente a natureza humana. Conta a história de um professor, sem alternativa, que surgiu com um câncer e começou a produzir drogas e, por conta disso entra em um mundo completamente diferente. Com Breaking Bad podemos entender de uma forma ilustrada o que o ser humano é capaz de fazer em situações extremas, decisões que se tomam em um momento conflituoso e que você não tomaria antes, até passar por aquilo”.

La casa de papel (Netflix) – “La casa de papel é um conteúdo que nos mostra, não só o poder absurdo de uma estratégia, nesse caso aplicada para o assalto de um banco, mas as dificuldades de implementá-la na maioria das vezes, por causa do comportamento humano. A série tem o contrabalanço da ação e reação. Por mais que você, como líder, tente prever tudo o que pode acontecer em um projeto, quando se trabalha com um time, muitas coisas podem fugir do seu controle ou se tornar inconsistentes. Além disso, ela traz a imensa importância de, como CEO, estar sempre um passo à frente”.

Camilo Stefanelli, CEO da Compaq Brasil

Mayday! Desastres Aéreos (National Geographic) – “É uma série essencial para líderes porque mostra como agir em situações realmente críticas. Cada episódio recria com detalhes os momentos de luta por sobrevivência em acidentes de grande impacto. Ao assisti-la, você entende como ter autocontrole e segurança podem ser decisivos na sua vida”.

A Segunda Guerra em Cores (Netflix) – “Uma série que mostra que estratégia precisa estar acima de tudo na rotina de um bom líder. É uma produção sensacional, em formato de documentário, que apresenta os momentos marcantes da Segunda Guerra Mundial – isso em cores e com alta definição”.

Eduardo Bouças, CEO Global da BLOCKBIT

Vikings (History Channel) – “A série retrata em detalhes a cultura de um povo extremamente interessante, demonstra claramente que uma liderança forte e sonhadora, capaz de cativar e unir um grupo de pessoas para um único objetivo, consegue feitos nunca imaginados”.

José Roberto Rodrigues, country manager da Adistec Brasil

Undercover Boss (CBS) – “A série teve uma versão brasileira com o quadro ‘Chefe Espião’, que veiculou no Fantástico. Nela, podemos perceber a realidade das áreas operacionais de uma empresa, identificar com mais sensibilidade nossos pontos fracos e desenvolver sempre um olhar humano e empático para com o próximo. Com isso, entende-se também de que uma empresa é feita de pessoas e nenhum CEO conquista nada sozinho”.

No futuro, as lojas físicas terão somente robôs?

Será que no futuro as lojas físicas terão apenas atendentes robôs? Como na indústria, estes seres cibernéticos substituirão os humanos também no varejo? Creio que robôs não são muito a cara do varejo. Mas sistemas de automação poderão substituir atendentes sim. Desde as vending machines, que já invadiram o mundo e se incorporaram ao nosso dia-a-dia, vendendo praticamente de tudo; passando por poltronas de massagem shiatsu operadas por cédulas, instaladas nos principais shoppings em todo o Brasil. Essas máquinas totalmente autônomas são um grande sucesso.

Recentemente, a drogaria Onofre/CVS inaugurou uma loja conceito na Avenida Paulista, em São Paulo, que conta com um inédito robô que automatiza todo o armazenamento, distribuição, manipulação e separação de medicamentos. Assim, ajuda a evitar desperdícios, monitorando a dosagem e a data de validade das medicações. O equipamento foi desenvolvido pela empresa alemã BD, especialista em tecnologia médica. A máquina precisa de apenas 30 segundos para coletar o medicamento e disponibilizar ao farmacêutico ou atendente. Além disso, ele produz um relatório que mostra o volume de saída de cada produto do estoque, além de possuir um refrigerador para armazenar as medicações que necessitam de temperaturas controladas.

Mas foi em Seattle, nos Estados Unidos, que o conceito de loja autônoma ganhou relevância. Em janeiro deste ano, foi inaugurado o primeiro supermercado sem atendentes e sem caixas: a Amazon Go. Na loja, basta retirar o produto da prateleira e ter o aplicativo da Amazon instalado. Ela identifica, por meio de um sistema de (muitas) câmeras e QR Codes, quando um produto é retirado da gôndola. Automaticamente, o item é adicionado à lista de compras. Ao passar por sensores, na saída, a conta é cobrada no cartão de crédito. Os resultados estão bastante animadores, tanto é que a companhia anunciou ontem que avalia abrir mais de 3 mil novas lojas, até 2021, informou a Bloomberg.

Aqui no Brasil, estamos desenvolvendo um projeto de loja autônoma denominado OmniBox. Serão lojas de 18m2, em estruturas metálicas denominadas boxes, que contarão com a parceria de diversas redes de varejo. Com forte afinidade com produtos ligados à conveniência, serão instaladas em diversas cidades brasileiras, em regime de funcionamento 24 horas, sem atendentes, com toda a operação comandada por um aplicativo. Em breve, esta experiência estará disponível e funcionando nas ruas. Será uma boa maneira de conhecer o futuro chegando ao dia-a-dia do consumidor brasileiro.

Programa de fomento atinge mais de 70 mil produtores de leite

O Programa Leite Mais Saudável começou em 2015 e trouxe um novo modelo de fomento à produção de leite no Brasil. Desde então ele beneficiou mais de 75 mil produtores com um investimento acumulado de quase R$ 283 milhões em projetos de melhoramento genético, gestão de propriedades e educação sanitária, entre outros.

As empresas participantes devem investir pelo menos 5% dos seus créditos de PIS e COFINS em projetos para beneficiar os produtores rurais e a qualidade do leite por eles produzido. As iniciativas devem ser enviadas para o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) e auditores fiscais federais agropecuários (Affas) avaliam e acompanham o andamento do projeto para garantir que os recursos estão sendo utilizados corretamente.

“Nós temos hoje uma situação crítica da pecuária de leite. Vemos muita evasão da atividade, muitos produtores e seus filhos saindo”, diz o Affa Rodrigo Machado, da Coordenação de Boas Práticas e Bem-estar Animal (CBPA). “Um programa como esse permite fazer um fomento de massa. Você trabalha em projetos que levam conhecimento técnico e financeiro para os produtores”, continua.

Segundo o Affa Bruno Leite, os auditores acompanham desde a criação até a execução do projeto, fazendo visitas a campo. A empresa interessada deve entregar sua proposta na superintendência do Mapa de seu estado. Além disso, a cada ano um relatório sobre suas atividades deve ser apresentado. Quaisquer mudanças necessárias são apontadas pelos auditores e a empresa pode ter que devolver os recursos utilizados se não cumprir os termos.

Os auditores atuam em vários pontos da cadeia produtiva do leite e nesse projeto específico, atuam na base da cadeia, segundo Bruno. “Se você garante uma produção consciente, você tem uma matéria-prima de qualidade. O número de fraudes cai, porque um produto bom não precisa ser fraudado, não vale a pena. No final da cadeia teremos um queijo, um iogurte que duram mais na prateleira, que possuem um sabor melhor”, completa.

“Esse é o modelo de fomento mais eficiente e tende a ser o modelo do futuro”, diz Rodrigo. “O que eu percebo é que o produtor volta a sentir orgulho de ser um produtor de alimentos. Ele passa a ficar mais tranquilo, porque sabe que aquela atividade vai dar seu sustento, e se preocupa mais com a qualidade de seu produto”, continua o Affa.

Inmet prevê episódio de El Niño no fim da primavera

Brasília – A Primavera começa no próximo sábado (22), às 22h53 e termina no dia 21 de dezembro, às 20h22 (início horário de verão). Os principais centros internacionais de meteorologia indicam probabilidade superior a 60% de que seja registrado novo episódio de El Niño no final da primavera e início do verão de 2019. Se o fenômeno for confirmado, provavelmente, será de curta duração e de intensidade baixa ou moderada. O El Niño provoca o aquecimento anormal das águas superficiais no oceano Pacífico Tropical, afetando a distribuição das chuvas, que também são influenciadas pela temperatura na superfície do oceano Atlântico Tropical e na área oceânica próxima à costa do Uruguai e da Região Sul. As informações estão contidas no Prognóstico Climático de Primavera do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet).

Região Norte
Para a Primavera, os modelos climáticos indicam que a Região Norte deve apresentar forte variabilidade espacial na distribuição de chuvas, com significativa probabilidade de áreas com chuvas dentro da faixa normal ou abaixo. Normalmente, existe uma redução das chuvas no meio norte do Pará, Roraima e Amapá, ficando abaixo de 400 mm, durante os meses de outubro e dezembro. Já na parte oeste dos estados do Amazonas, Roraima, Acre e Rondônia, bem como no extremo sul do Pará, há possibilidade de chuvas acima da média. As temperaturas serão de normal a acima da média.

Região Nordeste
A previsão para esta região indica o predomínio de áreas com maior probabilidade de chuvas próximas a média ou ligeiramente abaixo durante a estação. O Inmet ressalta que o trimestre de outubro a dezembro é o mais seco da parte leste do Nordeste. As temperaturas estarão mais elevadas sobre o sul do Maranhão e do Piauí e no oeste da Bahia.

Região Centro-Oeste
A previsão para a nova estação indica alta probabilidade das chuvas ocorrerem de normal a ligeiramente abaixo da normalidade em grande parte da região Centro-Oeste, exceto no sudoeste do Mato Grosso do Sul e extremo norte mato-grossense, em que as chuvas serão mais regulares. As temperaturas serão acima da média, principalmente no sul do Mato Grosso do Sul.

Região Sudeste
Nos próximos três meses, devem permanecer áreas com chuvas abaixo da faixa normal desta estação, exceto em algumas áreas de São Paulo, em que podem haver chuvas mais fortes, principalmente em novembro. De modo geral, o modelo climático do Inmet indica que as temperaturas devem permanecer acima da média em grande parte da região no mesmo período.

Região Sul
O indicativo de possível retorno do evento El Niño na primavera, aliado a aumento da temperatura no Oceano Atlântico sobre a costa da Argentina e sul do Brasil, contribuem para o aumento das precipitações em grande parte da Região Sul. As chuvas deverão ficar acima da faixa normal nos três estados da região, enquanto que as temperaturas médias devem predominar dentro da normalidade no Rio Grande do Sul e acima da média no restante dos estados.