Elaine Costa ficou 30 anos no Financeiro, mas se realizou no Recursos Humanos

Elaine do Carmo Costa - Head de RH - TÓPICO | LinkedIn

Inspirar, humanizar e reconhecer as qualidades individuais de cada colaborador. Foram inúmeras as motivações que levaram a head de Recursos Humanos, Elaine Costa, a mudar de carreira após 45 anos de idade e mais de três décadas dedicadas à área financeira. Hoje, aos 56 anos, a gestora celebra a virada de chave e a conquista de uma nova vida profissional.

“A maturidade me mostrou que ajudar as pessoas a se tornarem profissionais e cidadãos melhores era a minha missão. É importante estudar, descobrir sua vocação profissional e aproximar isso do seu objetivo de vida”, comenta Elaine.

No mercado de trabalho desde os 15 anos, Elaine começou sua jornada em uma pequena empresa, formou-se em administração de empresas e, desde então, começou a atuar na área financeira. Mesmo com uma pós-graduação em finanças, ela sempre teve um olhar voltado para as pessoas.

“Eu me importava com todos, com o que sentiam, quais tinham melhores perfis para determinadas áreas da empresa. Isso ficou muito nítido para os meus companheiros de trabalho e eles começaram a me motivar a seguir por esse caminho, mais voltado a recursos humanos. E isso me inspirou a pensar mais firme nessa ideia!”, comenta.

Com o passar dos anos, Elaine contabilizou outras experiências em sua área de origem e foi apenas em 2010 que a grande oportunidade surgiu. “Fui convidada para atuar como gerente financeira de uma grande empresa portuária, mas, com três meses na companhia, me chamaram para conduzir um braço do negócio no exterior. E foi lá que eu pude consolidar as minhas habilidades com a gestão de pessoas. Assim que retornei ao Brasil, após terem reconhecido meu trabalho no desenvolvimento de pessoas, fui convidada a assumir a gerência de Recursos Humanos. Desde então, a minha relação com a área nunca mais parou”.

Desde 2017, a profissional atua como head de RH na Tópico, empresa líder no mercado nacional de galpões lonados, participando ativamente também como responsável pelas áreas de segurança, saúde e meio ambiente.

“Assim que decidi que queria mudar de carreira, fiz um MBA voltado para a área de recursos humanos e diversos outros cursos. Foi um caminho longo, mas eu nunca pensei em desistir, e posso afirmar que a cada dia tenho mais paixão pelo que faço!”.

Na Tópico, Elaine, que já participou da implementação de diversos programas internos na companhia, voltados principalmente ao fortalecimento da cultura organizacional, agora encara um novo desafio: o de promover ações sustentáveis em prol da sociedade e do meio ambiente. Ela integra o comitê de Sustentabilidade e esteve recentemente à frente da elaboração e lançamento do primeiro Relatório Anual da companhia para o tema. Auxiliou, também, na criação do projeto ‘Floresta Tópico’- que doa mudas nativas da Mata Atlântica para o reflorestamento de áreas desmatadas do Sistema Cantareira, um dos principais mananciais do mundo – entre outras iniciativas.

E para quem, assim como Elaine, está pensando em mudar de carreira, ela aproveita os ensinamentos valiosos que colheu durante sua jornada e aconselha: “Mudar de profissão nunca é fácil, mas a minha dica é dialogar e mostrar seus interesses para o seu empregador. É preciso arriscar, claro, mas se estiver convicto de sua escolha, esteja certo de que vale a pena”.

160 startups apresentam negócios a investidores no InovAtiva Experience

InovAtiva Brasil: Programa de aceleração gratuito recebe inscrições e  recruta 160 startups | VOCÊ S/A

São Paulo – Nos dias 31/07 e 09/08, 160 startups apresentarão suas soluções para investidores de todo o país no InovAtiva Experience, evento que marca a conclusão do ciclo de aceleração 2021.2 do InovAtiva Brasil. Com número recorde de participantes em uma única edição, o evento é promovido com o objetivo de conectar as startups participantes do programa a investidores, mentores e grandes nomes do empreendedorismo inovador.

“O InovAtiva Experience é uma oportunidade única para os participantes do InovAtiva Brasil. No evento, os 160 negócios que mais se destacarem nos quatro meses do programa terão a chance de apresentar suas soluções para investidores relevantes do ecossistema de inovação nacional. Além disso, conseguem grande visibilidade e criam conexões decisivas para seu desenvolvimento”, diz o Secretário de Produtividade, Emprego e Competitividade do Ministério da Economia, Carlos Da Costa.

Em sua primeira edição de 2021, o InovAtiva Experience vai contar também com agenda aberta ao público no dia 07/08, mediante cadastro no site do InovAtiva. O público poderá acompanhar palestras e painéis sobre empreendedorismo, além de ter a chance fazer networking com players importantes do ecossistema nacional.

Todas as atividades do Experience acontecerão de forma totalmente online. No dia 31, primeiro dia do evento, os empreendedores participantes do Ciclo 2021.1 irão receber feedbacks sobre seus pitches – como é chamada a apresentação das startups – por parte de uma banca especializada de mentores. Essa etapa é preparatória para o Demoday, realizado no dia 9, segunda-feira, quando as soluções serão expostas a investidores em bancas temáticas.

“Ter a oportunidade de estar frente a frente com investidores, potenciais clientes e parceiros é um momento único oferecido aos acelerados do Inovativa Brasil, é a consolidação de meses de aceleração e preparação. Isso é o Inovativa Experience, uma conexão dessas startups com o mercado”, ressalta o presidente do Sebrae, Carlos Melles.

Perfil

Pela primeira vez em 8 anos, o InovAtiva Brasil concluirá um ciclo de aceleração com 160 startups. Destas, 75% são da região Sudeste, sendo (25%) somente do Estado de São Paulo.

Sobre seu estágio de desenvolvimento, 47% das startups já têm seu serviço disponível no mercado; 70% dos empreendimentos já patentearam suas soluções; e quase 90% já possuem clientes. As 160 startups participantes do InovAtiva Experience atuam principalmente nas áreas de Saúde (13%), Tecnologia da Informação e Comunicação (11%) e Tecnologias Sustentáveis e Verdes (6,8%). Além disso, 45% delas são do segmento B2B (73 startups) e 37,5% no modelo SAAS (Software como Serviço) (60 startups).

Porto de Santos será o 1º com tecnologia 5G plena

O Complexo Portuário de Santos receberá projeto piloto para instalação e funcionamento do 5G standalone — também chamado de “5G puro”. Os ministros Fábio Faria (Comunicações) e Tarcísio Freitas (Infraestrutura) debateram todos os arranjos necessários para levar a tecnologia ao Porto, inaugurando as iniciativas que visam à potencialização do setor. A reunião foi realizada na última quarta-feira, 21.

Considerado o maior complexo portuário da América Latina, Santos é responsável por aproximadamente 25% do comércio exterior brasileiro. “A tecnologia 5G ampliará a conectividade no setor portuário brasileiro. Com isso, iremos otimizar as operações, aumentar a produtividade e contribuir para o crescimento da economia do país”, antecipou Faria. A data de instalação da antena de transmissão 5G no Complexo Portuário de Santos ainda não foi definida.

Além disso, os ministros também debateram os impactos positivos do leilão do 5G na logística de transporte. Um dos compromissos previstos no edital é a ampliação da cobertura de internet 4G para 48 mil quilômetros de rodovias federais.

O edital do 5G será votado no Tribunal de Contas da União no dia 18 de agosto. Com a definição da data, a expectativa do governo federal é realizar o leilão do 5G ainda este ano, beneficiando 27 capitais até julho de 2022.

Startups Connected recebe inscrições até dia 30

Câmara Brasil-Alemanha seleciona startups para programa de aceleração -  Época Negócios | Empreendedorismo

O Startups Connected , programa da Câmara Brasil-Alemanha de São Paulo (AHK São Paulo) , que tem como principal objetivo promover a conexão entre startups e empresas já estabelecidas, está com inscrições abertas até 30 de julho.

Em sua sexta edição, o programa terá sete desafios, cada um deles liderado por uma empresa ou instituição âncora: BASF, Bayer, Centro Alemão de Ciência e Inovação (DWIH) de São Paulo, GIZ (Deutsche Gesellschaft für Internationale Zusammenarbeit), Hospital Alemão Oswaldo Cruz, Siemens e Voith. A expectativa é que cerca de 200 startups se inscrevam, tendo em média 30 por desafio. Haverá, ainda, um desafio para startups situadas na Alemanha.

As inscrições devem ser realizadas por meio do site da iniciativa e as startups selecionadas para o top 5 de cada desafio apresentarão seus projetos para a banca da empresa. A avaliação para escolha das campeãs levará em conta critérios como o grau de aderência, inovação, valor da proposta, potencial de mercado, análise de maturidade, modelo de negócio, estrutura comercial e de vendas, além dos aspectos jurídicos, financeiros e contábeis. O anúncio das sete vencedoras será feito no dia 01 de setembro, por meio das redes sociais da Câmara Brasil-Alemanha de São Paulo.

Depois de escolhidas, as startups irão se reunir com as empresas-âncoras em uma imersão, guiada pela Câmara Brasil-Alemanha de São Paulo, em parceria com uma consultoria especializada, para conceber e desenhar o plano de projeto que será realizado ao longo dos próximos seis meses. Ao final do programa, em fevereiro de 2022, ocorrerá o Demo Day, encontro de encerramento no qual empresas e startups apresentarão seus projetos e resultados.

De acordo com Bruno Vath Zarpellon, Diretor de Inovação, Tecnologia e Sustentabilidade da AHK São Paulo, o mais interessante do programa é como as startups e as grandes empresas conseguem se complementar. “As startups têm ineditismo, velocidade, flexibilidade, criatividade e a cultura empreendedora, enquanto as empresas e instituições âncoras têm uma forte estrutura, relevância para o mercado, recursos financeiros, rede de contatos, vasto portfólio de clientes e estrutura administrativa. Isso é uma parceria que dá muito certo”.

Após o encerramento do programa, será realizada uma análise da experiência entre as startups e empresas, que ajudará ambas as partes a definirem os próximos passos da parceria, pós-aceleração. As startups participantes terão acesso a diversos benefícios, como intermediação de contatos, participação em workshops exclusivos, assessoria em diversas áreas, ajuda de custo para compra de materiais e contratação de serviços, associação à AHK São Paulo por um ano e possibilidade de obter recursos do Edital SENAI de Inovação.

O Startups Connected acontece desde 2015 e já realizou mais de 1 mil conexões, acelerou cerca de 100 projetos, lançou mais de 50 desafios de inovação e gerou dezenas de negócios. Além disso, por dois anos consecutivos, em 2019 e 2020, esteve no top 10 do ranking 100 Open Startups entre os ecossistemas de startups mais importantes do Brasil.

Para participar dos desafios, a startup deve estar situada no Brasil ou na Alemanha e ter uma equipe de, no mínimo, três pessoas, com mais de 18 anos. As inscrições podem ser feitas pelo site http://www.startupsconnected.com.br.

Conheça os desafios de 2021:

• BASF: Economia Circular – SUP (Plástico de Uso Único)
• BAYER: Self Care
• Siemens: Eficiência Energética na Indústria
• Hospital Alemão Oswaldo Cruz: Saúde Digital e Experiência do Paciente
• GIZ (Deutsche Gesellschaft für Internationale Zusammenarbeit): Eficiência Energética em Edificações
• GT de Sustentabilidade AHK (BASF, Evonik e Siemens): Ecossistema Circular 4.0
• Voith: Logística 4.0

Desafio para startups situadas na Alemanha:

• DWIH São Paulo: Healthier Life – Solutions for people, environment, and society.

Startups Connected 2021
Período de Inscrição: 30 de junho a 30 de julho
Link para inscrição: https://startupsconnected.com.br/

Parceria Sebrae-SP e Fapesp vai investir R$ 150 milhões em startups

Inovação - Diário do Comércio

De um lado, o Sebrae-SP, especialista em negócios e empreendedorismo. Do outro, a Fapesp (Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo), ligada à Secretaria Estadual de Desenvolvimento Econômico (SDE), que atua no fomento à pesquisa e inovação. Para apoiar o desenvolvimento de startups de base científica e tecnológica em todo o Estado, as duas entidades uniram forças e vão investir R$ 150 milhões em seis anos em uma parceria inédita que foi lançada nesta quinta-feira, dia 22.

A expectativa da parceria é financiar cerca de 150 projetos dentro do Programa PIPE (Pesquisa Inovativa em Pequenas Empresas). A novidade é que, além do apoio à pesquisa, viabilizado com os recursos da Fapesp, os recursos do Sebrae poderão ser utilizados pelas empresas para ações de acesso a mercado e desenvolvimento de provas de conceito junto a grandes empresas de tecnologia. O Sebrae oferecerá ainda atendimento especializado às startups científicas.

O primeiro edital, no valor de R$ 25 milhões, apoiará a pesquisa para o desenvolvimento de inovação em todas as áreas do conhecimento, selecionando 20 startups que receberão, cada uma delas, até R$ 1,25 milhão cada não reembolsável. Esses recursos devem ser utilizados para financiar as etapas de pesquisa e desenvolvimento (R$ 1 milhão), assim como auxiliar nos aspectos de gestão empresarial, como o desenvolvimento comercial, participação em feiras, internacionalização e captação de investimentos (R$ 250 mil).

Além dos editais de fomento, a parceria entre Sebrae e Fapesp permitirá o apoio a empreendedores, com capacitações em gestão, apoio à comercialização e suporte técnico para registro de patentes. A iniciativa faz parte do Programa Cientista + Empreendedor, lançado pelo Sebrae a fim de apoiar pesquisadores e empreendedores científicos a levar inovações ao mercado, atuando em parceria com universidades, parques tecnológicos e incubadoras do Estado de São Paulo.

O diretor-superintendente do Sebrae-SP, Wilson Poit, destaca que, em geral, o perfil dos empreendedores de startups científicas é bastante técnico, mas precisa ser aperfeiçoado no que diz respeito à gestão do negócio. “Os empreendedores das startups científicas enfrentam dificuldades quando o assunto é gestão e têm à frente os desafios de levar suas tecnologias ao mercado e de se relacionar com grandes empresas. Sabemos que existem soluções com grande potencial de transformação. Vamos ajudar a concretizar esses projetos e levá-los para o mercado”, afirma.

Para o presidente da FAPESP, Marco Antonio Zago, a parceria com o Sebrae ampliará o alcance do PIPE e as oportunidades para os empreendedores de São Paulo levarem os produtos ao mercado. “Somaremos esforços para reforçar o empreendedorismo com um melhor conhecimento do mercado e o aperfeiçoamento dos planos de negócios, aumentando as chances de sucesso de iniciativas inovadoras”, disse.

Edital

O edital vai receber propostas de empresas de pequeno porte (com até 250 empregados) com unidade de pesquisa e desenvolvimento no Estado de São Paulo e faturamento de até R$ 4,8 milhões. Os projetos selecionados poderão receber até R$ 1,25 milhão, sendo que até R$ 250 mil devem ser direcionados exclusivamente ao financiamento do desenvolvimento comercial do projeto.

A equipe de seleção vai avaliar a consistência e viabilidade do Planejamento de Negócios. O documento deve demonstrar a estratégia que a empresa utilizará para gerar receitas a partir da pesquisa inovadora proposta. O edital ficará aberto até o dia 19 de outubro. O manual com os detalhes do edital pode ser acessado no site https://www.fapesp.br/pipe

InovAtiva Brasil prorroga inscrições para ciclo de aceleração

Programa InovAtiva de Impacto está com inscrições abertas para o ciclo 2020  de aceleração - InovAtiva Brasil

As inscrições para o Ciclo 2021.2 do InovAtiva Brasil, maior programa de aceleração de startups da América Latina, foram prorrogadas. Até 25 de julho (domingo), startups e projetos de negócios inovadores poderão se inscrever para participar de um ciclo de aceleração online e gratuito, realizado de agosto a dezembro deste ano.

O programa tem o objetivo de capacitar empreendedores de todo o país e oferecer oportunidades de conexão, visibilidade e mentoria para as startups aceleradas O ciclo de aceleração está dividido em duas etapas: Aceleração e Conexão. Para a primeira etapa, serão selecionados até 360 projetos, que participarão de atividades de mentoria de negócios, capacitação empreendedora e do evento InovAtiva Day.

Entre as ações realizadas estão mentorias coletivas sobre temas como precificação, modelagem financeira e gestão de equipes; mentorias individuais de negócios; treinamento de pitch – como é chamada a apresentação de negócios das startups.

Finalizada a etapa de Aceleração, até 140 negócios seguem para a segunda fase, chamada de Conexão. Nela, os selecionados participarão de mentorias individuais especializadas para seus negócios – de acordo com necessidades mapeadas na etapa anterior – e terão a oportunidade de apresentar suas soluções para investidores e executivos de grandes empresas no InovAtiva Experience, evento de encerramento do ciclo.

“Estamos com inscrições abertas para até 360 projetos, totalizando 735 projetos apoiados pelo InovAtiva Brasil em 2021, um recorde na história do programa. Esse número traduz o esforço contínuo do InovAtiva Brasil para garantir que o país tenha reconhecimento como um dos principais ecossistemas de inovação no mundo”, diz Bruno Portela, Secretário Adjunto de Produtividade, Emprego e Competitividade do Ministério da Economia.

Podem se inscrever soluções inovadoras de base tecnológica, de qualquer área de atuação, que desenvolvam produtos ou serviços em estágio de validação, operação ou tração. É preciso ter ao menos um MVP (Produto Mínimo Viável), a versão simplificada do produto de uma startup. O resultado dos projetos selecionados será divulgado no site no dia 16 de agosto.

“Neste ciclo, vemos a consolidação de uma fase do programa, onde selecionamos mais Startups, realizamos mais ações de conexão e agregamos mais valor à rede Inovativa”, afirma o diretor técnico do Sebrae, Bruno Quick.

Aprovada criação de documento eletrônico para transporte de cargas

A Câmara dos Deputados aprovou, na última quinta-feira, 15, a medida provisória 1051/21, que cria o Documento Eletrônico de Transporte (DT-e), de emissão exclusivamente digital e obrigatória para autorizar os serviços de transporte de cargas no País. A medida, que agora segue para aprovação no Senado, dispensa o transportador de apresentar a versão física desta documentação.

O serviço de emissão do documento será de competência da União, que deverá fiscalizar as entidades geradoras do DT-e, reajustar tarifas e criar comitê gestor com a participação de órgãos e entidades da administração pública federal, entidades representativas do setor de transportes e da sociedade civil.

Segundo o relator da proposta, deputado Jerônimo Goergen (PP/RS), a intenção é reunir em um único documento todos os dados, obrigações administrativas, informações sobre licenças, registros, condições contratuais, sanitárias, de segurança, ambientais, comerciais e de pagamento, inclusive valor do frete e dos seguros contratados. Este sistema diminuiria o custo do transporte de carga no Brasil e eliminaria a burocracia.

11 marcas fluminenses de água mineral recebem selo Confiar

Comissão debate situação do mercado de água mineral no Ceará

Rio de Janeiro – Uma logo de certificação faz toda a diferença em uma indústria de água mineral. Estar em conformidade com as rígidas regras da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) garante a qualidade do produto e a certificação da empresa. No Rio de Janeiro, 11 marcas possuem o direito de exibir o certificado – tecnicamente chamado de Procedimento Específico − PE 414.

A parceria entre a Associação Brasileira da Indústria de Águas Minerais (Abinam) e a Federação das Indústrias do Rio de Janeiro (Firjan), no âmbito do Programa de Apoio à Competitividade das Micro e Pequenas Indústrias (Procompi), iniciou em 2017 e gerou o certificado CONFIAR, identificado na rotulagem das marcas. As empresas passaram pela primeira auditoria em 2019 e pela segunda em 2020. Em 2021 passarão pela terceira auditoria, já que o processo é anual.

As empresas certificadas pelo PE 414 passam por seis etapas de controle realizada por organismos credenciados pela ABNT:

Origem – garantia de fontes de água mineral natural;

Análise da Água – maior rigor, frequência e novas metodologias para detecção de aspectos biológico, físicos e químicos da água;

Extração – maior garantia de não contaminação;

Transporte – novos procedimentos e maior garantia de não contaminação;

Armazenagem e Envase – procedimentos específicos de controle e higienização para não contaminação;

Materiais usados – maior rigor e controle no relacionamento com fornecedores e nos procedimentos de aquisição de materiais.

Ter a logo estampada no rótulo em 2021 está atraindo várias empresas para o processo de certificação, renovada anualmente. Hoje, são 11 empresas: Acqua Futura, Água Divina, Alcafluor, Cascataí, Cascatazul, Clima 3, L’aqua, Parahy Leve, Passa Três, Serra dos Órgãos e Trajano de Moraes.

Ronaldo Martins, consultor setorial de Alimentos e Bebidas da Firjan SENAI, esclarece que o certificado CONFIAR, como o projeto é chamado, foi criado para melhorar o padrão da água mineral do Rio de Janeiro. “As análises microbiológicas e físico-químicas e a higienização dos equipamentos e dos garrafões retornáveis são alguns dos critérios selecionados para a certificação”. O desafio agora é tornar a certificação conhecida pelo público consumidor, destaca.

Sócio-diretor da L’aqua Água Mineral e diretor do Sindicato Nacional da Indústria de Águas Minerais (Sindinam), Marcelo Pacheco enfatiza que o certificado Confiar é uma garantia de credibilidade e segurança. “A certificação voluntária aprimora, aprofunda os controles e gera a informação para o consumidor de que aquela marca tem mais qualidade. Vai além do convencional, uma vez que agrega valor ao produto. É como ganhar uma medalha”.

Pacheco explica que a água mineral que entra na embalagem é a mesma que sai da rocha das captações. O que a empresa faz é o mapeamento, com controle em todas as etapas, desde a captação, passando pelos tanques de armazenamento e o envase. “Todos são pontos de controle microbiológico, porque uma falha por alguma contaminação pode gerar problema para o consumidor”, justifica.

Mercado editorial apresenta retomada com aumento nas vendas de livros

De acordo com a pesquisa feita pela Nielsen, em parceria com o Sindicato Nacional dos Editores de Livros (SNEL), houve um aumento de 46% na venda de livros entre os primeiros semestres de 2020 e 2021. Neste período, foram vendidos 23,3 milhões de exemplares.

A pandemia impactou diversos setores da economia e o mercado editorial foi um dos nichos mais atingidos pela crise, principalmente no primeiro semestre de 2020 por conta das medidas de restrição em lojas físicas. De janeiro a junho do ano passado, as vendas chegaram a R$ 729 milhões, neste ano, foram R$ 998, 5 milhões.

Para Eduardo Villela, book advisor e profissional com mais de 16 anos de experiência neste mercado, esta retomada se dá por conta da inovação que o setor vem apresentando para driblar a crise. “O e-commerce é uma realidade que já apresentava um crescimento expressivo muito antes da pandemia, e por conta do isolamento social, ganhou mais força pela facilidade e segurança para realizar compras”, diz.

Além disso, apesar do fechamento das grandes megastores como Saraiva, FNAC e da Livraria Cultura (em recuperação judicial), “as pequenas livrarias de bairro ganharam espaço pelo atendimento personalizado que oferecem ao consumidor”, enfatiza.

Outro grande incentivo ao setor foi a aprovação do parecer da deputada Sâmia Bonfim (PSOL/SP), enviado à Comissão de Cultura da Câmara dos Deputados, sobre o projeto de lei 2.604/2020, que visa alterar a Política Nacional do Livro com o objetivo de criar três tipos de crédito para beneficiar as editoras e livrarias brasileiras.

“Esse Projeto é muito positivo para o setor e posso dizer até que chegou um pouco atrasado, já que aqui no Brasil o livro já deveria ser considerado pelo nosso Governo como uma ferramenta estratégica para a educação de crianças, jovens e adultos. O livro precisa ser tratado como um bem de primeira necessidade”, enfatiza Eduardo.

O crescimento nas vendas dos livros aponta para um novo momento para o mercado editorial brasileiro e mostra uma recuperação expressiva para o setor.

MetrôRio e Firjan recebem inscrições para desafio de inovação

Música clássica: MEC FM instala novo transmissor para som mais limpo – : :  CidadeMarketing : :

Rio de Janeiro – O MetrôRio, em parceria com a Firjan, está com inscrições abertas para interessados em participar do “Desafio de mobilidade da manutenção de Interface mobile para Systeme, Anwendungen und Produkte in der Datenverarbeitung (SAP PM)”, um software de gerenciamento de manutenção usado pela concessionária. A iniciativa é voltada para startups e visa desenvolver soluções inovadoras para serem implementadas na empresa, como desenvolvimento de softwares e criação e implementação de realidade aumentada e virtual, inteligência artificial, big data e machine learning.

O lançamento do edital para participar do desafio será por meio de um evento online em 12 de julho, às 17h. A transmissão será no canal do YouTube da federação no link: https://www.youtube.com/watch?v=3rby4f4RLH8 . Durante o evento, os interessados poderão tirar dúvidas sobre o desafio com os representantes do MetrôRio.

As inscrições vão até 13 de agosto na Plataforma de Inovação para Indústria, disponível: http://plataforma.editaldeinovacao.com.br/ . O processo de seleção será dividido em duas etapas: a primeira será a avaliação de forma virtual das propostas iniciais dos projetos. Em seguida, as startups pré-selecionadas serão convidadas para entrevistas. Ao término desta fase, serão selecionados até 5 projetos.

Na última fase, as startups vão conhecer a sede da concessionária e participarão de um encontro com técnicos do MetrôRio. Além disso, elas também vão apresentar o plano de projeto para avaliação da comissão. Por fim, haverá a realização de Pitch Day.

Plataforma

O resultado final será divulgado na Plataforma de Inovação para Indústria no dia 22 de setembro. Para conferir o regulamento completo, acesse o edital: http://www.portaldaindustria.com.br/canais/plataforma-inovacao-para-a-industria/

A Plataforma de Inovação para Indústria é um dos principais instrumentos de fomento à Inovação no país. A Firjan opera a plataforma, trazendo oportunidade de aproximação da indústria e seus desafios tecnológicos, com o ecossistema de inovação, por meio do acesso às soluções desenvolvidas por startups de todo o país com o apoio da rede de Institutos de Inovação e Tecnologia do SENAI e aporte de recursos para a pesquisa. “A chamada MetrôRio traz a oportunidade para startups atenderem aos seus desafios, acessando um potencial cliente no futuro, apresentando uma solução contando com aporte financeiro e apoio tecnológico para seu desenvolvimento”, destaca o especialista em captação de recursos da Firjan, Fabricius Garcia Neto.

A cultura de inovação tem sido importante para reforçar a credibilidade e excelência operacional da concessionária no sistema metroviário no Brasil. Em 2020, o MetrôRio foi eleito na sexta edição do Prêmio Valor Inovação Brasil do jornal Valor Econômico, uma das cinco empresas mais inovadoras do país no setor de transporte. Uma premiação do jornal Valor Econômico.

“Nos últimos anos, o MetrôRio vem trabalhando com ações sólidas para promover ainda mais a cultura de inovação, por meio de um programa de tecnologia. Com isso, criou o “Comitê de Inovação e Metodologia”, que discute sobre gestão, inovação e tecnologia visando melhorar o processo de trabalho da empresa. Por isso, a organização deste Desafio ao lado da Firjan faz parte do nosso compromisso em fomentar e criar oportunidades para o avanço da atuação de empresas inovadoras no Rio de Janeiro”, afirma Guilherme Ramalho, presidente do MetrôRio.