Pronampe libera mais R$ 14 bi para empresas

A segunda fase do Programa Nacional de Apoio às Microempresas e Empresas de Pequeno Porte (Pronampe) foi lançada na primeira semana de setembro. A expectativa do governo é de que sejam liberados cerca de R$ 14 bilhões para micro e pequenas empresas e Microempreendedores Individuais (MEIs). Nesta nova etapa, a linha de crédito foi disponibilizada em 19 instituições bancárias – anteriormente, eram 11 instituições habilitadas para operarem os empréstimos. Na primeira fase, cerca de R$ 19 bilhões em créditos foram destinados a 211 mil empresas.

Brasil exporta primeira carga de melão para China após acordo bilateral

A China recebeu na sexta-feira (18) o primeiro embarque de melões brasileiros após acordo bilateral firmado entre os países. Cerca de três toneladas e meia de melão pele de sapo, da região de Mossoró (RN), desembarcaram no Aeroporto de Xangai.

O acordo que viabilizou a exportação do melão brasileiro para a China foi firmado em novembro de 2019, durante reunião bilateral entre os presidentes Jair Bolsonaro e Xi Jinping, na XI Cúpula do Brics, em Brasília, com a presença da ministra Tereza Cristina (Agricultura, Pecuária e Abastecimento).

Com a chegada da primeira carga da fruta ao território chinês, a ministra destaca a importância da abertura desse mercado, já que o país asiático é o maior produtor e consumidor de melão. “É um marco importante para o Brasil. É a primeira fruta fresca importada pela China e o primeiro país do mundo a exportar melão para China”, disse. Os chineses consomem cerca de metade da produção mundial. Em 2017, foram 17 milhões de toneladas.

A Secretaria de Defesa Agropecuária do Mapa ressalta que a certificação fitossanitária da China, negociada por longo tempo, é uma garantia de que o melão brasileiro está livre de pragas e passa por rígidas vistorias.

Em janeiro, técnicos da Administração Geral de Aduana da China (GACC, órgão responsável pela sanidade vegetal e animal) inspecionaram fazendas produtoras de melão no Rio Grande do Norte e no Ceará. Os dois estados são os maiores produtores da fruta.

Depois da inspeção, o órgão chinês autorizou importação do melão da empresa Bollo Brasil, do grupo Bollo International Fruits. A empresa é uma das maiores exportadoras de melão do Brasil.

O melão embarcado foi vistoriado pelas equipes do Mapa na própria fazenda. Uma das medidas para confirmar que todo o processo foi feito inhouse e com a vistoria do fiscal habilitado pelo governo chinês foi o uso de lacre do Ministério na embalagem da fruta.

A Associação Brasileira dos Produtores Exportadores de Frutas e Derivados (Abrafrutas), que também participou das negociações para a abertura do mercado, informou que irá apoiar os produtores nas questões logísticas para ampliar as vendas aos chineses, além de destacar que a produção de melão é uma atividade com grande potencial de geração de empregos.

Em 2019, o Brasil exportou melão para diversos países, foram mais de 251 mil toneladas. Com a abertura do mercado chinês, os produtores esperam dobrar as vendas externas, conquistando no mínimo 1% do mercado da China. Uma das vantagens é que a safra brasileira coincide com a entressafra de melão na China.

Anatel libera assinatura de canais pela internet sem contrato com TV a cabo

A Anatel autorizou que canais de televisão fechados possam ser assinados e acessados pela internet ainda que o consumidor não tenha uma assinatura de TV a cabo. O assunto já vinha sendo discutido em projeto (PL 3.832/2019) na Comissão de Ciência e Tecnologia do Senado (CCT).

Para o senador Rodrigo Cunha (PSDB-AL), presidente da Comissão de Fiscalização e Controle (CTFC), a decisão é justa, mas outros pontos deverão ser debatidos, como a defesa do conteúdo nacional.

B2W Marketplace firma parceria com Sebrae MG para capacitar lojistas

O Sebrae Minas e o B2W Marketplace – plataforma que permite a lojistas venderem seus produtos nos sites da Americanas, Americanas Empresas, Submarino e Shoptime – uniram forças para ajudar os empreendedores da região. Por meio do programa “Varejo Mais”, B2W e Sebrae vão oferecer cinco encontros marcados no canal do YouTube do Sebrae Minas . A ação consiste em duas fases, sendo a primeira a realização de um programa de rádio, dia 15, e a segunda fase um curso de capacitação, que começa dia 17, com quatro módulos. Durante os encontros serão discutidos os benefícios e desafios de vender no marketplace.

iCON Hub lança segundo Programa de Inovação Aberta dia 15

O iCON Hub, braço de inovação e tecnologia do SindusCon-SP, em parceria com a Neo Ventures, lançará virtualmente no dia 15 de setembro, às 17 horas, o ciclo 2 do seu Programa de Inovação Aberta. A apresentação dos desafios das mantenedoras – Conx, MRV, Pacaembu, Plaenge, RFM, Sinco e Trisul – e do edital será realizada pelo Head do iCON, Conrado Rabelo.

“Mantemos nosso foco de unir o ecossistema em prol da busca de soluções que auxiliem na resolução de demandas específicas, que serão apresentadas em primeira mão neste evento especial”, afirmou Rabelo.

Na sequência acontecerá o Painel: Inovação como estratégia de crescimento da construção civil pós pandemia, com a participação de Clarisse Gomes, Gerente Sênior de Inovação da Deloitte e Flávio Vidal, Gestor Executivo de Inovação e P&D da MRV. Ambos compartilharão suas visões sobre o impacto estratégico da inovação e da tecnologia para a retomada do crescimento econômico e social do setor da construção civil no país pós pandemia.

O encontro será voltado para empreendedores na área de tecnologia aplicada ao setor da construção civil e mercado imobiliário que desejam se conectar com demandas de grandes empresas; diretores e colaboradores de empresas do setor de construção civil e mercado imobiliário em busca de inovação e soluções tecnológicas para seus desafios; empreendedores na área de tecnologia aplicada a outros setores adjacentes ao da construção; representantes de Indústria da Construção Civil; além de acadêmicos e representantes de Centros de Conhecimento e Tecnologia.

A inscrição é gratuita e pode ser feita aqui.
https://www.sympla.com.br/icon-hub—lancamento-do-ciclo-2__958523?utm_source=akna&utm_medium=email&utm_campaign=iCON-Hub-lancara-seu-segundo-Programa-de-Inovacao-Aberta2

Programação:
17h – Abertura do Ciclo 2 e Apresentação do Edital de conexão com startups: Principais pontos e esclarecimento de dúvidas.
17h25 – Painel: Inovação como estratégia de crescimento da construção civil pós pandemia
18h10 – Encerramento.

Fintechs e startups já podem se inscrever na 3ª edição do Prêmio Ideia ABBC

São Paulo – A Associação Brasileira de Bancos (ABBC) abre na quinta-feira (10) as inscrições para fintechs e startups participarem da 3ª edição do Prêmio Ideia ABBC. A iniciativa tem como objetivo aproximar as mais de 90 instituições financeiras associadas a empresas inovadoras, com o propósito de otimizar modelos de negócio e reduzir custos operacionais, colaborando, assim, para o desenvolvimento de tecnologias que fortaleçam o ambiente competitivo, a inclusão financeira e a sustentabilidade econômica do país.

Entre as novidades da edição, além das fintechs será permitida a participação de startups. Já na premiação, este ano, os 3 (três) cases que mais se destacarem ganharão um troféu de reconhecimento e também 3 (três) sessões individuais de mentoria, de até 90 minutos cada. Essas mentorias serão realizadas por profissionais de conhecimento técnico e notório saber em áreas de business, tecnologia ou marketing, de acordo com a necessidade dos vencedores.

Para participar, fintechs ou startups brasileiras devem submeter um case real, com pelo menos um cliente pagante do produto ou serviço a ser apresentado (em produção, operacionais ou pré-operacionais) com um dos seguintes aspectos:

• Soluções voltadas à otimização do trabalho remoto;

• Soluções para inclusão financeira da população; e

• Soluções financeiras digitais para micro e pequenos empreendedores.

O prazo de inscrição termina no dia 15 de outubro, exclusivamente pelo link: http://conteudos.abbc.org.br/10 . O regulamento do prêmio está no site (http://ideiaabbc.org.br/).

Na sequência, os cases inscritos serão analisados pela curadora do Prêmio, Fintechlab, um hub para conexão e fomento do ecossistema de fintechs nacional. Serão selecionados os 9 projetos finalistas. Nessa fase, uma banca escolherá as melhores soluções e que apresentem maior aderência ao escopo de atuação dos associados ou dos clientes dos associados da ABBC. Os 9 melhores cases farão um pitch de negócio das suas soluções para a Comissão Julgadora em novembro de 2020, em formato a ser definido pela ABBC.

Vale ressaltar que o mercado brasileiro já conta com mais de 10 mil startups, segundo levantamento da Associação Brasileira de Startups (Abstartups). Essas empresas, conhecidas por serem dinâmicas, geralmente com baixo custo operacional e com potencial de boas margens de lucro, podem ajudar o sistema financeiro nacional ao oferecer tecnologia e promover ainda mais a competição bancária. Todos esses aspectos ajudam na inclusão financeira e, consequentemente, no crescimento econômico do país.

USP e ABCP criam hub de inovação para construção digital

A Universidade de São Paulo (USP), por meio da Escola Politécnica (Poli), a Associação Brasileira de Cimento Portland (ABCP) e o Sindicato Nacional da Indústria do Cimento (SNIC) assinaram, na tarde do último dia 3 de setembro, um acordo de cooperação técnica que prevê a concepção, elaboração de projeto, construção e operação, em regime multiusuários, do primeiro espaço cooperativo de inovação e construção digital de base industrial do Brasil, o hubic.

Com previsão de funcionamento no início de 2021, o hub terá o objetivo de acelerar a transição da construção civil para uma economia digital e circular, por meio de soluções inovadoras, competitivas, com baixa pegada ambiental e de alta produtividade e qualidade.

Para sua implementação, o hubic já tem assegurado R﹩ 8 milhões em investimentos e será instalado em espaço compartilhado entre a USP e a ABCP, interligado ao campus da Universidade, em São Paulo.

O projeto será conectado ao Centro de Inovação em Construção Sustentável (CICS USP), um ecossistema de empresas e academia dedicado a promover a inovação, a sustentabilidade e a produtividade na construção civil.

“Esta parceria é um exemplo significativo da chamada Terceira Missão da Universidade ao integrar e unir, no campo da pesquisa aplicada, os esforços da academia e da iniciativa privada em prol da melhoria e da modernização da área de construção e materiais cimentícios, com vistas, principalmente, à produtividade e à redução de impacto ambiental”, destaca o reitor da USP, Vahan Agopyan.

“Vivemos um tempo de múltiplos desafios, nos âmbitos ambiental, concorrencial e institucional. A indústria de cimento tem se mostrado capaz de enfrentar esse mundo complexo, tanto dentro de suas fábricas, quanto nas diversas aplicações do cimento. O acordo com a USP está inserido nessa lógica. Se, por um lado, o convênio resgata uma história construída ao longo de décadas, por outro, ele projeta o elemento inovação como variável de importância crescente para que nossa indústria continue gerando valor e qualidade de vida para toda a sociedade”, afirma o presidente da ABCP/SNIC, Paulo Camillo Penna.

Ainda segundo o executivo, a digitalização atingirá a construção civil, incluindo a cadeia de materiais cimentícios, gerando ganhos significativos de produtividade e redução de impacto ambiental.

Para absorver esse processo evolutivo, a USP e a ABCP reúnem expertises e ações que, somadas, cuidarão de alavancar a produção digital de componentes e a transferência de conhecimento e tecnologia para toda a cadeia produtiva da construção e sociedade.

“O hubic é uma iniciativa que traz a tecnologia da indústria 4.0 para os componentes da construção civil e de infraestrutura, fruto da união da academia, da indústria e dos órgãos públicos e privados, trazendo a tecnologia de ponta para a melhor eficiência das obras, otimização dos materiais, economia e sustentabilidade, beneficiando a indústria e a sociedade”, destaca a diretora da Poli, Liedi Legi Bariani Bernucci.

O convênio

O convênio prevê a criação de uma plataforma de construção digital para a produção de componentes e edificações, com infraestrutura laboratorial multiuso e capacidade de produção/impressão digital 3D de componentes cimentícios na escala 1:1. Apesar de ter como objetivo principal a pesquisa e produção de elementos cimentícios, o equipamento também será flexível para a produção de materiais com outras bases.

O projeto será implementado no atual laboratório da ABCP, em área de 100m² aproximadamente, que receberá reformas.

O acordo também define a instalação de um espaço de trabalho compartilhado (coworking), com cerca de 230m² e capacidade de hospedar até 30 profissionais, para a elaboração de pesquisa e desenvolvimento de empresas da cadeia de valor e grupos que desenvolvam soluções consideradas promissoras, além de startups da construção e de engenharia.

“O hubic faz parte de um ecossistema da Universidade que tem três eixos de atuação integrando todos os elos da cadeia da construção civil: inovação, produtividade e sustentabilidade. Deverá reunir pesquisadores de várias áreas do conhecimento, empresas, startups e outros parceiros da sociedade que tenham interesse em desenvolver a inovação de base industrial”, destaca o coordenador do projeto e professor da Poli, Vanderley John.

Também está prevista a criação da Cátedra Ary Torres para atrair profissionais de ponta do mundo para coordenar plano de atividades, educação, pesquisas e inovação, além promover atividades de transferência de conhecimento e tecnologia.

O convênio investirá no desenvolvimento de atividades de educação continuada (EaD) on-line voltadas para inovação e Indústria 4.0, entre outras. O foco principal será na capacitação para desenvolvimento, uso de produtos e soluções inovadoras, sustentabilidade, qualidade e produtividade. Também deverão ser oferecidas bolsas de mestrado e doutorado a pesquisadores.

“Temos um histórico aqui na ABCP de construção de plataformas colaborativas que desenvolvem soluções competitivas para diversas aplicações de cimento. A qualidade dessas aplicações tem dado ao cimento uma grande relevância na cadeia da construção. O convênio com a USP através da Escola Politécnica, representa um salto qualitativo nesse processo”, afirma o diretor de mercado da ABCP, Valter Frigieri.

“Escolhemos o nome hubic porque queríamos enfatizar que nosso objetivo é ser um Hub de inovação. Nosso objetivo é desenvolver projetos de base tecnológica capazes de desenhar o futuro da construção”, completa Frigieri.

Governo anuncia construção de 650 km de fibra óptica na Região Norte

O governo federal assinou na terça-feira, 01/09, um decreto que cria o programa Norte Conectado, iniciativa que reúne ações para a implantação, nos estados da Região Norte, de infraestrutura em fibra óptica, com capacidade superior a 100 gigabytes por segundo (GB/s) em conexão de dados, e a instalação de pontos de acesso à banda larga por satélite. Na primeira fase do programa, será construído um canal de fibra óptica interligando as cidades de Macapá (AP), Alenquer (PA), Almeirim (PA) e Santarém (PA), em um trecho de 650 quilômetros de extensão.

O empreendimento é avaliado em R$ 42 milhões. Segundo o governo federal, essa primeira fase deve atender 165 escolas, além de tribunais e hospitais, abrangendo uma população de 950 mil habitantes. A previsão é que a etapa seja concluída no primeiro semestre de 2021, mas outras redes de fibra ótica fluviais ainda estão previstas no programa.

“Hoje estamos anunciando que já vai começar, logo mais, esse trecho, que será o primeiro de nove. Nós queremos mais oito etapas, e iremos chegar até o oeste da Amazônia, até Tabatinga (AM). Ao final desse projeto, nós iremos chegar no total de investimento de R$ 1 bilhão, para atingir 9,3 milhões de brasileiros”, destacou o ministro das Comunicações, Fábio Faria, durante a cerimônia de lançamento do programa. Ele também ressaltou que o projeto é necessário porque a Região Norte é parte do país que mais carece de investimentos em telecomunicações.

Ainda em 2020, o Ministério das Comunicações informou que fará o levantamento hidrográfico, o licenciamento ambiental e o início da construção do segundo trecho da infovia, que interligará Santarém (PA) a Manaus (AM). Ao todo, quando concluídas, as nove infovias de fibra ótica fluviais devem somar cerca 10 mil quilômetros, interligando 59 municípios diretamente.

Acesso

Também presente à cerimônia, o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF) e do CNJ, Dias Toffoli, falou da necessidade de ampliar o acesso a serviços públicos que estão praticamente digitalizados no país, incluindo os serviços judiciais. Ele lembrou que 90% dos processos atualmente são apresentados de forma eletrônica.

“Como consequência [desse projeto], promoveremos a ampliação da fronteira de acesso a serviços básicos por essas populações, como educação, saúde e, ressalto aqui, o serviços judiciais, serviços jurídicos, o acesso à justiça, que hoje dependem, mais do que nunca, da acessibilidade por meio da internet”, afirmou o ministro. “O programa Norte Conectado possibilitará que os sistemas judiciais dos estados do Norte se integrem à realidade cada vez mais tecnológica e digital da Justiça brasileira”, acrescentou.

Em seu pronunciamento, o presidente do Senado, Davi Alcolumbre, que aportou uma emenda parlamentar de R$ 6,15 milhões ao projeto, enfatizou a união dos Três Poderes na viabilização da primeira fase do programa. “Atenderemos praticamente um milhão de brasileiros nesta primeira fase, mas chegaremos a atender 10 milhões de brasileiros da Amazônia, do Norte, de uma região que precisa desse olhar do governo federal e das autoridades. Então, eu quero exaltar esse encontro, essa conciliação em torno de um propósito”, declarou.

No final da cerimônia, o presidente Jair Bolsonaro celebrou a articulação entre diferentes Poderes e citou a necessidade de investimentos próprios do Estado brasileiro para assegurar a soberania do país sobre a Amazônia. “Temos a obrigação de manter essa região sob nosso comando, e é somente dessa forma, com o entendimento de todos, dos Três Poderes, demais autoridades, buscando recursos, meios, se empenhando, se dedicando, é que podemos dizer que a Amazônia é nossa”, afirmou.

Segundo o Ministério das Comunicações, o governo já atingiu a meta de levar 7.476 pontos de internet por satélite para escolas de regiões Norte e Nordeste do país, atendendo diretamente 2,6 milhões de alunos de escolas públicas. Na Região Norte, são 3.192 antenas, que atendem 378 municípios e 2.122 escolas rurais.

Santo André é a cidade brasileira com mais serviços digitais para população

O SindiTelebrasil, sindicato que representa as operadoras de Internet, apresentou o resultado do ranking Cidades Amigas da Internet, sobre as cidades que mais estimulam a conectividade. Feito pela consultoria Teleco com os 100 maiores municípios do País, o levantamento apontou São José dos Campos (SP) como a cidade com melhor ambiente regulatório, mantendo o posto do ano passado.

Já o destaque para este ano é a nova categoria de premiação da iniciativa do SindiTelebrasil, que é o ranking de Serviços de Cidades Inteligentes. Nesta categoria, a premiada foi Santo André (SP), que apresentou 20 dos 26 serviços digitais que a Teleco levou em conta. A cidade também subiu 82 colocações no ranking de Cidades Amigas da Internet e terminando na 16a, sendo o município que mais ganhou posições.

Segundo o prefeito de Santo André, Paulo Serra, a evolução da cidade mostra como planejamento e dedicação dão resultado. Ele conta que o primeiro desafio foi desenvolver soluções para os problemas de gestão da cidade, mas então a conectividade surgiu como um gargalo e foi feito uma integração de rede entre os pontos públicos, tanto para conectar serviços como para oferecer acesso Wi-Fi gratuito para a população.

Estes pontos, junto com um melhor ambiente regulatório, foi o que permitiu que o avanço da cidade, aponta a Teleco. O prefeito de Santo André também lembrou que a prefeitura lançou uma plataforma online para apresentar projetos de infraestrutura de telecomunicações, o que agilizou a burocracia.

Cidade Amiga da Internet

São José dos Campos, no Vale do Paraíba, manteve seu posto como a Cidade Amiga da Internet. Segundo o SindiTelebrasil, o município facilitou a implementação de estações radiobase (ERB) – as antenas de telecomunicações – permitindo aumentar a qualidade do sinal de dados de operadoras para celulares.

Em sua fala durante a premiação, Felicio Ramuth, prefeito da cidade, destacou que os marcos legais não avançam na mesma velocidade da tecnologia e geram dificuldade para gestor público. Como resposta, a prefeitura decidiu apostar em modelos de serviço para atualizar os serviços digitais. “Contratar como serviço foi uma forma de ser mais rápido, mas houve discussões jurídicas com TCU (Tribunal de Contas da União) para isso ser possível.”

Abstartups abre inscrições para o Batch de startups Impacts

A Associação Brasileira de Startups (Abstartups) , entidade sem fins lucrativos que representa o ecossistema brasileiro, abre inscrições para o seu 3º Batch de seleção para associados Impacts, destinado aquelas startups que estão se destacando no País, crescendo em faturamento, time, investimento e produto e querem fazer parte de uma rede única e exclusiva.

Nesse plano mais limitado, além dos benefícios já disponíveis nos outros planos, os empreendedores têm acesso a uma rede exclusiva de conexões com as empresas que mais crescem no país através de eventos exclusivos de networking como o Jantar Impact e happy hour, acesso à dezenas de benefícios, incluindo 25 mil dólares em créditos em nuvem da AWS.

Também fazem parte do plano Impact, cesso a newsletters exclusivas com diversas novidades do ecossistema, participação nos comitês da Associação e aos slacks da comunidade da associação, participação nas mentorias de pitch training, de Papo com Investidor e com especialistas de diversas áreas do mercado.

Interessados podem se inscrever até 11/09 em: http://abstartups.com.br/associados-impact/