BVEP e Nigri investem R$ 150 milhões no prédio do antigo Cine Plaza de olho no mundo corporativo

A antiga sede do Cine Plaza, um dos ícones dos tempos de ouro da Cinelândia, está de roupa nova no Centro do Rio de Janeiro. Construído em 1934, o prédio em estilo Art déco – agora chamado de BVEP Nigri Plaza – teve toda a estrutura modernizada, um processo que arquitetos e engenheiros chamam de retrofit. Na reforma, a fachada externa e o foyer foram restaurados de acordo com a planta original. A antiga sala de projeção deu lugar a um auditório multifuncional com capacidade para 220 pessoas. A inauguração será no dia 11 de abril.

Localizado na Rua do Passeio, o edifício tem 17,3 mil metros quadrados de área construída. São 16 andares de escritórios, além de estacionamento e bicicletário no subsolo. Para atrair o público corporativo, os empreendedores apostam nas opções de mobilidade urbana da região – a dez minutos do Aeroporto Santos Dumont e servida por metrô, VLT, diversas linhas de ônibus e estacionamento privado. Outro diferencial é a vista privilegiada para alguns dos principais cartões postais da cidade, como o Aterro do Flamengo, o Pão de Açúcar, o Cristo Redentor e os Arcos da Lapa.

Foram investidos R$ 150 milhões no projeto, desenvolvido pela BVEP, empresa de empreendimentos e participações do Banco Votorantim, e pela incorporadora carioca Nigri Engenharia – que também revitalizaram o antigo Cine Vitória, na mesma região. Além desses dois empreendimentos, outros quatro prédios do Centro do Rio foram restaurados com as técnicas do retrofit: Belga Hotel e os edifícios Galeria, Serrador e Amadeus Mozart, o Amarelinho.

Sustentabilidade e resgate histórico

Ainda durante a execução da obra, que começou em 2013, o BVEP Nigri Plaza conquistou a certificação internacional LEED Gold. Concedido pelo Green Building Council dos Estados Unidos, o selo avalia o desempenho ambiental de uma edificação. Apenas outros quatro empreendimentos corporativos no Centro do Rio possuem a certificação no nível Gold. No ano passado, o projeto venceu a categoria Sustentabilidade do prêmio Destaque ADEMI, que reconhece excelência do mercado imobiliário carioca.

O prédio possui sistemas de uso racional de água e energia (que reduzem o consumo em até 40%) e seis elevadores panorâmicos inteligentes, que armazenam energia para uso próprio. Além disso, quem alugar o 14º pavimento terá acesso exclusivo a 480 metros quadrados de área verde, com espécies nativas da Mata Atlântica, e um reservatório de reuso de águas pluviais para irrigação do jardim.

Também durante a obra, uma parceria dos empreendedores com o Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) revelou detalhes do passado. O terreno fica onde antes se localizava a Lagoa do Boqueirão, aterrada no século 18 para a construção do Passeio Público. Durante as escavações foram encontrados louças, moedas e objetos de uso pessoal datados dos séculos 18 e 19. O Iphan recolheu, catalogou e armazenou cerca de cinco mil peças e achados arqueológicos, um investimento de R$ 1,5 milhão.

Tendência de mercado

A escassez de terrenos disponíveis para construção de novos imóveis no Centro do Rio tem dado espaço ao retrofit – processo de modernização e readequação de edificações antigas que mantém algumas de suas características originais. Esta é uma das soluções que o mercado imobiliário tem usado para atender às demandas por escritórios de alto padrão no coração financeiro da cidade.

Raphael Nigri, diretor executivo do grupo, diz que, além de contribuir para preservar o patrimônio arquitetônico, a opção pelo retrofit foi pensada para melhor eficiência do projeto, impactando também no custo do empreendimento. “O Plaza é um empreendimento completo, com localização privilegiada, ampla rede de transportes, vista privilegiada, preocupação com a sustentabilidade e modernidade em conjunto com o resgate histórico”.

Para o diretor da BVEP, Luiz Renato Paim, o projeto é a consolidação da visão da instituição que é trabalhar por um desenvolvimento urbano mais humano, prezando pelo diálogo e pela sustentabilidade. “O mundo está repensando a forma como as cidades são ocupadas e o projeto de retrofit do Cine Plaza traz soluções inovadoras para empresas, cidadãos e investidores, tornando-se alternativa funcional no Centro da cidade do Rio”, afirmou.

BVEP e Nigri

No mercado desde 1979, a Nigri Engenharia começou a atuar em empreendimentos corporativos na década de 1990. Tem no seu portfolio as sedes de empresas nacionais e estrangeiras no Rio: El Paso Energy, Ericson, Xerox, GVT, Net, Livraria Cultura e Hyundai.

Parceira no empreendimento, a BVEP é uma empresa controlada pelo Banco Votorantim S.A., formada por uma sociedade entre o Banco do Brasil e o Grupo Votorantim – um dos maiores conglomerados privados da América Latina, com atuação em vários segmentos. Desde 2007 atua como investidora e desenvolvedora em cerca de 40 projetos residenciais e comerciais, além de realizar a gestão patrimonial de mais de 90 imóveis comerciais no Brasil.

Anúncios

Quatro ameaças que vão assombrar o mercado em 2017

Relatório de malware da SophosLabs, unidade de análises de dados e ameaças da Sophos, identificou quatro tendências que ganharam representatividade em 2016 e vão continuar apresentando desafios em 2017:

1. Malware via Linux que exploram vulnerabilidades dos dispositivos IoT

Com o crescimento do Linux nos últimos anos, os criadores de malware estão escolhendo esse sistema operacional para direcionar e infectar todos os tipos de dispositivos IoT, que incluem webcams e aparelhos domésticos que se conectam à internet. As senhas padrão, as versões desatualizadas do Linux e a falta de criptografia continuarão fazendo com que esses dispositivos estejam vulneráveis a ataques.

2. Aumento de malware em Android

O relatório aponta as 10 principais famílias de malware que têm como alvo dispositivos Android, sendo o mais abrangente Andr/PornClk: mais de 20% dos casos analisados pela SophosLabs em 2016 eram desta família. O malware consegue ser rentável por meio de propagandas e registos – aproveitando o privilégio da raiz e solicitando “administração do dispositivo Android”. O malware faz o download de Pacotes de Aplicativos do Android (APKs), abre atalhos em telas iniciais e coleta informações como ID do dispositivo, número de telefone e outros detalhes confidenciais.

O relatório também examina o ransomware identificado como Andr/Ransom-I, que simula uma atualização disponível para o sistema operacional e aplicativos como Adobe Flash e Adult Player. Quando baixado, é usado para sequestrar o telefone da vítima. Embora este malware não seja tão difundido quanto os outros, representando apenas 1% de todas as amostras e nem sequer está no top 10 de ameaças, ainda merece atenção por se destinar a dispositivos que executam o Android 4.3, que ainda é usado por 10% dos usuários – cerca de 140 milhões em todo o mundo.

3. Malware para MacOS que espalha aplicativos potencialmente indesejados (PUA)

O malware para MacOS é projetado para executar um código de roubo de senha, incluindo ransomware como OSX / KeRanger-A e uma variedade de adware mal-intencionado. Embora apresente menos infecções por malware e ransomware do que o Windows, o MacOS sofreu sua parcela de ameaças em 2016, e se espera que essa tendência continue.

4. Malware Microsoft Word Intruder

O relatório também analisa kits de malware baseados no Windows que têm como alvo o Word. É importante ressaltar que o Microsoft Word Intruder agora está expandindo seus horizontes para o Adobe Flash Player.

Hub Prepaid cria negócio na área de gestão e prevenção de riscos e fraudes financeiras

A Hub Prepaid, holding formada por empresas no mercado de meios de pagamento, criou a Hub Risk, empresa especializada na gestão e prevenção de riscos e fraudes em meios eletrônicos de pagamentos, a empresa atuará na gestão de modelos preditivos de crédito para pessoas físicas e jurídicas.

Para iniciar sua atuação, a Hub Risk firmou parceria com a Pay True, fornecedora de soluções para o negócio de meios de pagamento. A Hub Risk oferece tecnologia de ponta aplicada na prevenção de riscos em todas as etapas do negócio, desde a biometria para autenticações e validações na originação à construção de modelos preditivos.

Neste ano, a empresa, que tem como foco a monitoria de eventos dos segmentos de e-commerce e análise de crédito, espera se consolidar entre as líderes do setor de meios de pagamento.

SonicWall acelera crescimento na América Latina com novo programa de canais

A SonicWall realizou nesta semana em São Paulo seu primeiro encontro de parceiros de negócios, ocasião que apresentou seu programa SonicWall University, que tem como objetivo treinar parceiros em segurança cibernética e os novos programas de marketing globais e incentivos que ajudarão os canais a entregarem soluções de cibersegurança e serviços para pequenas e médias empresas.

A empresa comemora a taxa de 90% de renovação de contratos pelos clientes, reforçando a aceitação da estratégia da empresa após sua separação da Dell, e também pela procura de novos canais O evento contou com a presença de Chris Auger, vice-presidente de Vendas Américas, que escolheu o Brasil para fazer sua primeira visita em subsidiárias na América Latina, tendo em vista potencial de mercado local, que hoje representa 25% das vendas.  Auger preferiu não revelar números de crescimento na região, dizendo que o importante é criar as bases para apoiar os canais de vendas, pois as vendas da empresa são 100% feitas através de parceiros.

Explicou ainda que a empresa está focada em 4 soluções, que envolvem segurança contra fraudes, firewall, managed security services e segurança de e-mail. “Mais de 60º% dos ataques de ramsoware em 2016 foram executados através do e-mail, mostrando a relevância de nossa solução, que isola numa sandbox os e-mails suspeitos”, complementa o executivo.

Falando sobre o novo Programa de Parceiros SecureFirst, revelou que em seus primeiros 150 dias como uma empresa independente, a SonicWall registrou um crescimento sem precedentes, com engajamento de 10 mil parceiros no período.

Também registrou um número recorde de parceiros que participaram de eventos educativos da Sonic Wall, incluindo a participação no SonicWall Virtual PEAK Performance em março de 2017, ano a ano para mais de 1.300 parceiros.

Universidade SonicWall

Para solucionar a falta de recursos treinados de cibersegurança disponíveis para as PMEs e permitir que os parceiros da SonicWall forneçam as melhores ofertas de produtos em tempo real aos seus clientes, a SonicWall lançou a SonicWall University, programa de capacitação de canais projetado como uma extensão do Programa de Parceiros SecureFirst.

Mais de 5.600 pessoas dos canais já conquistaram certificações técnicas através de programas de certificação existentes, que permanecerão existindo concomitantemente com o SonicWall University, que oferece conteúdo, ferramentas e recursos de capacitação, através de uma plataforma on-demand baseada na Web.

Além da University, a SonicWall anunciou também uma campanha de marketing para ajudar a informar potenciais e atuais clientes sobre as ameaças cibernéticas mais prementes atualmente. Os parceiros podem acessar materiais de campanhas pré-empacotados e solicitar fundos de desenvolvimento de mercado, tudo on-line por meio de um novo Portal de Parceiros SonicWall.

everis e Microsoft fecham acordo para plataforma na nuvem

A everis, multinacional de consultoria que oferece soluções de estratégia e de negócios, e a Microsoft assinaram um acordo estratégico de colaboração para impulsionar soluções tecnológicas no Azure, a plataforma na nuvem da Microsoft. A plataforma Azure, que registra 120.000 novas assinaturas mensais, facilita o crescimento e a transformação digital das empresas, disponibilizando uma base tecnológica e de serviços líderes de mercado, garantindo a segurança e o cumprimento de conformidade em todas as operações.

Esta aliança envolve importantes investimentos e recursos especializados de ambas as empresas com o objetivo de integrar as soluções de negócios da consultoria com os serviços na nuvem da Microsoft. Além disso, a everis implementará a plataforma Azure internamente mediante a migração de sua infraestrutura de TI na nuvem da Microsoft. Com este desenvolvimento, a everis obterá maior flexibilidade e eficiência nos processos, assim como um aumento na rentabilidade.

Este acordo também permitirá integrar as soluções da everis em relação a Data & Analytics com os desenvolvimentos tecnológicos na nuvem da Microsoft. Neste sentido, o objetivo será potencializar as sinergias entre ambas as empresas orientadas ao desenvolvimento de soluções cognitivas através da plataforma everisMoriarty.

“Esta aliança agrega valor aos recursos da Microsoft como um provedor de serviços na nuvem através de uma plataforma cloud aberta e flexível, bem como o conhecimento da everis sobre as necessidades de negócios de grandes empresas no que se referem à transformação digital”, ressalta Vicente Olmos, sócio responsável pela área de Enterprise & Cloud Solutions da everis. “A combinação de ambos os conhecimentos oferecerá aos clientes uma ampla gama de ferramentas e recursos tecnológicos que lhes permitam uma maior eficiência em seus processos de negócios para reduzir os custos”, complementa Olmos.

De acordo com José Bonnin, diretor da Unidade de Negócios de Cloud & Enterprise da Microsoft, “criamos a nossa plataforma na nuvem Azure para apoiar a transformação digital de todos os tipos de empresas”. “Nossa estratégia é facilitar a inovação e agilidade, bem como o fornecimento de soluções analíticas avançadas e de inteligência, enquanto estamos em conformidade com os mais rigorosos padrões e certificações de segurança internacionais e locais. Por meio desta aliança complementamos a tecnologia de ponta com o conhecimento especializado da everis nos principais setores empresariais”, conclui Bonnin.

AMLAD e ehCOS, soluções na plataforma Azure

O objetivo da consultoria no decorrer dos próximos meses será migrar seus próprios ativos sobre a plataforma Azure. Atualmente, são dois os produtos que estão na nuvem da Microsoft: a AMLAD (Advanced Museum Library Archives Deposit), a solução desenvolvida pela NTT DATA para a digitalização, preservação e publicação de arquivos, e ehCOS, a suíte de soluções eHealth desenvolvida pela everis.

Com este acordo, a everis continua sendo pioneira no desenvolvimento de soluções em cloud para os setores como indústria, setor público, bancos e seguradoras. Além de oferecer valor agregado no mercado, suas soluções e experiência na nuvem continuarão a proporcionar aos clientes, entre outras coisas, a escalabilidade e flexibilidade dos sistemas, a prestação imediata de serviços, o compartilhamento e a utilização eficiente dos recursos e das instalações utilizadas para gerenciar os ativos TI.

Emerson Sanglard assume direção da Copa Airlines no Brasil

A Copa Airlines anuncia oficialmente o seu novo gerente geral para o Brasil. Trata-se do brasileiro Emerson Sanglard, executivo contratado em fevereiro de 2013, para comandar a área de Marketing da companhia aérea para a América do Sul. Sanglard acumula 22 anos de experiência em empresas de grande porte, entre elas Bombardier, General Motors, Petrobras e Agip.

“O Brasil desempenha uma posição estratégica e fundamental no panorama global da companhia. Nossa operação no Brasil é muito expressiva, seja no número de passageiros transportados ou em frequência de voos a partir dos principais aeroportos brasileiros”, diz Sanglard.

Prestes a completar 17 anos de atividades no Brasil, a Copa Airlines ocupa posição de destaque em todas as sete cidades (São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Manaus, Brasília, Porto Alegre e Recife) onde mantém operação, totalizando 76 frequências semanais.

Carlos Sanches e Cristiano Jannuzzi são promovidos na Netafim

A Netafim, israelense que atua em soluções de irrigação por gotejamento, apresenta uma nova estrutura organizacional, seguindo a linha da empresa em promover talentos internos e dar novas oportunidades para seus colaboradores.

Carlos Sanches, atual gerente Agronômico da empresa, passa a ocupar a posição de diretor de Marketing Mercosur. Seu principal foco será a liderança das iniciativas estratégicas de crescimento da empresa, além da exposição e promoção da marca Netafim, bem como gerenciamento da área de produtos e informações de mercado.

É formado em Engenharia Agronômica pela Universidade Estadual Paulista – UNESP. Iniciou sua carreira na Netafim em 2004 na função de estagiário no departamento de engenharia. Por dois anos, foi projetista, e em 2007, assumiu o desafio para gerenciar os experimentos de café juntamente com Israel e logo foi o agrônomo responsável por esta cultura. Em 2011, passou a atuar como gerente do departamento de agronomia e teve como principal desafio formar a equipe de engenheiros agrônomos.

A vaga de gerente Agronômico será assumida por Cristiano Jannuzzi, atual coordenador Agronômico, que será responsável pela gestão do plano de trabalho e da equipe agronômica, fortalecimento ao projeto de crescimento em grãos e suporte agronômico ao B.UP.

Jannuzzi é formado em Engenharia Agronômica Universidade Estadual Paulista – UNESP. Construiu sua carreira na Netafim, iniciando em 2011 como trainee, após realizar estágio em Israel, no kibbutz Ein HaShlosha.