Isabel De Luca assume diretoria editorial do núcleo Hysteria

A jornalista Isabel De Luca acaba de chegar à Conspiração e assume como diretora editorial do núcleo Hysteria, plataforma multimídia de produção de conteúdo e curadoria feita por mulheres com o objetivo de abrir um espaço para narrativas contemporâneas tendo o olhar feminino na concepção e na realização dos projetos.

Pós-graduada na Universidade da Califórnia – Los Angeles (UCLA), Isabel tem mais de duas décadas de experiência profissional. Trabalhou no “Jornal do Brasil” e em “O Globo”, onde ao longo de 15 anos exerceu as funções de editora do suplemento semanal “Rio Show”, da “Revista” dominical e do “Segundo Caderno”.

Depois foi correspondente do jornal em Nova York por três anos. Também foi comentarista do programa de TV “Estúdio I”, da GloboNews, durante os três primeiros anos do programa. Mais recentemente, dedicou-se à produção de revistas de branded content e à escrita de roteiros documentais.

Anúncios

Tayara Simões Antonello é a nova head de Marketing da NZN

São Paulo – Atuando há sete anos na NZN, um dos principais players em soluções para publicidade e comunicação do mercado, Tayara Simões Antonello é agora a nova head de Marketing. A profissional começou como coordenadora de comunicação, foi gerente de social media e estava há seis meses como gerente de marketing à frente das equipes de São Paulo e Curitiba.

Formada em Processos Gerenciais e pós-graduada em Comunicação Online, Tayara atua na área de comunicação digital desde 2010. Na NZN, a profissional é criadora dos perfis sociais do TecMundo, Mega Curioso, TecMundo Games, Fika Dika, Minha Série e The BRIEF, todas verticais da NZN, que acumulam cerca de 16.2M de seguidores adquiridos de forma orgânica.

A nova head já palestrou em eventos como YouPix CON, Expomusic Talks, Social Media Week SP e diversas Universidades. Também atua como professora de Social Media na Red Hook School e é autora do livro Social Media Já – Descomplique e produza conteúdo online, lançado em setembro de 2016, pela Editora COMDPI, e indicado pelo site Publicitários Criativos como um dos cinco livros que todo publicitário deve ler em 2017.

Rodrigo Rolo vai comandar área na consultoria de risco Marsh

A corretora e consultoria de risco Marsh anuncia a contratação de Rodrigo Rolo, que assume a posição de líder da prática de Power & Utilities da Marsh Brasil. O especialista chega à companhia e substitui a Tiago Moraes, que agora ocupará o cargo de business development leader de Power para a América Latina.

Formado em Administração de Empresas pela Fundação Armando Alvares Penteado (FAAP), Rodrigo Rolo iniciou sua carreira no Mercado de Seguros em 1997. Atuou em empresas, como General Accident, Unibanco AIG, ABB, Siemens e Aon, possuindo experiência em seguros de Riscos de Engenharia, Property, Power/Energy, Responsabilidade Civil Geral e Obras, Transportes e Garantias.

O novo líder da prática de Power da Marsh Brasil ficará na matriz da corretora em São Paulo, reportando-se diretamente a André Dabus, diretor de Power & Infraestrutura.

Christian Schüler assume a presidência do Banco Mercedes-Benz

São Paulo – O alemão Christian Schüler é o novo presidente e CEO do Banco Mercedes-Benz do Brasil. Formado em Administração de Empresas na Academia de Cooperação Educativa (Berufsakademie), em Berlim, Schüler atua no mercado financeiro há 21 anos, todos dedicados à Daimler Financial Services, na qual ingressou em 1996 e exerceu diversas funções.

Como presidente e CEO, teve passagens na Argentina (de 2010 a 2014) e na Rússia (de 2014 a 2017).

O executivo acaba de assumir o posto até então ocupado por Bernd Barth, que ficou à frente da instituição por quase seis anos e que agora parte para novos desafios no grupo Daimler Financial Services. Dessa vez como líder regional europeu das operações na Itália, Bélgica, Holanda, Luxemburgo, Suíça, Turquia, Suécia, Dinamarca e Portugal.

Obras de metrô indiano recebem tatuzão à lama

A construção da linha 3 do metro de Mumbai, na Índia, receberá mais duas tuneladoras (tatuzões) com cabeça de corte da americana Robbins. Sob responsabilidade da Mumbai Metro Rail Corporation (MMRC), essa linha terá 26 estações, distribuídas em 33,5 km, ligando as áreas de Bandra e Churchgate. Ao todo, devem ser utilizados 17 TBMs para escavação subterrânea entre 15 e 25 metros de profundidade, e a Robbins diz que deverá fornecer mais dois para a obra, cujo término é programado para 2021.

A primeira TBM, uma máquina reformada de 6,65m de diâmetro, passou pelos testes de aceitação na fábrica da Robgins em Singapura no início de setembro e está sendo aplicado na obra ainda neste ano. A segunda máquina, com as mesmas características, deve operar só em 2018.

Os dois equipamentos, no entanto, escavarão dois túneis paralelos, de 3,5km cada, entre o centro de Mumbai e três estações depois. O solo é constituido por basalto sólido a decomposto, e brecha com até 100Mpa, com pressão de água de até 3 bars. As condições de solo, no entando, são inesperadas, o que fez com o que consórcio construtor (Dogus-Soma) optasse pelo uso de tatuzão tipo Slurry. “Eu já trabalhei com máquinas de lama em situações similares de geologia ao redor do mundo. Equipamentos à lama tem potência e se adaptam bem a situação de rocha dura, como é na linha 3 do Metrô de Mumbai. O nível de água e a geologia variável, especialmente o basalto de alta dureza, pode facilmente ser atacado pelos TBMs Slurry”, ediz Tamay Sayin, gerente do projeto.

As cabeças de corte das tuneladoras, segundo a Robbins, são equipadas para essas condições com proteção anti-desgaste, ferramentas de corte com deteçao de desgaste e discos de corte de 17 polegadas. Barras tipo Grizzly limitarão a 250 mm o tamanho dos matacões que podem entrar na cabeça de corte e o sistema de slurry inclui britadores e revestimento resistente à abrasão nas posições mais sujeitas à desgaste.

TIM ativa voz pela rede de dados em São Paulo

O serviço de voz em rede LTE (VoLTE) é a novidade da TIM na capital paulista, que passa a ser uma das vinte e uma cidades com esse tipo de oferta. Traduzindo: LTE é a sigla em inglês para evolução de longo termo ou, para simplificar, a infraestrutura de 4G. Segundo a operadora, a transmissão da voz pela rede de dados agrega alta definição, além da maior estabilidade dos serviços e redução do consumo de bateria. A funcionalidade começou em Brasília e deve chegar a mil municípios até o final do ano.

“Sempre buscamos inovar e melhorar a experiência dos nossos clientes, seja na conexão a rede de dados, através da maior rede 4G do país com mais de 2.180 cidades, como no uso da voz em alta definição (VOLTE)”, diz Leonardo Capdeville, diretor de tecnologia da TIM Brasil. Ele garante que o tempo de estabelecimento da ligação ser até quatro vezes maior do que o atual.

De acordo com Capdeville, a tecnologia será disponibilizada na frequência de 1,8 GHz graças ao investimento de rede feito com o projeto full dual layer, que ativou todos os sites da empresa nesta frequência. Os demais municípios operam o VoLTE em 700MHz. “Quando for liberada esta frequência, a cobertura será aprimorada, inclusive em ambientes indoor”, complementa.

Apesar de serem realizadas via rede de dados, as ligações não serão descontadas desse pacote. Já o acesso ao serviço depende de um smartphone compatível e da atualização do sistema operacional para a versão mais recente. Em outubro, a funcionalidade será liberada para toda a base de consumidores da operadora, pois atualmente estará funcionando para um grupo dos assinantes.

Toluna chega ao Brasil com insights sob demanda e em tempo real

Toluna, que atua na oferta de insights para empresas, anuncia a inauguração de escritório em São Paulo, o primeiro da América Latina. Criada em 2000 na França, a empresa tem como diferencial sua tecnologia de criação de pesquisas e análise de dados em tempo real, aliada a uma comunidade online com mais de 13 milhões de inscritos em todo o mundo. A ferramenta da Toluna permite que as empresas façam pesquisas de acordo com sua necessidade, auxiliando as equipes em tomadas de decisão que exigem rapidez e efetividade. Além disso, o custo competitivo torna o serviço ainda mais vantajoso. Hoje, já são mais de 5.000 clientes atendidos nos cerca de 60 países em que a Toluna atua. Agora, empresas com foco na América Latina poderão contar com um atendimento ainda mais customizado.

“A América Latina é muito valorizada pelas empresas e representa uma grande força consumidora. Cada vez mais produtos são lançados especificamente para essa região e o entendimento das necessidades, preferencias e opiniões desse consumidor é extremamente estratégico para o sucesso dos negócios. A Toluna já possui uma comunidade expressiva nos países da região, mas avaliamos que este é o momento de estarmos fisicamente presentes aqui”, explica Luca Bon, diretor de vendas da Toluna para a América Latina.