Grupo Rio Quente fecha 2016 com incremento de 10% em suas receitas

O ano de 2016 foi de muitos desafios para as empresas brasileiras, e para o Grupo Rio Quente não foi diferente. Um plano ambicioso que visa dobrar de tamanho até 2020 foi mantido sem revisão, mesmo diante da crise que se instalou no Brasil, e muito trabalho foi realizado para atingir os objetivos em meio às adversidades.

Em 2016, o Grupo Rio Quente registrou um mês histórico para a companhia: todas as metas para julho foram batidas, com recordes em hospedagem, visitação e fechamento de novos contratos. No resultado anual, o grupo conquistou um aumento de 10% em sua receita líquida, registrando uma taxa de ocupação de 71.4%, com mais de 1.3 milhão de visitantes circulando pelo Rio Quente Resorts. Com mais de 26 mil clientes, o Rio Quente Vacation Club, o clube de férias do Grupo, registrou 1,4% de crescimento na quantidade de vendas do ano.

“Os números comprovam que manter as estratégias de negócios do Plano 2020, ainda que com alguns pequenos ajustes, e continuar investindo em melhorias, foi a decisão mais assertiva que poderíamos tomar”, diz Francisco Costa Neto, CEO do Grupo Rio Quente. “Somos um enorme potencial como destino e como atração. Com certeza continuaremos a obter bons resultados nos próximos anos”, completa.

O Grupo investiu R$ 34 milhões na ampliação do Rio Quente Cristal Resort, com 88 novas unidades habitacionais, piscina, kids club, loja e restaurante, além de ter reformado o Rio Quente Suíte & Flat I, entre outras melhorias.

Sobre

O Grupo Rio Quente, detentor das marcas Rio Quente Resorts, Hot Park, Rio Quente Vacation Club e Valetur Viagens, tem como foco de trabalho a inovação e a excelência em diferentes áreas de negócios dentro do turismo. Fundado em 1979, atua nos segmentos da hospitalidade, do entretenimento, de operações turísticas e de férias por tempo compartilhado. Em junho de 2015, assumiu a administração do Marulhos Suítes Resort, em Pernambuco. O Grupo é controlado pelas holdings Algar e Gebepar

Regus anuncia plano de expansão para o Brasil

São Paulo – A Regus, multinacional que aloca espaços de trabalho, coworking e escritórios mobiliados em Business Centers em todo o mundo, anuncia um ambicioso plano de expansão para a operação brasileira. Somente no primeiro semestre do ano, estão sendo inauguradas oito novas unidades de escritórios, sendo três em São Paulo, uma em Alphaville, três no Rio de Janeiro e uma em Brasília, o que faz a empresa agregar mais 14.500m² no seu portfólio, totalizando 64.500 m² em todo o Brasil.

Uma das novidades é o lançamento do maior escritório da Regus na América Latina, que conta também com o maior longe de coworking da Vila Olímpia (na Av. Presidente Juscelino Kubitschek, 2014 – Torre B – 5° andar), no complexo do Shopping JK Iguatemi.

Segundo Tiago Alves, CEO da Regus no Brasil, o que motivou essa expansão local é que o Brasil é um dos importantes mercados do mundo e tem um potencial enorme para a empresa. “Nosso plano de expansão está diretamente relacionado com a tendência do futuro do trabalho, em que cada vez mais as organizações estão considerando a flexibilidade e novas formas de atuação, o que tende a aumentar com a lei da terceirização também”, explica o executivo.

Segundo uma pesquisa realizada pela empresa com mais de 44 mil executivos de 105 países, o Brasil está no segundo lugar do ranking de países mais adeptos ao trabalho flexível. Enquanto a média global foi de profissionais que trabalham 2,5 dias ou mais por semana fora do escritório (52% do tempo), no Brasil o índice sobe para 59%, ficando atrás apenas no México, com 70% dos profissionais trabalhando metade (ou mais) da semana fora do escritório.

Para o segundo semestre, a Regus planeja abrir novos centros de negócios, o que deve aumentar sua presença no país. Com isso, a empresa passa a estar presente em cerca de 15 cidades brasileiras, oferecendo mais opções para seus clientes que podem utilizar qualquer um dos espaços para trabalhar.

“Estamos trazendo produtos ainda mais flexíveis e focados no comportamento inteligente do ambiente de trabalho. Todos os nossos centros contam com mais de 1000 m2 de áreas de escritórios flexíveis, com pelo menos 200 m² no conceito de coworking. Também temos planos que atendem a necessidade de qualquer perfil profissional, desde daqueles que precisam de uma estação de trabalho flexível no coworking até as empresas que contam com 150 posições”, acrescenta o CEO.

Mondial Assistance passa a se chamar Allianz Worldwide Partners no Brasil

A Mondial Assistance Brasil anunciou na terça-feira, 04 de abril, um realinhamento de marcas para atender a uma demanda global do Grupo Allianz SE, do qual faz parte. A empresa, que é líder no segmento de assistência 24h e oferta de seguro viagem, divulga seu novo nome corporativo como Allianz Worldwide Partners Brasil.

O objetivo da mudança foi combinar a força e expertise das quatro marcas de renome internacional: Mondial Assistance, Allianz Global Assistance, Allianz Global Automotive e Allianz Worldwide Care, garantindo uma operação integrada e um portfólio de soluções globais para atender melhor ao mercado nas linhas de negócio Automóvel, Viagem, Residência, Saúde e Vida.

No Brasil, a empresa continuará operando no segmento de assistência 24h com a marca comercial Mondial Assistance.

Allianz Worldwide Partners Brasil

Dedicada a garantir proteção e cuidado mundialmente, a Allianz Worldwide Partners, que pertence ao Grupo Allianz SE, é a líder B2B2C em soluções de assistência de seguros nas seguintes áreas de especialização: assistência global, saúde e vida internacional, automóvel e viagem

Estas soluções, que são uma combinação única de seguro, serviço e tecnologia, estão disponíveis para clientes institucionais ou através de canais diretos e digitais sob quatro marcas de renome internacional: Mondial Assistance, Allianz Global Assistance, Allianz Worldwide Care e Allianz Global Automotive. Esta família global de mais de 16.000 colaboradores está presente em 35 países, fala 70 línguas e trata 40 milhões de casos por ano, protegendo clientes e funcionários em todos os continentes.

No Brasil, a Allianz Worldwide Partners tem 20 anos de atuação, com cerca de 2.000 profissionais, uma célula médica com equipe trilíngue e 14.000 prestadores de serviços que vivem para ajudar.

Além da Allianz Worldwide Partners, o Grupo Allianz SE, o maior grupo segurador do mundo, atua no Brasil por meio de outras quatro empresas: Allianz Seguros, seguradora de danos, pessoas e saúde empresarial, Allianz Global Corporate & Specialty (AGCS), Euler Hermes e PIMCO Brasil.

Fintech de câmbio agora também oferece seguro viagem

Antes de arrumar as malas e curtir o destino internacional, é preciso contratar o seguro viagem e fazer o câmbio. Para ajudar os turistas, a Neo Câmbio – fintech especializada na cotação e aquisição de moedas estrangeiras – agora também oferece a contratação on-line desse serviço.

A Neo Câmbio fechou parceria com uma das maiores seguradoras globais, a Sompo, cujas apólices são aceitas em todo o mundo. A cotação do seguro é feita rapidamente pelo site, sem intermediários; basta escolher o destino, o tempo de permanência e a cobertura que mais atende às necessidades para, em menos de cinco minutos, ter a apólice no e-mail, pronta para ser utilizada. Os chatbots esclarecem de imediato eventuais dúvidas dos usuários.

“Em geral, quem vai comprar moeda precisa de um seguro viagem, exigido pela maioria dos países e por muitas instituições de intercâmbio, por exemplo. Reunimos os serviços em um só lugar para facilitar a vida dos brasileiros que estudarão fora ou vão simplesmente passear”, detalha Jung Park, sócio da Neo Câmbio.

São mais de 12 modalidades de seguro viagem oferecidas, com destaque para a anual (ideal para intercâmbio) e a multitrip (para quem deve passar por mais de um destino). O preço é a partir de 19 dólares. As coberturas incluem tanto despesas médicas quanto contratempos na viagem (extravio de bagagem, voo cancelado, etc.).

Outra novidade são as remessas internacionais. “Com esse nosso novo serviço, é possível enviar dinheiro para o exterior sem intermédio de um banco e com taxas menores do que as do mercado”, explica Park. Lançada em novembro, a fintech já é utilizada por 12 mil brasileiros e movimentou R$ 4 milhões em câmbio até meados de janeiro. A meta da startup até o fim do ano são 1.000 seguros contratados.

Neo Câmbio

Site de comparação, negociação e compra de moedas. Lançada em novembro de 2016 pelo empreendedor Jung Park, a Neo Câmbio se destaca no mercado por trabalhar com atualizações em tempo real das flutuações cambiais. Além disso, oferece um modelo de cadastro simples e negocia preços até 10% mais baratos com players do setor.

e-mail marketing ainda é importante para 86% das empresas brasileiras

São Paulo – Pesquisa Global sobre Gestão e Qualidade de Dados (Global Data Management Benchmark Report), feita pela Experian entre outubro e novembro do ano passado, mostra que para 86% dos entrevistados brasileiros, o e-mail (marketing) é o ponto-alto da comunicação empresarial e será ainda a ferramenta que oferece maior alcance de diálogo com seus públicos, seguido do uso das redes socias (82%).

A visão global do levantamento também apontou essa tendência. A pesquisa, que consultou 1.400 profissionais de oito países – Reino Unido, Estados Unidos, Austrália, França, Alemanha, Espanha, Brasil e Cingapura – mostra que o e-mail será a comunicação com o cliente mais importante para 66% das organizações em 2017. Comparado a pesquisa anterior, onde esse canal chegou a representar 76%, houve uma queda. Porém, a diminuição foi compensada pelo aumento da importância das mídias sociais para 47% dos entrevistados, contra 38% em 2015.

“No mundo todo o e-mail ainda vai ser, por um tempo, um canal bastante relevante na estratégia de relacionamento com clientes. Apesar do crescimento das redes sociais, aplicativos e outras formas de contato, esse continua sendo o meio mais acessível à grande maioria das empresas. Ajuda também a relativa facilidade de se medir o retorno sobre investimento através dele”, analisa Fernando Rosolem, gerente sênior de produtos da Serasa Experian.

No mercado brasileiro, a telefonia móvel continua relevante para 64% e o uso do SMS na comunicação com o cliente para 38%. A adesão ao telefone fixo continua em alta para 42% dos entrevistados. Em comparação com os demais países do estudo, há empate com a Espanha (64%), seguido por Estados Unidos (48%), Cingapura (43%), Australia e França (39%), Alemanha (37%) e Reino Unido (33%).

Neste ano, 38% dos profissionais brasileiros e australianos ainda apostarão suas fixas no SMS para se comunicar com os clientes. Com menores percentuais o item segue com Cingapura (31%), Estados Unidos (30%), França (27%), Reino Unido (22%), Alemanha (18%) e Espanha (17%).

A telefonia fixa também será relevante no Brasil para 42% dos entrevistados em comparação aos demais países, que não devem utilizar o meio com tanta frequência. Alemanha ocupa o segundo lugar com 37%, seguido da Austrália e Espanha, ambos com 32%, Cingapura (28%), Reino Unido (24%), Estados Unidos (23%) e França (18%).

No Brasil, 83% dos profissionais ainda afirmaram enxergar melhorias significativas na eficiência das campanhas de marketing após aprimorar suas soluções de qualidade de dados, ocupando o primeiro lugar nesse item. Espanha ocupa o segundo posto com 71%, seguido dos Estados Unidos (51%), Cingapura (49%), Austrália (48%), França (42%) e Reino Unido e Alemanha, ambos com 38%.

Cury registra aumento nas vendas e mantém índices financeiros em 2016

A Cury Construtora e Incorporadora apresenta seu balanço patrimonial de 2016, com receita de R$ 812,5 milhões; o lucro líquido é de R$ 115,5 milhões e margem líquida de 14,2%. Os resultados destacaram as vendas em Incorporação, onde a empresa registrou VGV recorde de R$ 652,00 milhões – cerca de R$ 50 milhões a mais que o ano anterior e 67% ante 2014 – mantendo assim o crescimento orgânico da empresa diante do cenário econômico atual.

Em 2016, a Cury Construtora vendeu 3.131 unidades. O ROE anual atingiu a marca de 36%. Os lançamentos somaram R$ 627 milhões de reais, sendo 88% na faixa 2 e 12% na faixa 3 do Programa Minha Casa, Minha vida, contra R$477 milhões do ano anterior. Destaque também para geração de caixa de R$74,7 milhões e para a redução do nível de endividamento, de 3,4% (Dívida líquida/Patrimônio Líquido), comparado ao índice de 4,8%, registrado no ano anterior.

Fábio Cury, presidente da Cury Construtora e Incorporadora comemora o ótimo desempenho da empresa: “Após mais um ano de incertezas políticas e principalmente econômicas, a Cury demonstrou em 2016 o resultado da solidez de suas operações, com destaque para o volume de vendas e manutenção dos seus índices financeiros. Conseguimos manter o mesmo patamar de receitas por meio de expressivo volume de lançamentos de projetos de Incorporação, com recursos do FGTS. A qualidade na execução das obras e nossa modalidade de vendas onde o comprador é repassado quase que simultaneamente para a instituição financiadora, também contribuiu para a estabilidade dos resultados da empresa”.

Para 2017, a Cury novamente sai na frente do mercado e implementa seu novo modelo de comercialização denominado Venda Definitiva, onde o cliente assina o contrato de financiamento no ato da sua venda, garantindo mais segurança e transparência tanto para empresa quanto para o cliente. “Com esse novo modelo finalmente alcançamos o formato de comercialização ideal para o mercado, acabando de vez com ????|?i?????????????????????›??????????????????o problema dos distratos e estabelecendo uma relação mais saudável com nossos clientes”, comenta Fabio Cury.

O empresário também revela as expectativas para esse ano: “Esperamos um ano árduo, porém estimulante. A retomada de crescimento do país por intermédio das reformas econômicas é ponto fundamental para um ano ainda mais promissor, e nos sentimos preparados para superar os novos desafios.

Além de encontrar terrenos e desenvolver produtos adequados para o perfil específico de clientes, os anos de experiência da construtora, aliados a sua cultura de forte controle de custos e busca de eficiência prepararam a empresa para operar no segmento econômico. Essa assertividade possibilitou desenvolver métodos construtivos focados em qualidade e custo. Além disso, a Cury criou empresas de vendas e de repasses exclusivas para a baixa renda, o que permitiu aprimorar seu processo de vendas e repasse. Todos esses fatores viabilizaram a posição de destaque nacional no Programa MCMV.

Cury Construtora e Incorporadora S.A.

A Cury Construtora e Incorporadora atua no segmento de construção e incorporação de empreendimentos imobiliários desde 1962, e está presente hoje nos estados de São Paulo e Rio de Janeiro. A companhia contratou mais de 45 mil unidades no Programa “Minha Casa Minha Vida”, consolidando-se como uma das maiores construtoras do mercado econômico. Possui certificação ABS Quality Evaluations e o nível A (máximo) do Programa Brasileiro da Qualidade e Produtividade na Habitação (PBQP-H). Desde 2007, por meio de uma joint venture com a Cyrela Brazil Realty, maior incorporadora do país, é denominada Cury Construtora e Incorporadora S.A.

Grupo São Francisco cresce 23% e investe R$ 60 milhões em ampliação da rede de saúde

São Paulo – Uma aposta no mercado de saúde de Ribeirão Preto, há mais de 70 anos, resultou no desenvolvimento de um dos maiores conglomerados de saúde do País. Hoje, o Grupo São Francisco (GSF) já não se restringe mais ao interior paulista – onde tem mais de 3 mil credenciados entre estabelecimentos e médicos – e está presente em 5 Estados com a São Francisco Saúde, uma das maiores operadoras de saúde do Brasil, com 522 mil clientes. Em 2016, as estratégias de verticalização e expansão do Grupo resultaram em um crescimento de 23% no seu faturamento.

“Estamos diante de um cenário promissor para a medicina de grupo, que têm ganhado cada vez mais espaço no País, principalmente entre as grandes empresas”, afirma Lício Cintra, presidente do GSF, que complementa: “Em 2017, pretendemos investir R$ 60 milhões na ampliação da rede no interior de São Paulo, Centro Oeste e na região do Sul de Minas Gerais. Esse valor também será voltado a investimentos de TI e novas unidades”.

Com números tão expressivos, é de se esperar que o Grupo conte com estratégias agressivas de crescimento. Só em 2016, obteve um incremento de 18,6% no número de clientes, resultado da sua verticalização – processo que consiste no melhor aproveitamento dos recursos internos da empresa -, que permitiu a preservação dos padrões de gestão e melhoria no gerenciamento da qualidade e custos dos serviços. Para esse ano, o objetivo é um crescimento de 20% em saldo de vida e de 23% em vendas.

Além da operadora São Francisco Saúde, o Grupo ainda conta com o Hospital São Francisco, referência em atendimento de alta complexidade em Ribeirão Preto e região, São Francisco Odontologia, São Francisco Resgate e São Francisco Ocupacional. Sua rede inclui também 78 unidades próprias, divididas entre clínicas e prontos-socorros. “Queremos que as empresas sejam cada vez mais reconhecidas em suas regiões de atuação, pois oferecemos profissionais altamente capacitados e estrutura de atendimento de ponta”, afirma Lício.

Inovação

Um dos projetos mais inovadores do GSF é o aplicativo BIO. Disponível para todos os clientes da operadora médica, é um exemplo de como a tecnologia torna o atendimento mais humanizado. Por meio dele, os pacientes podem manter contato direto com profissionais de enfermagem que avaliam a evolução de doenças crônicas, agilizam o atendimento em casos emergenciais e ajudam a indicar profissionais da rede própria ou credenciada. O aconselhamento é realizado 24 horas por dia.

“O BIO permite que seja feito um acompanhamento do paciente, seja de algum problema de saúde pontual, uma doença crônica, ou até mesmo de dúvidas relacionadas à gravidez e pós-parto”, afirma Lício. “Muitas mães, inclusive, têm se beneficiado da solução durante o processo de amamentação”, finaliza.

O aplicativo, que atualmente monitora 5 mil usuários, recebeu um investimento de R$ 3,5 milhões. Nesse ano, o objetivo é investir no aprimoramento do app para que assim a ferramenta alcance mais pessoas. “A meta é que ao final de 2017 tenhamos mais 30.000 pessoas cadastradas”, conclui Lício.

São Francisco

Com mais de 70 anos de história, o Grupo São Francisco é um dos maiores grupos de saúde do Brasil. Composto pelo Hospital São Francisco, principal hospital particular de alta complexidade de Ribeirão Preto e região; São Francisco Saúde, uma das maiores operadoras de planos de saúde do país; São Francisco Odontologia, operadora de planos odontológicos de grande porte; São Francisco Resgate, uma das maiores empresas do setor de resgate rodoviário e a São Francisco Saúde Ocupacional, o Grupo dispõe de atendimento multidisciplinar, planejado para oferecer mais conforto e bem-estar aos seus pacientes. Para mais informações, acesse o site: http://www.saofrancisco.com.br