It Sushi inaugura segundo restaurante em São Paulo

O público de Pinheiros e região contará com uma nova opção da culinária japonesa moderna que já é sucesso no bairro do Itaim Bibi. O It Sushi abre sua segunda casa com o cardápio criado e assinado pelo chef e também sócio do novo empreendimento, Cris Mori (ex Vinoteca & Sushi do Empório Santa Maria), consagrado por seu estilo peculiar na gastronomia japonesa.

Conhecido por sua vida cultural e gastronômica intensa, o bairro de Pinheiros recebe o It Sushi (www.itsushi.com), também sob o comando do empresário Rogério Ogata, que inaugura seu quarto estabelecimento na capital paulista. Além do It Sushi, Ogata e Mori estão à frente de outros dois restaurantes japoneses na região do Itaim, o Kibô Sushi e o Sarumon.

O It Sushi nasceu com o intuito de proporcionar uma experiência gastronômica da culinária japonesa moderna apresentada através de um menu degustação a preço fixo. Nele, o cliente seguirá uma sequência de pratos servidos em pequenas porções cuidadosamente elaboradas e o melhor é que poderá repetir o que mais gostar da sequência do menu degustação. “Os pratos devem, preferencialmente, ser degustados na sequência. Todo esse cuidado potencializa os sabores e texturas dos ingredientes, proporcionando uma deliciosa e inesquecível experiência gastronômica”, explica Cris Mori.

Além disso, Mori utiliza na criação dos pratos ingredientes nobres, como vieiras, foie gras, pork belly, ingen beans (vagem holandesa), flor de sal, azeite trufado.

Quem assina o projeto da nova casa em Pinheiros é um dos mais conhecidos arquitetos do país, João Armentano, que já assinou projetos para Athina Onassis, Cristiana Arcangeli, Eliana, Angélica, Tom Cavalcanti, entre outros. “Para nós, proporcionar uma verdadeira experiência gastronômica vai além de servir pratos que atendam a expectativa dos nossos clientes. O conforto e o bem-estar também fazem parte desse momento e por isso escolhemos um profissional especializado nesse estilo de projeto que prioriza o conforto, mas com toques de elegância e modernidade”, explica Rogério Ogata.

“Com a inauguração da nova unidade em Pinheiros, esperamos levar ao público da região a experiência de sucesso que proporcionamos aos clientes do Itaim, um menu degustação diferenciado da culinária japonesa moderna, mas com muito sabor e qualidade”, afirma Cris Mori.

Anúncios

Edenred Brasil abre inscrições para programa de aceleração de startups

A Edenred Brasil, que atua em soluções transacionais para empresas, comerciantes e empregados, dá início ao programa de aproximação e aceleração de startups: o programa de Open Innovation, Edenred Connect. O programa visa aproximar o Grupo de startups, com objetivo de trazer inovação de fora para dentro, selecionando parceiros que colaborem no desenvolvimento de soluções, melhorias e produtos que atendam as marcas do grupo. As startups selecionadas terão vantagens como mentorias e parcerias de negócios. As inscrições estarão abertas entre os dias 6 de março e 15 de abril.

Como uma precursora da inovação aberta, a Edenred desenvolveu um sistema global que antecipa tendências e explora ecossistemas que tenham afinidade com seu core business. O Grupo tem trabalhado desde 2011 com o Partech Ventures, um fundo de investimento que apoia empresas jovens e de crescimento rápido na economia digital.

No Brasil, o Programa de Open Innovation, Edenred Connect, foi implantado em 2017 e faz parte do plano estratégico de aceleração do Grupo, que visa alcançar a digitalização de sua oferta em geral e dar a posição de liderança em B2B2C, o que é refletido pelo posicionamento: “We connect, you win.”

“Somos uma marca que conecta empresas e pessoas. “Acreditamos na soma da agilidade de uma startup, com a força de uma empresa multinacional e líder de mercado”, explica Gilles Coccoli, Presidente da Edenred Brasil.

As startups devem inscrever seus projetos dentro dos temas: fintech, mobilidade, internet das coisas, rodoviário, big data, data e BI, block chain, veículos autônomos e elétricos, mobile payment, saúde, chatbot, fidelização, relacionamento e premiação, digitalização de documentos. No dia 15 de maio, os projetos pré-selecionados irão apresentar seus modelos de negócios, destacando as oportunidades de sinergia com a Edenred Brasil. Serão selecionadas cinco startups para participar do processo por seis meses, de junho a novembro. Na primeira edição do programa, em 2017, foram mapeadas 15 startups com projetos que se encaixavam nos negócios da Edenred Brasil e duas foram selecionadas para um programa de aceleração.

As startups interessadas em se inscrever no programa e conhecer mais sobre o projeto, basta acessar o hotsite http://www.edenredconnect.com.br .

Semana Santa: mais de três milhões de viagens serão realizadas no país

A Semana Santa e os feriados da Paixão de Cristo e Páscoa estão entre um dos maiores momentos religiosos do Brasil e atraem milhões de pessoas para participar das celebrações de fé. Dados do Ministério do Turismo apontam que o período vai impulsionar 3,4 milhões de viagens domésticas e atrair 230 mil turistas internacionais ao país.

Em 2018, a festa religiosa será celebrada entre os dias 25 de março a 01 de abril. Os municípios já se planejam para realizar grandes eventos e narrar história da morte e ressureição de Jesus, símbolo do cristianismo. Além de ser momento para demonstração de fé, a data também é favorável para quem quer aproveitar os dias de descanso e relaxar na natureza, curtir festivais, conhecer um destino diferente ou aproveitar para degustar os chocolates produzidos para a Páscoa.

Com o intuito de fornecer informações mais detalhadas sobre os eventos brasileiros, o Ministério do Turismo desenvolveu o Calendário Nacional de Eventos, site que compila festividades de vários tipos que acontecem todos os meses nos municípios do país. Com a ferramenta, o turista conta com uma importante fonte de consulta para conhecer a cultura do Brasil e se programar mais e melhor para viajar.

O site tem a colaboração de secretarias estaduais e municipais de turismo, além de organizadores de eventos, que enviam a descrição das festividades para a área técnica do MTur, responsável por avaliar os dados e disponibilizá-los no sistema. Atualmente, só para o período da Semana Santa, o Calendário já registra 75 eventos, número que pode ser ampliado conforme o envio de informações vai aumentando.

Não vão faltar destinos para quem quer passar a data relembrando o sacrifício de Jesus, pois os estados do Pará, Rio De Janeiro, Pernambuco, Rio Grande do Sul, Paraíba e Mato Grosso do Sul registram no Calendário eventos voltados para apresentações sobre a Paixão de Cristo. No município Brejo da Madre de Deus (PE), por exemplo, acontece uma das maiores encenações do Brasil remetentes ao tema.

O teatro da Paixão de Cristo é realizado há 50 anos no agreste pernambucano, na cidade cenográfica de Nova Jerusalém. Ele atrai 250 mil turistas do Brasil e do mundo, injeta R$ 200 milhões na economia local e cria 1.500 empregos diretos. “Além de incentivar e demonstrar as tradições religiosas do nosso povo, esses eventos são importantes motes para o desenvolvimento de muitos municípios, pois é nessa época que eles recebem a visita de turistas e incrementam a renda local”, ressalta o ministro do Turismo, Marx Beltrão.

Quem deseja curtir o feriado de outra forma também pode buscar no Calendário outras festividades como o Festival do Chocolate, em Petrópolis (RJ) e o Chocopraia, em Cidreira (RS), que vão oferecer turismo gastronômico por meio das delícias do cacau e chocolates feitos especialmente para a Páscoa.

Os aventureiros podem se programara para curtir trilhas em Breu Branco e Uruará (PA), que serão feitas a pé ou em motocicletas. Já para o turista amante de adrenalina, a dica é aproveitar o Moto Rock Festival, em Piraju (SP) ou o Motofest, em São Bento (PB). Um feriado inesquecível será vivido ao som de shows de rock, apresentações com manobras de carro e exposição de motos raras.

Startup espanhola de entregas inicia operações no Brasil

São Paulo – A Glovo, startup espanhola de entregas rápidas, inicia as operações no Brasil. O lançamento integra um plano estratégico que tem como objetivo fortalecer a marca na América Latina logo após a abertura de operações na Argentina, Chile e Peru. A partir de uma joint venture com a Cabify na América Latina, plataforma inteligente de mobilidade urbana, a empresa tem como proposta o modelo de “Multidelivery on-demand” que, já consagrado em países como Espanha e Itália, expande o conceito de entregas rápidas com preços mais competitivos. No país, a startup chega praticando entregas com taxa fixa de R$ 6,90 nos primeiros 3 meses de operação.

Inspirado pelos modelos de negócios como o do Airbnb, o jovem empresário e engenheiro aeroespacial Óscar Pierre fundou a Glovo em fevereiro de 2015, a partir da ideia de que é possível otimizar o tempo de maneira consistente com o uso de um serviço que entrega qualquer coisa de forma muito mais rápida. Por isso, o app permite comprar, receber ou mesmo enviar qualquer item em poucos minutos dentro de uma mesma cidade. Hoje são mais de 3,5 mil estabelecimentos associados à marca – como o McDonald’s que, na Itália e Espanha têm o app como parceiro exclusivo de entregas, além de 4 mil “glovers” (apelido dos entregadores) espalhados por mais de 25 cidades ao redor do mundo. “Permitimos que, a qualquer momento, todo tipo de estabelecimento comercial se conecte aos perfis dos usuários da Glovo, otimizando o tempo e transformando a forma como os clientes adquirem novos produtos e os recebem em suas casas”, explica Pierre.

A empresa iniciará as operações no Brasil com foco em bairros de São Paulo e Rio de Janeiro, mas já possui planos para chegar a 12 cidades até o mês de junho. Os “glovers” poderão se cadastrar na plataforma para realizar entregas de motocicleta, podendo ser remunerados de acordo com o número de pedidos atendidos, tempo e distância percorrida.

A Glovo já tem um country manager definido: Bruno Raposo, ex-Peixe Urbano e ImóvelWeb, abraça a aposta da empresa espanhola em território nacional. “O mercado de delivery no Brasil tem crescido acima de 10% nos últimos anos e muitos empresários estão atentos a esta demanda. Assim, acreditamos que o país tem grande potencial para se tornar um dos nossos maiores mercados nos próximos anos”, analisa o executivo, destacando que a joint-venture com a Cabify prevê que a Glovo assuma a operação do Cabify Express, serviço de entregas rápidas.

Dividido em sete categorias de serviços, o aplicativo atende parceiros como farmácias, supermercados, lanchonetes e restaurantes, além de outros de diversas naturezas. “O ponto é que não ficamos restritos à entrega de comida, este é um dos principais diferenciais da Glovo”, ressalta Raposo. O aplicativo traz a função “o que quiser”, através da qual o usuário pode solicitar qualquer produto com assistência de um tipo de “concierge” pessoal. Ao escolher por esta funcionalidade, a startup assume a mediação do contato entre o comprador e fornecedor, de forma a levantar as especificações exatas dos itens requisitados e monitorar todo o serviço, da aquisição à entrega das encomendas ao cliente.

O modelo de negócio da Glovo ainda contempla uma rede de suporte aos clientes, composta por call centers terceirizados e equipe de atendimento dedicada. Os “glovers”, por sua vez, também passam por palestras informativas oferecidas pela startup, para que as entregas sejam realizadas com o máximo de cuidado, agilidade e eficiência.

38% dos viajantes corporativos são mulheres

Já não é mais novidade que a presença da mulher está crescendo no mundo dos negócios. Estima-se que 38% dos viajantes corporativos em todo o mundo são mulheres. Além disso, 11,2% das mulheres que viajam a trabalho são donas de suas empresas. É o que aponta um estudo realizado pelo programa de fidelidade da rede de hoteleira Wanup, que entrevistou seis mil viajantes corporativos espalhados pela Europa.

Mulheres mais conectadas

De acordo com o IBGE, em 2016, a proporção de mulheres conectadas foi maior que a de homens: 65,5% delas tinham acesso à internet pelo celular, enquanto o índice para eles era de 63,8%. Com a tecnologia, as viajantes podem obter aumento de produtividade, já que os dispositivos móveis possibilitam que aproveitem o tempo inativo entre voos ou nos táxis, por exemplo, para checar e-mails, conversar com clientes e até mesmo adiantar algumas tarefas, além de otimizar processos decorrentes das viagens.

Por meio de aplicativos, é possível comprar passagens aéreas, reservar hotéis ou utilizar mapas para deslocamento em seus destinos. Além disso, estar conectado também auxilia em um dos processos burocráticos considerados mais estressantes para elas, de acordo com a Business Travel News: o reembolso das despesas de viagem.

Multifilmes fecha 2017 com alta de 20% no faturamento

Um ano depois de sua entrada para o franchising, a rede de franquias Multifilmes, especializada em aplicação de películas arquitetônicas e automotivas, aumentou em 20% seu faturamento no ano passado em comparação com 2016. A rede acompanha o crescimento do setor de franquias de serviços automotivos que, de acordo com a ABF – Associação Brasileira de Franchising, aumentou 5,1% em 2017 se comparado a 2016.

“O ano passado foi um ano de retomada no crescimento do faturamento da Multifilmes, com o crédito difícil ao consumidor final, as concessionárias de veículos zero KM deixaram de colocar muitos carros na rua em 2015 e 2016, em 2017 sentimos um melhora significativa na venda de veículos e 2018 tende a ser melhor ainda”, comemora João Paulo Ruciretta Junior, fundador da Multifilmes.

A marca foi criada em 1999, em Ribeirão Preto, interior de São Paulo. Com público definido, produtos de qualidade e um excelente know-how, a Multifilmes entrou para o franchising em 2017, tendo, inclusive, inaugurado uma unidade em Orlando, na Flórida, em novembro. “Fechamos vários contratos com novos parceiros, porém o mais importante foi a abertura de uma unidade no exterior, o que nos permitiu agigantar a marca perante nossos concorrentes”, explica Junior.

O carro-chefe da marca é a aplicação de películas de proteção solar, para privacidade ou antivandalismo em veículos, porém, a Multifilmes também trabalha com aplicação em vidros de residências, escritórios, comércios e restaurantes, por exemplo, sendo possível realizar parcerias com construtoras e arquitetos.

“Mudamos o foco, concentramos energia no cliente final, trouxemos para o Brasil produtos com linhas exclusivas e alta qualidade, isso nos colocou a frente dos nossos concorrentes, fazendo o volume de serviços e nosso lucro aumentar muito de 2016 para 2017. Vale salientar que não há no Brasil uma loja no mesmo ramo parecida com a Multifilmes, investimos muito em transformar a marca em algo único, que oferece uma experiência ímpar na aplicação de películas”, conta.

Apesar da abertura da unidade no exterior, o foco da marca em 2018 é o Brasil. Para este ano, a rede espera abrir 36 unidade no país, concentrando suas lojas, principalmente em São Paulo, no sul e no sudeste. “Investimos constantemente em treinamento da nossa equipe para termos excelência total em nossos atendimentos, oferecendo soluções personalizadas para cada tipo de cliente. Em 2017 faturamos mais de R$ 1,2 milhão e esperamos crescer 35% em 2018 com o aumento da venda de veículos e abertura de novas unidades”, finaliza o fundador da marca.

Maioria das empresas de mulheres está “No Começo”, segundo Serasa

São Paulo – Estudo feito pela Serasa Experian em razão do Dia Internacional da Mulher, comemorado no dia 8 de março (quinta-feira), aponta que 37% das companhias com sócias do sexo feminino estão “No Começo”, ou seja, são empresas com menos de cinco anos, e predominância de dois anos de idade, entre Microempreendedores Individuais (MEIs), Microempresas, Pequenas e Médias Empresas. As sócias, em sua maioria, são jovens adultas com idade de 26 a 45 anos, a maior parte pertencente às classes sociais C e D.

O estudo leva em conta a segmentação Mosaic Business, criada pela Serasa Experian e lançada em outubro do ano passado, e que analisa os 17 milhões de empresas ativas do país, levando em conta mais de 150 variáveis, como a natureza jurídica, o desempenho, o setor, a quantidade de empregados, entre outras informações. O Mosaic Business mostra que, das mais de 9 milhões de empresas que possuem sócias mulheres, quase 80% estão concentradas nos três grupos e dez segmentos abaixo (veja tabela):

“Cada vez mais mulheres têm se lançado como empreendedoras no país, por isso vemos a predominâncias de negócios recentes. O caminho do empreendedorismo feminino é uma das alternativas para aumentar o rendimento ou até ser a principal fonte de renda da família”, explica Fernando Rosolem, gerente sênior de soluções da Serasa Experian.

Segundo levantamento feito pela Serasa Experian com dados da PNAD (Pesquisa Nacional por Amostras de Domicílios), do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), de 2014 a 2017, a participação das mulheres empreendedoras (empregadoras ou que trabalham por conta própria) passou de 21,7% para 24,3% do total das mulheres que trabalham. Um aumento de 2,6 pontos percentuais. Este aumento foi maior que o dos homens (1,4 pontos percentuais), que passaram de 36,5% para 37,9% dentre os homens que trabalham.

Como mostra a tabela acima, o segmento “Começo Equilibrado” é o de maior concentração entre as empresas das mulheres, e são MEIs que sinalizam um começo cauteloso por meio de suas transações e atividades de mercado moderadas, bem como indicadores financeiros saudáveis. Em seguida, vemos os “Jovens empreendedores em Ascensão”, que indicam MEIs com ótima situação de crédito e indicadores financeiros mostrando crescimento.

O segmento “Começando com Cautela”, também do grupo “No Começo”, é formado por MEIs do setor de comércio e serviços, apresentando baixa operacionalidade no mercado, e indicando um começo cauteloso sem muita operação de fato, ainda.

“Na Luta” e no “Bom Caminho”

Após o grupo “No Começo”, que é o predominante, temos uma concentração de 28% das empresas no grupo “Na Luta”, que é composto por negócios que apresentam alguma dificuldade financeira, que pode ser uma fase, ou uma situação mais prolongada. Essas empresas têm, predominantemente, acima de 5 anos e um risco de crédito médio ou alto. Em termos de porte, a maioria é Microempreendedor Individual (MEI) e Microempresa (ME).

Em terceiro lugar, o estudo Mosaic Empresas mostra que 12% dessas empresas com sócias mulheres estão no “Bom Caminho”, com indicadores financeiros positivos e confortáveis e com mais tempo de existência (acima de 10 anos).