Mercado de escritórios paulista deve manter absorção líquida positiva até 2020

Giancarlo Nicastro, CEO da SiiLA Brasil, apresentou na manhã desta quinta-feira (17), o Live Webinar SiiLA Brasil, no qual trouxe dados e análises do mercado de escritórios de alto padrão em São Paulo, em formato de conferência online, que foi acompanhada por profissionais do setor.

Durante o Webinar, Nicastro apresentou dados históricos do estoque desde 2010 e projeções para os próximos anos. “Em 2017, o mercado paulistano recebeu novos 65,677m², representando uma queda de aproximadamente 74% quando comparado ao volume de m² adicionado à cidade em 2016. A queda, porém, foi artificial, pois na realidade as empresas postergaram suas entregas para 2018. Tanto que apenas no 1º trimestre deste ano, o novo estoque da cidade foi de 91.859 m², referentes a três empreendimentos de alto-padrão entregues”.

O executivo apresentou também uma análise do novo estoque, das novas locações do mercado e do EMBI – Risco Brasil, índice baseado no bônus (título de dívida) emitidos pelos países emergentes, que mostra os retornos financeiros obtidos a cada dia por uma carteira selecionada de títulos do país. “Em 2016, quando o Brasil estava passando por processo de impeachment e instabilidade política e econômica, o EMBI – Brasil estava alto e a taxa de absorção líquida, muito baixa. Mas, já em 2017, a confiança do mercado voltou, o que refletiu na redução do índice de EMBI e na absorção líquida positiva”.

Para os próximos dois anos, a tendência é que o volume de entregas de novos empreendimentos seja baixo, enquanto a absorção líquida deve se manter no patamar de 130 mil m² por ano.

Vacância estrutural dos escritórios corporativos

Durante o Live Webinar, Giancarlo Nicastro também apresentou análise da SiiLA Brasil sobre a vacância estrutural da cidade. “O conceito, conhecido lá fora mas pouco explorado no Brasil, faz uma análise profunda na situação de espaços vagos e ocupados da cidade. No caso de São Paulo, temos 151 lajes que entram dentro dos paramentos de vacância estrutural e, por tanto, quando retirados do estoque total, a taxa de vacância total da cidade cai para o patamar de 14%, indicando que o mercado encontra-se equilibrado”.

Análise do Preço Pedido: região da Chucri Zaidan

A região da Chucri Zaidan é hoje a que concentra o maior número de área de escritórios de alto-padrão de São Paulo, segundo os dados da plataforma SiiLA Brasil. E é também a região que tem concentrado um grande número de transações de locação nos últimos anos. “A SiiLA Brasil busca constantemente os valores transacionados no mercado, para assim oferecermos dados precisos do valor do m² locado dos imóveis comerciais brasileiros”, afirma Nicastro. No mercado geral, a análise da plataforma constatou que existe uma variação média de 15% entre o preço pedido e o preço transacionado. E essa diferença vem diminuindo ao longo dos últimos anos “No caso da região Chucri Zaidan, o preço pedido é de R$ 96 por m², enquanto o preço médio transacionado está próximo de R$ 85/m²”, conclui o executivo.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s