Crossover promove torneio de contratação para engenheiros de software

A empresa global de recrutamento e tecnologia Crossover realizará uma competição de codificação no dia 29 de julho, em São Paulo, oferecendo aos brasileiros a chance de serem contratados para 50 cargos de engenheiro de software sênior com trabalho remoto e um salário anual de US$ 100 mil, o equivalente a R$ 321 mil reais.

A empresa com sede nos EUA começou a organizar os chamados “torneios de contratação” há seis meses na Europa Oriental, África do Norte e Ásia Ocidental, incluindo a Polônia, Rússia, Egito e Paquistão. O evento deste mês no Brasil, no entanto, será a primeira incursão da empresa na América do Sul.

Semelhante a um “hackathon”, os torneios de contratação da Crossover envolvem profissionais seniores – principalmente engenheiros de software – que se reúnem e passam por uma série de testes básicos, alguns desafios de codificação e uma entrevista técnica. Àqueles com os melhores resultados são oferecidos instantaneamente um trabalho remoto (eles podem trabalhar de qualquer lugar) em empresas americanas, como Aurea Software, Jive, CrazyEgg e Versata.

“Estamos planejando contratar 50 engenheiros de software seniores do Brasil, experientes em tecnologias de Java Script”, disse Andy Tryba, CEO da Crossover, que estará presente no evento. “Nós estamos pagando US$ 100 mil por ano por essa posição, o que significa que nós planejamos trazer US$ 5 milhões de salários anuais para a economia brasileira em um único dia”.

Todos os cargos são de período integral e de longa duração, e os contratados devem trabalhar 40 horas por semana em horário flexível. Eles podem, por exemplo, tirar as segundas-feiras de folga compensando nos outros dias, ou trabalhar durante a noite e aproveitar a praia durante o dia. A escolha é deles.

Com todas as posições 100% remotas, aqueles que são empregados através do Crossover não precisarão – nem se espera isso deles – se mudarem. Como diz Tryba, “Onde você trabalha é sua escolha. Não há nenhuma babá em nosso ambiente e nenhum empregador pode forçar ninguém a se mudar para Londres, por exemplo. Dito isto, se um de nossos talentos quer viver em Londres, não há nada que o detenha”.

A razão pela qual a Crossover está chegando ao Brasil é dupla: o país tem uma população dinâmica e jovem, e o talento brasileiro tende a ser leal, o que significa que a rotatividade de pessoal é muito baixa em comparação com outros países. “Uma vez que um engenheiro de software brasileiro experimenta a liberdade do trabalho remoto, eles não tendem a retornar ao trabalho fixo em escritório”, disse Tryba.

A Crossover, ao procurar os 1% maiores talentos em todo o mundo, contribuiu para que mais de 2.400 pessoas, incluindo mais de 150 brasileiros, encontrassem emprego em empresas clientes Fortune 1.000. Outros talentos seniores provêm de mercados emergentes alternativos como a Turquia, a Romênia, a Rússia, a Argentina e o México e a maioria dos projetos envolve grandes produtos de software corporativo, desde serviços de telecomunicações e financeiros a comércio eletrônico e pesquisa e desenvolvimento.

Talentos seniores em software com a experiência necessária em Java Script interessados em participar do torneio de contratação devem se registrar no site.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s