Colorado mira o mercado cervejeiro do Nordeste

Uma verdadeira alquimia que surge da combinação da cevada e do malte com mel, rapadura, café, e até mandioca, dá corpo ao portfólio de cervejas artesanais da Colorado. De origem paulista, mais precisamente de Ribeirão Preto/SP, a cervejaria completa 21 anos oferecendo um produto sensível ao paladar apurado e jovem, focada em desenvolver bebidas que tenham o DNA brasileiro. Em 2017, a companhia completa dois anos sob a operação da Ambev (Companhia de Bebidas das Américas), que adquiriu a marca com o propósito de promover o avanço do segmento de cervejas artesanais. De lá pra cá, as coisas só melhoraram. De acordo com Marcelo

Carneiro, fundador da Colorado, a multinacional expandiu a atuação da marca para novas praças. “Sempre fomos muito fortes no Sudeste, mas chegamos a um momento em que a distribuição das cervejas precisava de uma qualificação maior. Então, a Ambev surgiu com essa expertise e vimos o consumo de Colorado aumentar exponencialmente”, diz ele.

Na sua opinião, o boom do consumo das cervejas artesanais veio da Colorado? Em minha opinião, a Colorado contribuiu muito para esse processo. Em primeiro lugar, é uma empresa com muita persistência. Atingir 20 anos de mercado no Brasil não é fácil. O País passa por uma fase de baixa autoestima, mas a gente precisa usar esse produto para ajudar o brasileiro a se animar. O consumo de cervejas artesanais é de 2% em relação à categoria geral de cervejas, mas ainda há muita oportunidade e muito campo para crescer.

O que mudou para a Colorado depois de sua venda para a Ambev? Agora eu posso expandir a marca com qualidade e regularidade. Uma pequena indústria não poderia fazer isso. Quando a Colorado foi associada à Ambev, começamos a praticar um preço mais baixo do que os preços cobrados pela maioria do mercado. Nossa produção aumentou em cinco vezes nesses dois últimos anos. A partir deste mês, a Colorado já pode ser considerada a maior microcervejaria do Brasil, com uma produção de mais de meio milhão de litros por mês. Estou tendo muita liberdade para criar receitas novas e continuo à frente da marca.

Quais são os próximos passos da cervejaria? Vamos focar agora no avanço da marca no varejo nordestino, além da exportação. Manteremos uma competição de ganha-ganha com o restante do mercado. O Brasil é o terceiro maior produtor de cervejas do mundo e podemos inventar nossas cervejas. Um dia chegamos na lata, eventualmente vamos entrar nesse formato de embalagem.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s