Produção de biodiesel é projetada em 5,3 bilhões de litros

São Paulo – A Associação Brasileira das Indústrias de Óleos Vegetais (Abiove), principal entidade representativa do setor de biodiesel, prevê uma produção de 5,3 bilhões de litros em 2018, aumento de 25% em relação a este ano, caso seja antecipada para março a mistura de 10% no diesel comercial, o chamado B10.

São inúmeras as vantagens para a sociedade brasileira da adoção do B10: além da geração de 20 mil novos postos de trabalho na cadeia produtiva de oleaginosas e biodiesel, o País economizará ao todo US$ 3,2 bilhões em divisas internacionais com a substituição do volume equivalente importado de diesel mineral, diz Daniel Furlan Amaral, gerente de economia da Abiove.

A expectativa da Abiove tem como fundamento a sinalização positiva do presidente Michel Temer em audiência com a Frente Parlamentar do Biodiesel, presidida pelo deputado Evandro Gussi, para a antecipação do B10 em 12 meses diante da assinatura do contrato de fornecimento de combustíveis para testes em motores. A confiança do presidente advém da capacidade de fornecimento de um biocombustível avançado e nos benefícios econômicos, sociais e ambientais do setor para o Brasil. Essa sinalização foi endossada pelo ministro de Minas e Energia, Fernando Coelho Filho, que confirmou os trabalhos da equipe do MME na resolução do CNPE que validará a antecipação da mistura. Isso ocorreu nas audiências realizadas durante esta semana em Brasília.

B10 elevará processamento de soja – Com o B10, haverá uma elevação de 3,7 milhões de toneladas no processamento de soja em função da demanda por óleo de soja, além da elevação das aquisições de sebo bovino e óleo de fritura recuperado.

Em 2018, o setor trabalhará também pela definição do cronograma de expansão gradual da mistura até B15 para os próximos anos. A atual legislação prevê que a mistura possa chegar até 15%, mediante decisão do Conselho Nacional de Política Energética (CNPE).

Aumento da mistura – Além dos benefícios econômicos, o biodiesel reduz a emissão dos principais causadores da poluição atmosférica e gases de efeito estufa em mais de 70% em relação ao diesel mineral, com ganhos expressivos à saúde humana e ao meio ambiente. Do início da produção em 2005, até o ano passado, a cadeia produtiva do biodiesel proporcionou:

– produção de 25,1 bilhões de litros de biodiesel;

– geração de demanda para o processamento doméstico de 85,1 milhões de toneladas de soja;

– alívio à rede de esgoto, pois evitou o descarte de óleo de fritura usado;

– geração de mercado para o consumo de 3,9 milhões de toneladas de gorduras animais, o que evitou o seu descarte inadequado no meio ambiente.

No período de 12 anos, o biodiesel evitou a emissão de 79 mil toneladas de CO2eq., o que corresponde a 4% das emissões totais de diesel.

Evitou, também, o dispêndio de US$ 15,7 bilhões com importações de diesel fóssil.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s