Sicredi tem R$ 14,8 bilhões para Plano Safra 2017/2018

O Sicredi – instituição financeira cooperativa com mais de 3,5 milhões de associados e atuação em 20 estados brasileiros – continua contribuindo de forma sólida para o crescimento e incentivo ao agronegócio. Para o próximo ciclo do Plano Safra (2017/2018), que começa em julho, o Sicredi vai disponibilizar mais de R$ 14,8 bilhões em crédito rural, projetando atingir mais de 195 mil operações, entre custeio, comercialização e investimento.

Nos estados do Paraná, São Paulo e Rio de Janeiro a liberação será de R$ 4,42 bilhões, valor 34% superior ao que foi oferecido na safra passada. Estes recursos atenderão aos produtores rurais enquadrados no Pronaf, Pronamp e demais, nas linhas de custeio agropecuário e investimentos direcionados. Na opinião de Gilson Farias, gerente de desenvolvimento de Crédito da Central Sicredi PR/SP/RJ, o crescimento constante de recursos mostra a relevância da instituição para o produtor brasileiro. “Mais do que recursos, nós trabalhamos juntos aos agricultores, entendemos a demanda e oferecemos crédito consciente e responsável para alavancar o seu crescimento. Consequentemente, isso gera desenvolvimento em toda a região e também para o Sicredi”, explica.

Focado em apoiar os seus associados por meio de produtos e serviços adequados às suas necessidades, o Sicredi busca disponibilizar crédito consciente. Antes de solicitar o recurso, é importante que o produtor faça o planejamento técnico da safra, podendo contar a consultoria da sua cooperativa para identificar a linha de crédito mais apropriada. Ao optar por tomar o recurso na instituição financeira cooperativa, o associado está contribuindo para o crescimento do seu negócio, da sua cooperativa, e para o desenvolvimento local.

Ciclo 2016/2017 – No atual ano-safra (dados apurados até maio de 2017), foram liberados R$ 11,3 bilhões pelo Sicredi, em aproximadamente 164 mil operações, 41% a mais do que na safra passada (2015/2016). A expectativa para o fechamento deste ano-safra (que encerra em junho deste ano) é liberar R$ 10,4 bilhões em operações de custeio, comercialização e investimento, e R$ 1,7 bilhão com recursos oriundos do BNDES (Banco Nacional do Desenvolvimento Econômico e Social) e do FCO (Fundo Constitucional do Centro Oeste).

De acordo com Gilson Nogueira, em comparação com a safra anterior, os produtores do Paraná, São Paulo e Rio de Janeiro demandaram 36 % a mais de recursos, chegando a R$ 3,8 bilhões. “Mesmo em meio à crise econômica, o agronegócio continua crescendo e alcançando bons resultados, especialmente os produtores ligados a instituições financeiras cooperativas, como o Sicredi”, analisa.

Os pequenos e médios produtores rurais continuam sendo o principal foco atendido pela instituição financeira cooperativa, no ciclo 2016/2017, 67% das operações realizadas foram direcionados a estes públicos.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s