Estudo mostra que Brasil continua como foco dos investidores internacionais

São Paulo – A ABVCAP – Associação Brasileira de Private Equity & Venture Capital divulga nesta segunda-feira (05/06), durante o Congresso ABVCAP 2017, em conjunto com a KPMG, o retrato do setor de Private Equity e Venture Capital no Brasil. Apesar das incertezas no cenário político, o estudo aponta que os investimentos em empresas acumulados em 2016 atingiram R$ 102,2 bilhões no final de 2016, mesmo patamar que em 2015, que foi de R$ 102,4 bilhões.

De acordo com Fernando Borges, presidente da ABVCAP, “é importante considerar ainda que no período tivemos uma grande flutuação do dólar frente ao real, notamos um aumento do interesse dos estrangeiros pelos investimentos no País.” A representatividade dos estrangeiros sobre o capital comprometido no País continuou sendo maior, de 53% do capital comprometido nacional. “O Brasil continua atrativo, especialmente se considerarmos: os ganhos no longo prazo, a variação cambial atual favorável e as oportunidades tanto em infraestrutura quanto em setores de serviços com as fintechs”, comenta.

Além disso, tivemos aumento de 11% do capital distribuído aos investidores, chegando a R$ 37 bilhões, em comparação aos R$ 33,6 bilhões de 2015. Sendo os desinvestimentos na ordem de R$ 5, bilhões, sendo que ficou em R$ 5,8 bilhões no ano anterior.

Os investimentos feitos ao longo de 2016 ficaram em R$ 11,3. Entre os setores que mais receberam os investimentos, o destaque foi para o setor de real estate e construção civil que ficou com 18% dos recursos, versus 2% do ano anterior, varejo em 11% e alimentos e bebidas e serviços financeiros que tiveram alta passando de 2% para 11%. Demais setores ficaram com 9% energia, 7% saúde e farmácia, tecnologia da informação em 6%, agronegócio 5%, educação 4%, logística e transporte e produtos e serviços industriais em 3%.

“Já vimos neste primeiro trimestre de 2017 ano um bom movimento de saída, principalmente via mercado de capitais”, acrescenta Francisco Sanchez, vice-presidente da ABVCAP e Sócio-Fundador da Lions Trust.

Piero Paolo Minardi, vice-presidente da ABVCAP e Sócio diretor na Warburg Pincus, comenta que “os investimentos acontecem em empresas, não em países. E o Brasil tem demonstrado mais maturidade que os demais emergentes”.

O ano de 2016 foi marcado por um volume de operações muito similar a 2015, porém com tamanhos menores. “A indústria de participações está otimista em relação aos investimentos de longo prazo e em economia real no Brasil em função de grandes oportunidades especialmente em infraestrutura, consumo, tecnologia, saúde e educação. A indústria de participações e fundos está preparada para apoiar o crescimento e a melhoria das empresas nacionais”, comenta Fernando Borges, presidente da ABVCAP.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s