Indicador Antecedente Composto da Economia recua em abril, diz FGV

O Indicador Antecedente Composto da Economia(IACE) para o Brasil, divulgado pelo FGV/IBRE e pelo The Conference Board (TCB), recuou 0,4% entre março e abril, atingindo 107,4 pontos (2010 = 100). Das oito séries componentes, três contribuíram para a queda do indicador: o Índice de Expectativas do Consumidor e do Setor de Serviços (-4,8% e -4,5%, respectivamente) e o Índice de Termos de Troca (-1,6%).

O Indicador Coincidente Composto da Economia (FGV/TCB) do Brasil, que mensura as condições econômicas atuais, caiu 0,1% no mesmo período, para 97,4 pontos (2010 = 100). As variações semestrais do ICCE permanecem no terreno positivo pelo terceiro mês consecutivo.

“As variações negativas dos indicadores de expectativas que influenciaram o IACE em abril não são suficientes para anular as altas dos meses anteriores”, afirma Paulo Picchetti, pesquisador do IBRE/FGV. “As tendências de prazo mais longo do IACE/ICCE ainda apontam para uma recuperação do nível de atividade, porém esta volatilidade caracteriza as dificuldades por trás da lentidão do ritmo desta retomada”, diz Picchetti.

O Indicador Antecedente Composto da Economia agrega oito componentes econômicos que medem a atividade econômica no Brasil. Cada um deles vem se mostrando individualmente eficiente em antecipar tendências econômicas. A agregação dos indicadores individuais em um índice composto filtra os chamados “ruídos”, colaborando para que a tendência econômica efetiva seja revelada.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s