Vendas de flores para Dia das Mães devem crescer 6%

O Sindiflores – Sindicato do Comércio Varejista de Flores e Plantas Ornamentais do Estado de São Paulo – e a empresa de Inteligência de Mercado, Hórtica Consultoria, acabam de concluir e divulgar os resultados de pesquisa sobre as expectativas de vendas de flores para o Dia das Mães que será celebrado neste próximo domingo, dia 14 de maio. A pesquisa foi realizada com floriculturas e empresas varejistas de todo o Brasil, entre os dias 28 de abril e 5 de maio. O estudo é realizado pelo quarto ano consecutivo, contribuindo decisivamente para o monitoramento, orientação e planejamento das vendas do setor.

Para as floriculturas, esta data representa a principal oportunidade comercial, sendo que, neste período, as vendas costumam ser até quatro vezes superiores à média das demais semanas do ano. Para o Dia das Mães de 2017, 83% das lojas e empresas setoriais de todo o Brasil confirmam a primazia desta data sobre as demais celebrações, enquanto que apenas 17% afirmam já apostar mais nas vendas para Dia dos Namorados (6,8%), Finados (5,3%), Dia Internacional da Mulher e outras ocasiões (4,9%).

Crescimento das vendas de flores para o Dia das Mães de 2017 deverá ser de 6%.

As floriculturas e empresas do ramo do comércio varejista de flores e plantas ornamentais de todo o Brasil apostam em um crescimento de 6,0% nas vendas para o Dia das Mães 2017, comparativamente à mesma data no ano passado. Esse indicador praticamente repete a expectativa observada para o Dia das Mães de 2016, quando as empresas consultadas previram crescimento, em relação ao ano anterior, de 6,4%.

Tais indicadores apresentam-se alinhados a perspectivas de estabilidade do mercado, posto que o percentual de floriculturas e outros varejistas de flores e plantas ornamentais que apostam na manutenção dos índices de vendas subiu de 16%, na mesma data do anterior, para 43%, neste Dia das Mães de 2017. Ao mesmo tempo, os empresários que apostavam em vendas menores, caiu de 31%, em 2016, para os atuais 14% atuais e os que previam crescimento de vendas caíram de uma participação porcentual relativa de 53%, para 43%, na data comemorativa deste ano.

O cenário conservador deve-se à prevalência de condições socioeconômicas desfavoráveis para o conjunto da população brasileira, embora se possa constatar uma sensível melhora nos ânimos prospectivos dos floristas. De fato, 65,5% das empresas entrevistadas afirmaram acreditar que as atuais dificuldades financeiras vividas pela maioria da população brasileira impactarão negativamente as vendas para esse Dia das Mães de 2017, índice este muito inferior aos 92,2% que apostavam na influência redutora da economia sobre o comércio floral para o Dia das Mães do ano passado.

Segundo as empresas entrevistadas, os impactos negativos sobre as vendas previstas refletirão também o acirramento da concorrência estabelecida pelos vendedores ambulantes e pelos supermercados. Neste contexto, uma parcela de 46,5% delas informou supor quedas de em média 30% em seus negócios devido ao comércio floral supermercadista para a data, enquanto que outras 32,8% supõem perdas médias de 20% das vendas para os ambulantes.

As preferências do consumidor para presentear as mães em 2017

As rosas – especialmente as vermelhas – solitárias ou compondo diferentes formatos de buquês, vão liderar as preferências das flores compradas para presentear as mães nesta data, com 33% das respostas obtidas. Vale observar que este porcentual consolida a tendência de participação das rosas em cerca de 1/3 no total da cesta de consumo para a data, uma vez que é apenas pouco inferior ao índice observado para o Dia das Mães do ano passado (35%) e idêntico ao observado na mesma data em 2015. Esses números são inferiores à média de 40% que era observada nos anos anteriores a 2014, confirmando certa tendência de contenção de gastos unitários com presentes florais para o Dia das Mães.

Em seguida, no ranking dos presentes preferenciais, vêm os vasos de orquídeas, especialmente os de phalaenopsis e cymbidium, entre outras poucas espécies da mesma família de flores, agregando 28% das opções de presentes. Apesar de ligeiramente inferior ao percentual observado para o Dia das Mães de 2016 (31%), esse indicador apresenta-se muito superior às médias verificadas em anos anteriores, como em 2015 e 2014, nos quais a penetração das orquídeas como presentes preferenciais para as Mães foi da ordem de 17% e 18%, respectivamente. Parte dessa tendência se deve à boa oferta dessas flores neste momento e também ao fato de que os consumidores, receosos da contração de novas dívidas e de realização de maiores gastos com presentes de valor unitário mais altos – como eletroeletrônicos, roupas, perfumes e outros – se deslocarão para a compra de flores, itens tradicionais para a data e economicamente mais acessíveis para os orçamentos mais restritos da atualidade.

Arranjos e buquês prontos, em geral, com intensa participação de flores como alstroemérias, gérberas, lisianthus e flores do campo, chegarão a representar apenas 3% das vendas para a data comemorativa, repetindo a mesma performance obtida no ano anterior. Tal fato, confirma o desaquecimento dos gastos frente aos anos anteriores a 2016 quando chegaram a ficar com participação de até 13%. Tal fato evidencia a disposição do consumidor em reduzir gastos com presentes, dando preferência às opções mais econômicas e acessíveis.

Finalmente, as cestas comemorativas contendo flores e outros itens, como chocolates, representarão 5% das opções de compras, percentual idêntico aos observados para o Dia das Mães de 2015 e 2016 confirmando, também, a contenção de gastos por parte do consumidor

Tíquete médio dos gastos com flores para o Dia das Mães de 2017 será de R$ 90,5

O tíquete médio de compra do consumidor brasileiro nas compras de flores para o Dia das Mães de 2017, segundo as floriculturas e empresas de varejo pesquisadas, será de R$ 90,5.

Esse indicador resulta da ponderação encontrada para as diferentes faixas consideradas na pesquisa, que mostrou a seguinte concentração: 24% das respostas, para gastos inferiores a R$ 70,00; 34%, para a faixa de valores iguais ou superiores a R$ 70,00 a até menos de R$ 100,00; 26%, para gastos projetados em R$ 100,00 e 16% para compras de mais de R$ 100,00.

Para o Dia das Mães de 2017, as vendas serão pagas majoritariamente em cartão de crédito (52,7%), com opções bem menos expressivas para pagamento em dinheiro (24,7%), cartão de débito (11,8%), cheque e cheque pré-datado (7,5%) e outras (3,3%).

Em relação aos anos anteriores, é possível observar que o consumidor brasileiro vem preferindo uma menor taxa de endividamento no cartão de crédito, modalidade que já chegou a representar, em anos anteriores, de 77% a 79% das preferências entre os meios de pagamento.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s