Vendas digitais da Magazine Luiza disparam no primeiro trimestre

São Paulo – O Magazine Luiza, uma das maiores redes de varejo do Brasil, acaba de apresentar à Comissão de Valores Mobiliários (CVM) resultado do primeiro trimestre de 2017.

Nos primeiros três meses do ano, a companhia apresentou números positivos em todo o seu balanço. O lucro da varejista cresceu 1.014%, chegando a 59 milhões de reais. O faturamento foi 23% superior ao do primeiro trimestre do ano passado, atingindo 3,35 bilhões de reais. O lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (EBITDA) foi 61% maior do que o do mesmo período em 2016, acumulando 232 milhões de reais.

O Magazine Luiza, que tem como missão se tornar uma plataforma digital, com pontos físicos e calor humano, mantém o foco nas vendas online, que foram o grande destaque do trimestre. A companhia atingiu um faturamento 56,2% maior na internet, que passou a representar 28% do faturamento total – um patamar recorde. A estratégia de marketplace foi fundamental para esse crescimento, ao aumentar de 30 mil para cerca de 220 mil a oferta de itens. A redução do tempo de entrega – 12% inferior à média do mercado –, a diminuição de rupturas e inovações logísticas e tecnológicas são os principais motivos para o avanço do online.

No mundo físico, o Magazine Luiza também avançou. As vendas das lojas abertas há mais de um ano cresceram 12%, contra o cenário de estabilidade do início de 2016. Nos três últimos meses, a empresa abriu quatro novas lojas físicas, somando 804, sendo 683 convencionais, 120 virtuais e o site. O aumento nas vendas resultou em mais um trimestre de ganho de participação no mercado. É o quinto trimestre consecutivo que o Magazine Luiza conquista market-share.

TECH-ORIENTED

As vendas online são centrais na estratégia da empresa, assim como o esforço para se tornar, cada vez mais, uma rede varejista inovadora.

No primeiro trimestre deste ano, a companhia anunciou a compra da startup Integra Commerce, com sede em Itajubá, Minas Gerais. Com isso, o Luiza Labs (laboratório de inovação do Magazine Luiza) ganhou um novo polo de desenvolvimento: o Labs Itajubá, formado pelos profissionais de desenvolvimento que faziam parte da Integra.

No primeiro trimestre, 52% dos investimentos realizados pelo Magazine Luiza foram em tecnologia. O total aportado na área foi 61% maior do que o valor aplicado no mesmo período do ano passado, o que mostra o esforço da empresa para continuar a inovar.

O caminho em direção a tecnologia que a empresa traça também atrai mais clientes conectados. Isso explica o crescimento das categorias de smartphones e Smart TVs, mais vendas do serviço de assistência Lu Conecta (com configuração de smartphone, instalação de aplicativos e antivírus, além do serviço de atendimento por telefone 24 horas) e a venda de planos pós-pagos de todas as operadoras nas lojas. Para melhor atender esse cliente, o Magazine Luiza reformou a parte de tecnologia dos pontos físicos, passou a aceitar celulares antigos como parte de pagamento por novos e digitalizou o atendimento dos vendedores.

MAIS EFICIÊNCIA

O bom desempenho das vendas permitiu ao Magazine Luiza mais um trimestre de avanços fiscais. Entre janeiro e março deste ano, a empresa melhorou o giro de seus estoques e o saldo com fornecedores. Nos últimos 12 meses, o Magazine Luiza também reduziu sua necessidade de capital de giro ajustado em 380,6 milhões de reais.

A dívida líquida ajustada da companhia foi reduzida em 415 milhões de reais, na comparação com o número de um ano atrás, chegando a 443 milhões de reais. Agora, a relação dívida líquida ajustada/Ebitda ajustado está em 0,5 vez, ante 1,6 vez do primeiro trimestre de 2016.

Os primeiros três meses de 2017 também foram marcados por uma forte redução nas despesas operacionais, que caíram 2,3 pontos percentuais, passando para 22% da receita líquida – menor nível dos últimos anos. O movimento é explicado pelo crescimento do e-commerce, a melhoria operacional nas lojas físicas e a maturação dos projetos de redução de despesas adotados pela companhia dentro do programa de Orçamento Base Zero (OBZ) e Gestão Matricial de Despesas (GMD).

SERVIÇOS FINANCEIROS

No trimestre, o indicador da carteira vencida acima de 90 dias da Luizacred melhorou 3,6 pontos percentuais, representando apenas 8,8% da carteira total. Mesmo com uma política de crédito conservadora, as vendas do Cartão Luiza nas lojas do Magazine Luiza cresceram 44,7%. Em função desse crescimento e da melhoria nos indicadores de inadimplência, o lucro líquido da Luizacred cresceu 50,5%, atingindo 39,4 milhões de reais no período.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s