Programa investirá R$ 50 milhões para conectar indústrias e startups

Uma pesquisa da consultoria KPMG revela que 88% das empresas consideram a colaboração com startups essencial para a sua própria estratégia de inovação. Do outro lado 54% destas empresas inovadoras acreditam que a colaboração com uma grande corporação é essencial para o sucesso do negócio. A indústria que já teve participação no PIB de 21,6%, despencou 10 pontos em 30 anos, atingindo cerca de 11,4% em 2015.

“É fato que parte importante da nossa indústria está pelo menos 15 anos atrasada em relação aos países de primeiro mundo. Falta investimento em tecnologia, inovação e processos eficientes”, explica Guto Ferreira, presidente da Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI).

Na outra ponta da economia estão as startups, empresas em geral pequenas, com jovens no comando e soluções inovadores. “A maior empresa de transporte do mundo (UBER) não tem um único veículo próprio, mas possui milhares de motoristas no mundo todo e vale mais do que os principais bancos brasileiros. Isso chama-se inovação e é disso que a nossa indústria precisa. A saída da crise e competitividade está na inovação”, ressalta Ferreira.

Apesar do sucesso de algumas empresas um estudo produzido pela aceleradora Startup Farm aponta que 74% dessas empresas inovadoras brasileiras fecham após 5 anos. “Isso ocorre por diversos motivos, entre eles estão: a falta de planejamento, dificuldades de financiamento e, principalmente, não ter o comprador ou usuário daquela solução ou produto. Não adianta criar algo em tese incrível, mas que não resolva o problema de alguém. É exatamente neste papel de conexão que a ABDI irá atuar”, revela.

Após cerca de 9 meses de construção, com mais de 1.000 players colaborando para a formulação do projeto, a ABDI lançou, em 16 de março, o Edital do Programa para seleção de indústrias, startups e instituições de apoio ao desenvolvimento de negócios. O Edital está disponível na página do Programa (www.startupindustria.com.br). Inicialmente

“A última fase e uma das mais importantes do ponto de vista governamental é a agenda de novas estratégias, momento em que aproveitaremos toda a experiência adquirida para replicar em outras frentes e iniciativas de apoio à inovação da indústria nacional”, conclui Elisa.

No total o programa destinará R$ 50 milhões em 3 anos. “O Programa Startup Indústria é inédito no Brasil e tem o objetivo de repensar o setor industrial para próximos 10 anos. As profissões do futuro serão responsáveis por 300 milhões de empregos em todo o mundo”, revela Guto Ferreira.

Para o CEO da General Eletric (GE) no Brasil, Gilberto Peralta, o papel de startup hoje é fundamental no processo de inovação de uma empresa. “Nenhuma empresa que queira estar no Leading Edge de inovação, de futuro e desenvolvimento, pode prescindir de trabalhar com essas empresas inovadoras. Esse pessoal tem ideias novas e o resultado dessa união é extremamente positivo, não apenas para a GE, mas para todas as empresas”, ressalta.

A gerente de inovação da agência, Elisa Carlos explica a importância do projeto para o futuro do setor. “Empresas como a NET (telecomunicações) já anunciaram parceria com startups para a troca de seus mais de 8 milhões de modens, tornando-os 100% nacionais. Este é o movimento do momento. Queremos potencializá-lo ao máximo. Fazer com que a base de boas startups cresça e tenham apoio”, ressalta. O diretor de desenvolvimento da Embraer, Daniel Moczydlower acredita que o programa é fundamental para fortalecer todo o setor aeronáutico. “O programa Startup Indústria tem papel fundamental, já que nos ajudará com a tomada de decisões e, inclusive, mapeará oportunidades interessantes de trazermos essas startups para próximo da nossa cadeia de fortalecimento da indústria aeronáutica”.

ABDI – Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial

A Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial – ABDI surgiu no momento de retomada das políticas públicas de incentivo à indústria, em 2004, e se legitimou com órgão articulador dos diversos atores envolvidos na execução da política industrial brasileira.

Em mais de uma década de atuação, sob a supervisão do Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços, a ABDI é a única agência de inteligência do governo federal para o setor produtivo e oferece à indústria completa estrutura para a construção de agendas de ações setoriais e para os avanços no ambiente institucional, regulatório e de inovação no Brasil, por meio da produção de estudos conjunturais, estratégicos e tecnológicos.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s