Indicador Antecedente Composto da Economia sobe em fevereiro, diz FGV

O Indicador Antecedente Composto da Economia(IACE) para o Brasil, divulgado pelo FGV/IBRE e pelo The Conference Board (TCB), subiu 1,0% entre janeiro e fevereiro atingindo 106,2 pontos (2010 = 100). Das oito séries componentes, seis contribuíram para a alta do indicador, com destaque para o Índice de quantum de exportações, com variação de 6,2% e uma contribuição de 44% para a alta no mês.

O Indicador Coincidente Composto da Economia (ICCE) do Brasil, também elaborado pelo FGV/IBRE e pelo TCB, que mensura as condições econômicas atuais, subiu 0,4% entre janeiro e fevereiro, alcançando 98,4 pontos (2010 = 100). Pela primeira vez, desde novembro de 2014, as variações semestrais do ICCE estão no patamar positivo.

“A trajetória dos indicadores antecedente e coincidente em fevereiro sinaliza para uma retomada do nível de atividade”, afirma Paulo Picchetti. “Entretanto, esta recuperação ainda aparece de forma suave e sujeita à volatilidade causada pela adequação das expectativas ao cenário de incertezas, principalmente com relação ao encaminhamento das reformas estruturais necessárias para a sustentabilidade do crescimento”.

O Indicador Antecedente Composto da Economia agrega oito componentes econômicos que medem a atividade econômica no Brasil. Cada um deles vem se mostrando individualmente eficiente em antecipar tendências econômicas. A agregação dos indicadores individuais em um índice composto filtra os chamados “ruídos”, colaborando para que a tendência econômica efetiva seja revelada.

Sobre o Indicador Antecedente Composto da Economia (IACE)

O Indicador Antecedente Composto da Economia (IACE) para o Brasil foi lançado em julho de 2013 pelo FGV/IBRE e pelo The Conference Board. Com uma série desde 1996, o IACE teria antecipado, de maneira confiável, todas as quatro recessões identificadas pelo Comitê de Datação de Ciclos Econômicos do IBRE (CODACE) durante este período. O indicador permite uma comparação direta dos ciclos econômicos do Brasil com os de outros 11 países e regiões já cobertos pelo The Conference Board: China, Estados Unidos, Zona do Euro, Austrália, França, Alemanha, Japão, México, Coréia, Espanha e Reino Unido.

Os oito componentes do IACE são:

Taxa referencial de swaps DI pré-fixada – 360 dias (Fonte: Banco Central do Brasil)
Ibovespa (Fonte: BOVESPA – Bolsa de Valores de São Paulo)
Índice de Expectativas da Indústria (Fonte: FGV/IBRE)
Índice de Expectativas dos Serviços (Fonte: FGV/IBRE)
Índice de Expectativas do Consumidor (Fonte: FGV/IBRE)
Índice de produção física de bens de consumo duráveis (Fonte: IBGE)
Índice de Termos de troca (Fonte: FUNCEX – Fundação Centro de Estudos do Comércio Exterior)
Índice de quantum de exportações (Fonte: FUNCEX – Fundação Centro de Estudos do Comércio Exterior)

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s