Telefônica investirá R$ 24 bilhões até 2019 com foco em fibra e 4G

Com crescimento em receitas e no lucro, a Telefônica/Vivo fechou um ano difícil na macroeconomia brasileira com um respiro. Para tanto, a empresa focou na captura de receita de dados, enquanto focava no segmento de mais valor com a fibra até a residência (FTTH) e a 4G. Segundo o CEO da companhia, Eduardo Navarro, essa será também a tendência para 2017: crescimento de dois dígitos nos dados móveis e nas receitas de ultra banda larga, continuar a melhoria na margem EBTIDA e, com isso, otimizar o Capex, que será de R$ 24 bilhões entre 2017 e 2019 e será mais “seletivo”.

A quarta geração ganhará impulso com a nova frequência de 700 MHz no decorrer do ano. Durante teleconferência para analistas nesta quarta-feira, 22, Navarro comentou que espera lançar o LTE em Brasília nos próximos meses (em maio, segundo a Anatel), e pretende logo poder operar em São Paulo, “o que não deve acontecer antes do final do ano”. Conforme antecipado por este noticiário, também procurarão disponibilizar a faixa no Nordeste e em cidades pequenas.

No segmento móvel, o foco será na migração da base pré-paga para os planos controle e pós-pago, e não necessariamente na captura de clientes de outras empresas. “Acho que temos sido bem sucedidos em migrar clientes do pré-pago para o híbrido, a estratégia é essa. Meu competidor (a TIM) está indo bem nisso também, vamos focar na nossa própria base em vez de tentar capturar dos competidores”, declara. Mesmo o pré-pago tem tido desempenho satisfatório, segundo o chief revenue officer (CRO) da operadora, Christian Gerbara. “Vamos começar a recuperar e impactar muitos clientes pré. Vemos uma tendência positiva”, diz.

Eduardo Navarro afirmou que ainda é muito cedo para estimar o impacto de uma eventual sanção do PLC 79/2016, que altera o modelo de concessões para autorizações. Ainda assim, o CEO da Telefônica afirma que a nova legislação não deverá mudar muito o Capex da operadora, já que há maior atenção à fibra, à TV e aos serviços móveis. “Acho que o impacto deverá ser no Opex, por conta de obrigações, como manutenção. Mas é muito cedo para falar em impactos”, argumenta.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s